Edição: sexta-feira, 13/04/2018
Compartilhe:

  Justiça

Defesa de Paulo Igor entra com pedido de habeas corpus

O advogado do vereador Paulo Igor, Afonso Destri, que está trabalhando em conjunto com a advogada Isabela Selano, vai entrar hoje com um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O presidente da Câmara foi preso ontem e levado inicialmente para a Cidade da Polícia, no Rio de Janeiro, acusado de fraude em licitação e peculato. Logo em seguida, porém, ele foi transferido para a sede da Polinter, também na capital.

- Contra a lei, Paulo Igor foi encaminhado para a Polinter por falta de estrutura da polícia do Estado. Hoje vou entrar com um pedido de habeas corpus no STJ para mostrar a ilegalidade da prisão – disse Destri.

Segundo o advogado, não havia necessidade do decreto de prisão, já que o processo é referente a fatos ocorridos em 2011. Ainda de acordo com ele, o único fato relevante que poderia levar ao pedido de prisão é de que Paulo Igor exerce mandato e é presidente da Câmara, mas, mesmo assim não se pode presumir que ele vá cometer alguma ilegalidade.

- A prisão é o decreto mais duro em um processo, ainda mais em um processo que começou agora e já foram para a pior punição. O fato é muito distante, então não se pode alegar nem que ele poderia destruir provas, pois se tivesse que fazer isso já teria tido tempo. Exerço a profissão há muito tempo e agora estão agindo diferente. Antes havia o processo, a sentença e os recursos e só então se formava culpa. Agora eles dizem: ele é culpado e que prove a inocência - explicou Afonso Destri.

Dinheiro apreendido seria de venda do apartamento

Sobre o dinheiro encontrado na casa do vereador, Destri disse que os valores em reais são provenientes da venda do apartamento do pai do parlamentar, que foi pago uma parte em depósito bancário e a outra em dinheiro. Já os dólares seriam utilizados em uma viagem ao exterior que foi cancelada em função das chuvas que atingiram Petrópolis em março passado.

- Esse dinheiro é lícito e, inclusive, a venda do apartamento seria declarada no Imposto de Renda dele. Vale ressaltar que nada impede que ele tenha dinheiro de recursos próprios que poderiam até mesmo ser utilizado em campanha eleitoral.

Sobre o nome Ronaldão e as siglas LS, WT, SIL e MEI, que estavam anotados em maços de dinheiro, Afonso Destri disse que ainda vai esclarecer com Paulo Igor, mas, reiterou que o montante é lícito.

O advogado disse que o presidente da Câmara alega inocência e que isso vai ser provado durante o processo.



Compartilhe:


Casando com Estilo



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior