Edição: terça-feira, 13/03/2018
Compartilhe:

  Chuvas

Chuva faz mais duas vítimas fatais. Desta vez no Alto Independência

Já são quatro mortes registradas por conta das chuvas em 10 dias na cidade

Daniela Curioni – especial para o Diário


 Na noite de sábado (10) e madrugada e domingo (11),  o terceiro temporal que atingiu a região, em menos de dez dias, causou mais duas mortes na cidade,  e voltou a registrar transtornos em diferentes pontos da cidade. Na noite de sábado, um casal morreu na Rua Angelo João Brand, no bairro Alto Independência. O cobrador Eloitson Antônio da Silva, de 45 anos, e sua namorada, Maria Aparecida da Silva, de 35 anos, foram soterrados com um deslizamento de terra que atingiu a casa.

Segundo informações dos familiares, essa foi a segunda vez que a família perdeu parentes em deslizamento de terra. 

- Em 2013, nós perdemos sete pessoas da família em um deslizamento de terra na Vila do Príncipe, aqui no Alto Independência, conta o irmão de Eloitson, José Carlos da Silva.

Segundo o irmão da vítima, o acidente ocorreu por volta das 21h de sábado.

- Minha casa é aqui perto, um pouco mais para cima da casa do meu irmão. Eu estava com minha filha em casa quando escutei um barulho, fui ver o que era, mas chovia muito forte e tinha muito “russo”, além do mato alto que fica entre as casas. Infelizmente eu não consegui ver que tinha caído uma barreira. Não vi nada. Somente na manhã de domingo, eu vi o que tinha acontecido. Fui o primeiro a chegar aqui.  Mas eu achava que meu irmão estava trabalhando. Ele trabalhava como cobrador e tinha trocado a folga dele, eu não sabia, lamenta o irmão.

A família relata que no final do ano passado, uma pequena barreira caiu e atingiu a casa da mãe de Eloitson, que fica no mesmo local.

- Nós chamamos a Defesa Civil que fez um laudo sobre uma obra que estava acontecendo por trás da casa da minha mãe e de meu irmão. Mas nada foi resolvido e a obra continuou. Agora estamos aqui, passando por mais esse sofrimento, que é resposta de uma tragédia já anunciada e denunciada, conta com tristeza o irmão da vitima, José Carlos.

O irmão contou que Eloitson deixou uma filha de 16 anos, do seu primeiro casamento e atualmente estava namorando com Maria Aparecida.

- Ela mora em São Paulo e veio passar duas semanas com ele e ia voltar na terça feira. Os dois tinham sonhos e planos que foram interrompidos, conta a cunhada de Eloitson.

O corpo de Eloitson foi enterrado ontem no cemitério Municipal as 14h, e o corpo da namorada, Maria Aparecida da Silva, estáaguardando a liberação da família.

Em nota, a prefeitura informou que oprefeito Bernardo Rossi esteve, na manhã de ontem, no local. O prefeito conversou com parentes de uma das vítimas e reforçou o apoio da prefeitura, oferecendo os suportes necessários à família.

- A realidade de nossa cidade que é frágil para os desastres ocasionados pelas chuvas é o que queremos mudar, que trabalhamos para isso. A dor da família é também a minha dor, disse o prefeito.

 A secretária de Assistência Social, Denise Quintella, garantiu apoio aos parentes de Eloitson Antonio da Silva. A Secretaria de Saúde também colocou à disposição uma equipe para fazer acompanhamento médico e psicológico da família.

A Secretaria de Defesa Civil registrou 42 ocorrências por causa da chuva na cidade, sendo 28 deslizamentos de terra.

Na Rua Boa Vista, no bairro da Posse, uma casa foi atingida por um deslizamento, mas ninguém ficou ferido. Os moradores foram orientados a buscar abrigo em casa de parentes. Os pontos de apoio destes bairros ficaram disponíveis para os moradores durante toda a madrugada.

 Na noite de sábado (10), nove sirenes do sistema de monitoramento de alerta foram acionada nos bairros: Independencia, Quitandinha, Espirito Santo, Rua Ceará, Amazonas, Dr. Thouzet, Alto as Serra, Vila Felipe e Sargento Boening.

O Rio Quitandinha transbordou na Rua Coronel Veiga e agentes da Defesa Civil junto da Guarda Civil monitoraram o trânsito no local.

 No Centro da cidade, o rio transbordou na altura da Rua do Imperador e paralisou o trânsito. Houve registro de alagamentos em ruas do bairro Mosela, do Bingen e General Osório.

Na estrada do Brejal, uma pedra deslizou, deixando o trânsito no local em meia pista.

A subida da Serra de Petrópolis foi interditada após um deslizamento de terra e algumas árvores caírem sobre a pista.

De acordo com informações da Concer, o trecho do Km 100 está parcialmente interditado aguardando a conclusão da análise da encosta. A concessionária informou que o trecho está devidamente sinalizado com pontos de retenção devido ao trafego intenso.

 



Compartilhe:



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior