Edição: domingo, 08/04/2018
Compartilhe:

  Geral

A luta pela independência química

Igrejas e instituições trabalham na recuperação dessas pessoas

 

Vitor Garcia vitorgarcia@diariodepetropolis.com.br


 O Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas, em pesquisa realizada em 108 cidades com mais de 200 mil habitantes, divulgou através de relatório que, quase 22% dos entrevistados disseram ter usado, em algum momento da vida, drogas, com exceção de álcool e tabaco. Considerado um dos grandes males atuais da sociedade, o tratamento da dependência química tem ganhado força cada vez mais, com os trabalhos desempenhados por igrejas, instituições e governo.

Dando continuidade ao trabalho desempenhado por anos pelo padre Quinha, o vigário diocesano da caridade, padre Rafael Soares, conta os desafios do trabalho, que é sustentado em três pilares.

- O que fazemos possui uma grande importância na vida dessas pessoas e de seus familiares. Seguimos à risca em nossos sítios de recuperação a disciplina, o trabalho e a espiritualidade. Os nossos irmãos em tratamento respeitam a organização do tempo, onde desempenhamos cada atividade em seu devido momento, realizamos a terapia de ocupação do tempo, que é importante, além da espiritualidade, onde aprendem a viver em fé, no caminho de uma vida nova – disse.

Em Petrópolis, existem três sítios de recuperação de dependentes químicos ligados à Igreja Católica, sendo o Nossa Senhora das Graças, no Brejal, Nossa Senhora do Sorriso e Sítio Santa Teresinha, no caminho para São José do Vale do Rio Preto. Além disso, na Chácara Nossa Senhora na Aparecida, na Serra Velha, é realizada o trabalho para acolhida de moradores em situação de rua.

- Atendemos em média de 25 a 30 pessoas em cada sítio. Nesses locais, temos de doía a três responsáveis, que são pessoas que se dedicam por esse tipo de trabalho. Inclusive, hoje temos um homem que ficou por 13 anos em um dos nossos sítios, se recuperou, casou, seguiu a vida dele, mas até hoje se doa pela obra. Funcionários são poucos por conta das condições financeiras, mas até aqui tudo tem dado certo – contou o padre.

De acordo com a pesquisa, os homens apresentam maior uso na vida e maior dependência de álcool, por exemplo, do que as mulheres, em todas as faixas etárias. A faixa etária que apresenta a maior dependência é a de 18 a 24 anos (19,2%), seguida da de 25 a 34 anos (14,7%).

- A procura é muito grande, mas às vezes não temos a quantidade suficiente de vagas. Não cobramos, apenas vivemos de doações. O nosso objetivo não é só tirar da dependência química, como também fazer com que esses irmãos tenham um encontro com Deus, caminhe na fé e tenham o prazer pela vida. Transformação de vida é o nosso foco – concluiu.

No município, as igrejas evangélicas também desempenham trabalhos em centros de recuperação para dependentes químicos. Em alguns casos, há também reuniões de apoio todas as semanas, como no caso da Igreja Metodista Wesleyana Central de Petrópolis, que realiza todas às sextas-feiras os encontros, que são abertos a todo o público.

Município registra crescimento no atendimento

Referência no atendimento especializado a pessoas com necessidades em decorrência do uso de álcool e outras drogas, o Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e Drogas (CAPS AD) já atendeu 1.915 pessoas neste ano. A média mensal, entre janeiro e março, é de 638 atendimentos, número 112% maior que a média de 2017. Em todo o ano passado, a unidade recebeu 3.635 pessoas, cerca de 300 por mês.

O CAPS AD funciona em tempo integral, todos os dias, e fica na Rua Monsenhor Bacelar, número 492, no Centro da cidade. Durante a semana, a unidade promove atividades abertas ao público em geral, com avaliação multiprofissional (consultas clínicas, psiquiátricas e psicológicas). As ações são sempre das 8 às 21h.

Inscrições para II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas

A II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas, promovida pela Prefeitura e o Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas (CMPD), está com as inscrições abertas. Esta segunda edição vai acontecer nos próximos dias 27 e 28, na Faculdade Arthur Sá Earp (FASE), e terá como tema "Sociedade, Álcool e Drogas: o que fazer?”.

O cadastro para todos os participantes serão realizadas até o próximo dia 16, das 9 às 16h, na sede da Casa dos Conselhos, que fica na Av. Koeler, 260, no Centro, ou pelo site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).



Compartilhe:


Casando com Estilo



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior