Edição anterior (1214):
quinta-feira, 08 de março de 2018
Ed. 1214:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1214): quinta-feira, 08 de março de 2018

Ed.1214:

Compartilhe:

Voltar:


  Diário Comunidades

Demora em conclusão de obras causam indignação a moradores do Caxambu

Natália Rodrigues natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br

Mais uma vez, os moradores do Caxambu cobram o retorno das obras do novo posto de saúde do bairro que estava sendo construído onde era anteriormente a Escola Municipal Senador Mário Martins, conhecido como colégio CDL, na Rua Flávio Cavalcanti. O prédio foi inaugurado em 2016, mas meses depois os serviços foram paralisados. Em agosto do ano passado, o atual governo informou que a reforma do local entraria no cronograma para 2018, mas até o momento nada foi anunciado.

A advogada Silvana Iara Oliveira Perdigão reside no bairro há 10 anos e explicou que o prédio já foi saqueado e janelas e portas foram destruídas.

- O bairro está abandonado à própria sorte, a obra já está parada há anos e ninguém tem previsão do retorno. Infelizmente já saquearam e destruíram alguns materiais, janelas e portas. Tem tanto mato e entulho na entrada que não conseguimos passar na passarela do posto para ver as condições atuais - disse.

Inicialmente o posto seria construído para facilitar a vida dos moradores que residem na parte de baixo do bairro, e ainda iria desafogar o atendimento o PSF Dr. Rubens de Castro Bomtempo, que fica na localidade do Santa Isabel, pois a região é muito populosa e é grande a espera no atendimento.

- Quem mora aqui na parte de baixo tem que ir até no Santa Isabel para ser atendido, é muita gente para um único posto. E para nós é muito longe, tem pessoas que não podem andar e são obrigadas a pagar passagem para ir ao médico e caso já tivessem inaugurado esse novo não teríamos que passar por esses transtornos – contou.

O acúmulo de lixo e sobras de materiais de construção no prédio aumentam a incidência de ratos e outros animais peçonhentos no local.

Outra questão que tem causado indignação é a demora no término das obras do Centro de Iniciação Esportiva, localizado também na mesma rua que foi iniciada em agosto de 2016 no valor total apresentado de R$ 3.331.144,00, mas ainda não foi concluída. Em outubro, a Prefeitura chegou a informar que 80% da obra estavam concluídos, mas passados quase cinco meses ainda não foi inaugurado.

A advogada contou que antigamente no local era um campo para as crianças brincarem, mas com as obras, elas não têm onde brincar. Vizinhos do prédio denunciam os problemas surgidos junto com a construção, o primeiro deles é a falta de escoamento da água. O prédio foi construído em um vale, fator que favorece o acúmulo de água na área, porém em dias de chuvas fortes os bueiros não dão vazão para a grande quantidade.

- Sinto-me entristecida ao ver que nada é feito. Nossas crianças não tem um parquinho, simples desses feitos em madeira, e temos esse prédio todo fechado, sem utilidade nenhuma, com pessoas que enrolam o dia todo lá dentro. Tem uma média de 20 funcionários que ficam o dia todo lá, há pelos menos 10 meses, não fazendo quase nada, levaram cinco semanas para pintarem duas paredes externas – disse.

Questionada pelo Diário de Petrópolis, até o fechamento desta matéria, a Prefeitura não emitiu nota sobre o caso.



Edição anterior (1214):
quinta-feira, 08 de março de 2018
Ed. 1214:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1214): quinta-feira, 08 de março de 2018

Ed.1214:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior