Edição: domingo, 11/02/2018
Compartilhe:

  Colunistas
Carolina Costa
COLUNISTA

 

Saber Viver

“Que nosso carnaval seja de muita alegria! Que possamos agradecer pela oportunidade de viver nesta cidade maravilhosa e familiar que é Petrópolis.  Desejo um bom carnaval para todos nós!”

Dia do Dermatologista

Foi comemorado no dia 05 de fevereiro, o dia do dermatologista. Em homenagem a data, trouxemos o click de uma profissional nota mil de nossa cidade! Aproveitamos também, para lembrar aos nossos leitores, sobre a importância do uso do protetor solar, neste carnaval!


 

 Ana Paula Bonvini Dermatologista

 

Carnaval: Moderação e saúde bucal em dia

Durante o período carnavalesco, muitas pessoas aproveitam a folia nas praias, no campo e nos blocos de rua. Neste período, é preciso tomar muito cuidado com os beijos, isso mesmo! De maneira geral, bactérias, vírus e fungos que estejam presentes na saliva podem ser transmitidos através deste contato. Pessoas com sistema imunológico abalado são mais vulneráveis às infecções. Entre as doenças que podem ser transmitidas através do beijo estão: Herpes labial, sapinho ou candidíase oral, mononucleose ou “doença do beijo”, entre outras. Para prevenção, tenha cuidados gerais com a saúde: coma bem, durma bem e beba bastante água durante este período de festa. Mantenha a higiene bucal em dia: escove os dentes, use fio dental e enxaguante. Fique atento aos sinais que indicam doenças bucais, como boca seca, sangramentos e gosto amargo.


 

 Renata Rodrigues Pinheiro Dentista

 

Prevenção: Carnaval saudável

A preocupação com a propagação de doenças sexualmente transmissíveis ocorre o ano todo, porém no carnaval ela fica mais intensa.  A prevenção, seja qual for a situação, é sempre a melhor opção. No caso das relações sexuais, a camisinha é indispensável, ela é o único método que previne contra as DST’S. Em 2016, o Ministério da Saúde registrou aumento no número de casos de HIV. O vírus da imunodeficiência humana é o causador da Aids, que ataca o sistema imunológico e derruba o sistema de defesa do organismo. Na última década, o índice de contágio mais que dobrou entre jovens de 15 a 19 anos. Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 50% dos brasileiros entre 15 e 24 anos usam camisinha com parceiros eventuais.  Além do HIV, existem muitas outras doenças que podem ser transmitidas através do sexo desprotegido. De acordo com o Ministério da Saúde, milhões de brasileiros são portadores dos vírus B ou C da Hepatite e não sabem. Além do HIV e da hepatite, herpes genital, gonorreia, sífilis e HPV, também são transmitidos sexualmente. Não deixe de usar a camisinha, preserve sua saúde!

Diler Pereira ginecologista e obstetra 


Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior