Edição: segunda-feira, 05/02/2018
Compartilhe:

  Cidade

Conferência de Trânsito

 Aplicativo Vá de Ônibus é lançado oficialmente, assinatura de convênios e apresentação do anuário estatístico da CPTrans marcam o evento

             

 

A 14ª Conferência Municipal de Trânsito e Transportes foi aberta na última sexta-feira (02) e trouxe o anúncio de melhorias para a mobilidade pública de Petrópolis. Dentro do tema “A otimização do transporte coletivo e a melhoria da mobilidade urbana”, foi lançado oficialmente o aplicativo Vá de Ônibus, onde usuários já podem fazer o download para smartphone e saber, em tempo real, qual a exata localização do veículo. Também foi apresentada a proposta de manifestação de interesse do sistema de transportes como o MagLev, além da apresentação do inédito anuário estatístico de acidentes de trânsito. O evento teve continuidade ontem (03), com a Feira de Mobilidade, na Casa de Educação Visconde de Mauá, no Centro.

            Pelo acordo de cooperação técnica assinado entre Prefeitura, CPTrans e Cefet, os estudantes de engenharia da instituição trabalharão no desenvolvimento de tecnologia relacionadas ao trânsito e transportes. “É importante para a instituição essa aproximação que irá oportunizar melhorias para a cidade e ganhos de conhecimento para os alunos”, destacou o diretor do Cefet, Frederico Ferreira de Oliveira. Já a renovação com a Festranspor e Setranspetro será fundamental para o auxílio à companhia na realização de pesquisas, simulados e projetos que deverão beneficiar o trânsito em toda a cidade. Características que, aliás, poderão contribuir para a diminuição do índice de acidentes em Petrópolis, que só em 2016 chegou ao número de 1.797.


Estatísticas de trânsito são apresentadas à população

            O anuário apresentado pela CPTrans durante a Conferência consolida dados de 2016 e é dividido em três partes: a primeira traz os dados da frota de veículos no município nos últimos 15 anos, a segunda mostra a evolução dos acidentes no período de cinco anos a partir de 2012, e a terceira com detalhamento dos acidentes de trânsito ocorridos nos 12 meses de 2016. De acordo com os dados, em Petrópolis os motociclistas estão entre as principais vítimas: dos 1.797 acidentes que ocorreram no ano analisado, eles estão envolvidos em 37% dos sinistros, representando 48% das vítimas totais. Os motociclistas, aliás, representaram 50% das mortes que ocorreram naquele ano, ou seja, nove, do total de 18.

            O documento também mostra que 27% dos óbitos ocorridos em Petrópolis são de vítimas da BR-040. Das cinco pessoas que morreram na rodovia, duas foram por colisão, duas por conta de tombamento de veículos e uma por atropelamento. O anuário aponta a União e Indústria, uma via de cerca de 14Km, como a em que mais ocorre acidentes, mas ao dividir por quilômetro, a via mais perigosa da cidade é a Washington Luiz (via que tem 4Km), seguida da Coronel Veiga e General Rondon.

           Os dados estão também estão à disposição da população no www.petropolis.rj.gov.br/cpt. Vale destacar que o documento é elaborado de um ano para o outro, ou seja, o relatório do último ano será apresentado em 2019. No entanto, uma prévia do Anuário 2017, que está em fase de execução, aponta que, em Petrópolis, houve, ao menos, 54 mortes por conta  de acidentes de trânsito. O número muito superior ao de 2016 leva em conta um dado que até então não estava sendo computado: as mortes pós-cena. O novo método de pesquisa rastreia as vítimas de trânsito que dão entrada em hospitais, mas que não resistem e morrem. E, dados coletados até agora, apontam 34 óbitos desta maneira. Dezoito pessoas morreram na hora em acidentes na cidade, número igual ao de 2016.

Primeira consulta pública para o Plano de Mobilidade Urbana é realizada

             Dentro do que preconiza a legislação, a CPTrans realizou a primeira consulta pública sobre o Plano de Mobilidade Urbana – documento que está sendo elaborado por técnicos da companhia e com o apoio do Comutran. Essa consulta deve ser realizada para esclarecer aspectos do planejamento realizado para que, em futura Audiência Pública, a população esteja abastecida com conhecimentos e informações necessários para poder expressar suas opiniões.

            Para o PlanMob, já foram realizados contagens de veículos em diversas ruas da cidade, pontos de simulação, hierarquização de 3000 vias, replanejamento de itinerários de diversas linhas de ônibus, projetos para obtenção de recursos apresentados a possíveis financiadores e mais de 8Km de faixas seletivas projetadas. Agora, em uma nova fase de planejamento, é necessário que a população colabore realizando uma Pesquisa Origem e Destino, que está disponível no site da CPTrans e também na página do Facebook, CPTrans Informa.

              A Conferência também teve a apresentação da Proposta de Manifestação de Interesse para a implementação do MagLev – equipamento metroviário de tecnologia chinesa, que tem em Petrópolis uma das três cidades do país com capacidade de ser implementado. O documento abre caminho para estudos de possibilidade que poderão trazer mais uma alternativa de transporte público para a cidade, com investimento de recursos da China – cerca de US$ 20 milhões e sem ônus para o município, uma vez que já existe convênio assinado entre o Brasil e o país asiático.

 



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior