Edição: quarta-feira, 16/05/2018
Compartilhe:

  Diário Comunidades

Virou rotina 

Quebras constantes dos ônibus que fazem a linha do Meio da Serra

Natália Rodrigues  natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br

 

Parece não ter fim o drama dos moradores do Meio da Serra. De acordo com relatos da população, pelo menos três vezes por semana ocorrem incidentes com os ônibus da empresa Petro Ita que atendem ao bairro. Há casos de ocorrerem mais de um no mesmo dia. Ontem (15) não foi diferente, por volta das 9h, o veículo 2031 que fazia a linha 420- Meio da Serra via Rua Teresa quebrou quando seguia para o Centro.

A secretária Érica dos Santos estava no ônibus e relatou que o problema começou no início da viagem. Segundo ela, o comentário dos outros passageiros era de que o cano que dá pressão no motor havia soltado, e isso já teria acontecido na viagem anterior.

- Uns 10 minutos depois que saímos do ponto final, houve um barulho como se o pneu tivesse furado, mas não tinha sido isso. O ônibus começou a andar devagar quase parando até chegar numa hora que não tinha como mais seguir viagem. Na hora o que foi comentado é que o carro estava sem forças para subir a serra, ele ainda tentou chegar até o Alto da Serra, mas não teve jeito – disse.

Cristiane da Silva, dona de casa, relatou que o motorista ainda insistiu em prosseguir, mas sem condições mecânicas foi forçado a parar de vez próximo a Comunidade Vila São Francisco (Horta).

- O motorista não teve culpa, ele ainda desceu mexeu onde ele achava que podia ser o problema, infelizmente não teve como continuar. Isso é um absurdo, tinha muitos idosos, mulheres com bebês e todo mundo teve que descer no meio do caminho e esperar uns 20 minutos até a chegada do outro ônibus que já estava lotado. Saí de casa mais cedo, porque não podemos contar com os ônibus para chegarmos na hora do compromisso, mas não adiantou. Ainda tive que seguir até o Centro da cidade em pé, a passagem aumenta, mas o problema continua – disse.

A dona de casa explicou que tanto ela como os demais moradores estão preocupados com as condições dos veículos e a precariedade da estrada. O caminho é perigoso, com muitos penhascos e curvas sinuosas e esperam que a empresa tome providências.

- O problema é que já estamos cansados de reclamar dos ônibus quebrando, se a estrada está ruim então a empresa tem que cobrar da Prefeitura porque do jeito que está só vão achar solução quando essa serra matar alguém – disse.

Procurada pelo Diário de Petrópolis, até o fechamento desta matéria, a empresa não havia se pronunciado sobre o caso.



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior