Edição: sexta-feira, 21/04/2017
Compartilhe:

  Carros

 

 

Ford Fiesta ST tem motor 1.5 Ecoboost com 200cv de potência

Ford mostra na Europa a versão ST da nova geração do Fiesta equipado com motor Ecoboost de três cilindros, que desenvolve 200cv, e sistema que possibilita três modos de condução

 
 
Fonte Portal Vrum - Correio Braziliense 
 

Ford/Divulgação

Se você é do tipo que curte um hot hatch, olha só o que a Ford acaba de exibir na Europa. Trata-se da versão esportiva do novo Fiesta, a ST, que será apresentada oficialmente em março, no Salão de Genebra, na Suíça. E o que deixa esse compacto nervoso é o motor Ecoboost 1.5, de três cilindros, que, com o auxílio do turbo, despeja nada menos que 200cv. O modelo conta ainda com tecnologia para garantir a melhor performance na hora de dirigir, proporcionando segurança e redução de consumo e emissão de poluentes.

Ford/Divulgação

A nova geração do Ford Fiesta foi apresentada na Europa no fim do ano passado, mas a montadora deixou para depois a versão mais cobiçada, a ST. Ela finalmente foi exibida e chega como o primeiro modelo da Ford Performance, divisão esportiva da marca, equipado com motor de três cilindros. De acordo com o fabricante, o novo Ecoboost 1.5 proporciona bons resultados graças à combinação de turbocompressor, injeção de combustível em alta pressão e duplo comando independente e variável de válvulas, que garantem melhor desempenho e economia de combustível.

Ford/Divulgação

É um três-cilindros com bom torque em baixas rotações, que traz uma turbina com desenho moderno, capaz de reduzir o atraso nas acelerações (o chamado lag), proporcionando respostas mais ágeis e suaves, sem trancos. Outro detalhe interessante desse motor é que ele, assim como o Ecoboost 1.0, conta com a tecnologia de desativação de cilindros, que garante redução no consumo de combustível. Na prática, toda vez que o motor não está sendo muito exigido, o sistema interrompe automaticamente a entrada de combustível e o funcionamento das válvulas de um dos cilindros. Tudo feito em milésimos de segundos. Mas se o motorista pisa fundo no pedal, o turbo entra em ação e os 200cv logo fazem o giro do motor subir, acelerando até 100km/h em 6,7 segundos.

Ford/Divulgação

TRÊS MODOS O novo Fiesta ST é também o primeiro a contar com modos de direção selecionáveis. No modo normal, o mapeamento do motor, os controles de tração e estabilidade, o som do escapamento e a direção elétrica são configurados para uma resposta mais natural. No modo sport, o mapeamento do motor e as respostas do acelerador e da direção são bem mais rápidos, além de o som do escape ser mais esportivo. Já no modo track, todas as características dinâmicas do veículo são ajustadas para uma aceleração mais rápida, o controle de tração é desativado e o controle de estabilidade permite um deslizamento maior para circuitos travados. 

Ford/Divulgação

Para alterar o ruído emitido pelo escapamento, a Ford usou uma válvula de controle ativo e o sistema Electronic Sound Enhancement, que amplifica o som naturalmente esportivo do novo motor Ecoboost. O Fiesta ST traz ainda tecnologia de controle de torque vetorial, que reduz o subesterço aplicando o freio na roda dianteira interna em curva. Além disso, o controle de estabilidade pode ser programado em três modos de atuação: intervenção completa, modo de deslizamento com intervenção limitada e desativação total. É para a pessoa ter a liberdade de escolher entre “sem emoção”, “com emoção” e “com muita emoção”.

Ford/Divulgação

O novo Fiesta ST tem lançamento previsto para o início de 2018 e será vendido com carrocerias de três e cinco portas. Claro que a versão terá alguns elementos de personalização, que incluem grade exclusiva do tipo colmeia, aerofólio, saída dupla do escapamento e belas rodas de desenho esportivo aro 18 polegadas. Por dentro, a esportividade também está presente nos bancos Recaro e no volante de base achatada. E para quem valoriza conectividade e um bom equipamento de áudio, o Fiesta ST traz sistema multimídia SYNC 3 e som de alta fidelidade Bang & Olufsen. Um pacote completo para quem gosta de acelerar com estilo.

 

 

 

 
 

Portal Frum -  Pedro Cerqueira /Estado de Minas - Correio Braziliense

Renault/Divulgação
 
 

A Renault começou sua ofensiva no segmento dos SUVs com o lançamento do compacto Captur. O modelo se posiciona acima do Duster e mira os concorrentes chamados premium, como Jeep Renegade e Honda HR-V. Em breve, a marca francesa ainda lança o médio Koleos , somando então três utilitários esportivos na linha brasileira. O Captur foi desenvolvido pela engenharia brasileira da Renault usando como referência o modelo que estreou na Europa em 2013, porém é destinado a mercados emergentes que, além do Brasil ainda incluem Rússia e Índia.

O nosso Captur é 21cm maior em comprimento e tem personalidade própria. De acordo com a Renault, o modelo brasileiro só tem em comum com o europeu os faróis, as portas dianteiras e a tampa traseira. As linhas do Captur são fortes e fluidas. A dianteira traz o DNA de design da marca, seguida pelo capô "trincado", caixas de roda parrudas, linha de cintura ascendente e grandes rodas de 17 polegadas. O para-brisa é bastante inclinado, o que fica mais evidenciado quando o veículo recebe a pintura biton, que combina carroceria de uma cor com teto em preto ou marfim, um opcional que custa R$ 1.400.

Por dentro, a aposta é que o veículo vai agradar por causa da posição elevada de dirigir, a 70,8cm do chão. O espaço interno é bom para um compacto, mas, no banco traseiro, o teto é baixo em relação ao assoalho. O  porta-malas é espaçoso, com 437 litros. Os bancos dianteiros apoiam bem o corpo. O painel de instrumentos é totalmente novo. Assim como a carroceria, o interior pode ter acabamento em duas cores. Bancos em couro são opcionais da versão topo de linha.

Renault/Divulgação

PARENTESCO O Captur usa a mesma plataforma do Duster, com os mesmos números de comprimento e entre-eixos, porém evoluída. Segundo a Renault, os dois modelos compartilham pouquíssimas peças: o eixo traseiro, a cremalheira do sistema de direção inferior, as pinças e o disco de freio. A suspensão foi toda redimensionada em função das rodas de 17 polegadas. Já a carroceria tem uma concepção mais rebuscada quanto aos reforços estruturais, para proteger os ocupantes em caso de acidente (vamos aguardar os resultados dos testes de colisão!).


Comprimento e entre-eixos são idênticos aos do Duster - Renault/DivulgaçãoComprimento e entre-eixos são idênticos aos do Duster
 

O parentesco com o Duster também está no powertrain. As opções disponíveis por enquanto são o novo motor 1.6 SCe com câmbio manual de cinco marchas e o 2.0 16V com câmbio automático de quatro marchas, um conjunto que não combina com o valor cobrado pelo veículo. A Renault ainda vai lançar dentro de três meses uma versão do motor 1.6 equipada com câmbio CVT, que promete ser mais interessante que a de motorização maior.

Interior abusa do plástico, o que reduz a sofisticação - Renault/DivulgaçãoInterior abusa do plástico, o que reduz a sofisticação
 

PREÇOS E VERSÕES Por enquanto são duas as versões disponíveis, que marcam também o início de uma nova nomenclatura que aos poucos vai se estender para todos os modelos da Renault. A de entrada é a Zen 1.6 manual, a partir de R$ 78.900, que se destaca pelo bom pacote de itens de segurança - airbags frontais e laterais, controle eletrônico de tração e estabilidade, freios ABS, auxílio de frenagem de emergência e Isofix - além de ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, assistente de partida em rampa, chave-cartão presencial, sensor de estacionamento traseiro, volante com regulagem de altura,  retrovisores com ajustes e rebatimento elétricos e sistema de áudio (rádio, Bluetooth e entradas USB e auxiliar) e telefonia.

Mas a Renault espera vender mais a versão topo de linha Intense 2.0 automática, por R$  88.490, que tem a mais rodas diamantadas, ar-condicionado automático, câmera de ré, sensor de chuva, faróis automáticos, faróis de neblina de LED e função cornering e sistema multimídia com áudio, telefonia e navegação. O Captur tem garantia de três anos ou 100 mil quilômetros, e sua distribuição para a rede de concessionárias já foi iniciada. O modelo será exportado para 8 países da América Latina.

Espaço traseiro é bom e bancos em couro são opcionais - Renault/DivulgaçãoEspaço traseiro é bom e bancos em couro são opcionais
 

COMO ANDA? Dirigimos o Captur equipado com motor 2.0 e câmbio automático. O conjunto funciona bem se o motorista não tem grandes aspirações quanto ao desempenho. Rodando no ritmo do carro, as quatro marchas parecem ser o bastante para desenvolvê-lo gradualmente. Boa parte do torque está disponível em baixa rotação. A 120km/h, em quarta marcha, o motor gira suave em torno das 3.000rpm. Agora, quando o motorista busca por uma resposta mais vigorosa e atola o pé no acelerador, a marcha é reduzida, o giro sobe e a máquina urra. Não foi possível aferir o comportamento do SUV em subidas fortes. A suspensão foi bem trabalhada, aliando conforto e estabilidade. Já a direção com assistência eletro-hidráulica  se mostrou um pouco pesada.

* Viajou a convite da Renault

Porta-malas é espaçoso, com 437 litros de volume - Renault/DivulgaçãoPorta-malas é espaçoso, com 437 litros de volume

FICHA TÉCNICA

MOTORES
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.998cm³ de cilindrada, flex, que desenvolve potências máximas de 143cv (gasolina) e 145cv (etanol) a 5.750rpm e torques máximos de 20,2kgfm (gasolina) e 20,9kgfm (etanol) a 4.000rpm

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.597cm³ de cilindrada, flex, que desenvolve potências máximas de 118cv (gasolina) e 120cv (etanol) a 5.500rpm e torque máximo de 16,2kgfm (gasolina e etanol) a 4.000rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira; com câmbio manual de cinco marchas ou automático de quatro marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira McPherson, triângulos inferiores, amortecedores hidráulicos telescópicos e molas helicoidais; e traseira semi-independente com barra estabilizadora, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos / 17 polegadas (liga de alumínio) / 215/60 R17

DIREÇÃO

Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência eletro-hidráulica

FREIOS
Discos ventilados na frente e a tambores na traseira, com ABS

CAPACIDADES
Peso, 1.273kg (Zen) e 1.352kg (Intense); porta-malas, 437 litros; tanque de combustível, 50 litros; capacidade de carga (passageiro e carga), 449 quilos.

DIMENSÕES (comprimento x largura x altura x entre-eixos x altura do solo – em metros)
4,67x1,81x1,62x2,67x0,21

CONSUMO
1.6 Zen: na cidade, 10,9km/l (gasolina) e 7,6km/l (com etanol); na estrada, 11,3km/l (gasolina) e 8km/l. 2.0 Intense: na cidade, 8,8km/l (gasolina) e 6,2km/l (com etanol); na estrada, 10,8km/l (gasolina) e 7,3km/l.

 

 

 



Compartilhe:



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior