Edição anterior (1281):
segunda-feira, 14 de maio de 2018
Ed. 1281:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1281): segunda-feira, 14 de maio de 2018

Ed.1281:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Cem anos da linha Aéropostale no Brasil


 Desde ontem (12), até a próxima terça-feira (15), o presidente do Raid Latécoère-Aéropostale, Sr Hervé Beradi, está na cidade de Petrópolis. A visita é em comemoração ao Centenário da antiga linha francesa de correio aéreo Aéropostale. A visita estará repleta de celebrações e tem o objetivo de firmar parcerias. Nas décadas de 1920 e 1930, a companhia francesa de correio aéreo (que foi antes Linhas Aéreas Latécoère e posteriormente parte da formação da Air France) foi a mais longa do mundo. Somente no Brasil, implantou 11 escalas, em toda a costa do país, indo de Natal até Pelotas.

O brilho e o pioneirismo da Aéropostale foram ainda mais notáveis por conta da presença de ases como Antoine de Saint-Exupéry que, além de aviador, foi também escritor e tornou-se mundialmente famoso por sua obra-prima, O Pequeno Príncipe (1943).

Fundada pelo industrial Pierre Georges Latécoère em 1918, em Toulouse, no sul da França, a Aéropostale deixou marcas profundas tanto na memória como na paisagem dos locais onde fincou outrora suas bases. Toulouse veio a ser a “capital europeia do ar e do espaço” e lá se situa, por exemplo, a fábrica Airbus.

Na literatura, através de Saint-Exupéry, a obra dos pioneiros e suas relações com diversas culturas se perpetua em projetos culturais, históricos, tecnológicos e educacionais.

Com o presidente do Raid Latécoère, virão dois jornalistas da TV franco-alemã ARTE, que realizarão um documentário-reportagem sobre alguns vestígios da Aéropostale no Brasil.

Na ocasião, um convênio será assinado entre o Raid Latécoère Aéropostale e a Associação Memória da Aéropostale no Brasil (AMAB). 

Itaipava

 Em Itaipava, distrito de Petrópolis, subsiste uma casa idílica que pertenceu a um dos pilotos da Aéropostale, Marcel Reine. Lá, os pilotos, quando em escala no Campo dos Afonsos ou em Jacarepaguá, e de folga, iam passar dias na natureza, cavalgando e se divertindo. Saint-Exupéry também teria frequentado a casa que, hoje, pertence a José Augusto Wanderley, cujo pai comprou a propriedade diretamente do piloto francês. José Augusto transformou sua propriedade num local de memória dos pilotos e da Aéropostale, bem como um espaço consagrado ao Pequeno Príncipe. Já no roteiro turístico de Petrópolis-Itaipava, a casa, que ainda tem o nome que lhe deu o piloto Reine, “La Grande Vallée”, é um convite para sonhar. Escolas agendam visitas, bem como turistas que se emocionam ao descobrir esse refúgio dos pilotos de outrora. Coincidentemente, os aviadores franceses elegeram a mesma cidade que Santos Dumont, que ali construiu sua casa “A Encantada”. E tudo pode ser mesmo encantador nessas paragens.



Edição anterior (1281):
segunda-feira, 14 de maio de 2018
Ed. 1281:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1281): segunda-feira, 14 de maio de 2018

Ed.1281:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior