Edição anterior (1360):
quarta-feira, 01 de agosto de 2018
Ed. 1360:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1360): quarta-feira, 01 de agosto de 2018

Ed.1360:

Compartilhe:

Voltar:


  VACINA

Distribuição da vacina contra a meningite será regularizada em agosto

Os estoques da vacina, cuja entrega do mês de julho, representaram somente 36% da cota mensal, esgotaram em todas as unidades do município

Yuri Lima yuri.lima@diariodepetropolis.com.br

O Ministério da Saúde informou que a distribuição da vacina meningocócica C, usada para prevenir doenças como a meningite e a sepse, será regularizada em agosto. Atualmente a vacina está sendo entregue aos estados de forma reduzida por atrasos do laboratório produtor, a Fundação Ezequiel Dias (FUNED).

Para os municípios que estão com estoque reduzido, o Ministério da Saúde orienta a realização do agendamento da vacinação, de acordo com as disponibilidades das doses.

Segundo o pediatra, infectologista e diretor da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase), Paulo César Guimarães, a meningite meningocócica C é a mais comum no Brasil, porém, sem relatos de uma crise epidêmica, o atraso da distribuição não terá reflexos negativos.

- A vacina meningocócica C é muito importante, principalmente por tratar do sorotipo C, o mais comum entre as meningites. Atualmente, existe também a vacina ACWY, que previne todos os tipos diferentes da doença, porém só está disponível na rede particular e tem um alto custo – explicou.

Segundo o especialista, a redistribuição e a disponibilidade da vacina é importante. Porém, é necessário que as pessoas busquem a vacinação. Além disto, Paulo César declara que a vacina brasileira é um exemplo para todo o mundo.

- Existem campanhas hoje contra a vacinação, algo que é um grande absurdo. A utilização das vacinas evitam doenças graves. Não se deve temer as vacinas, devemos temer as doenças – afirmou.

A transmissão da meningite meningocócica C se faz através da via oral, por intermédio da tosse, espirros ou o compartilhamento de copos com pessoas que foram diagnosticadas com a doença.

Segundo a Prefeitura, a disponibilização da vacina está sendo feita sob demanda espontânea, sem necessidade de agendamento. O município aguarda, no entanto, a regularização da reposição da vacina Meningocócica C, que está irregular em todo o país. Os estoques da vacina, cuja entrega do mês de julho, representaram somente 36% da cota mensal, esgotaram em todas as unidades.

A vacina Meningocócica C (conjugada) faz parte do Calendário Nacional de Vacinação, sendo administrada aos três meses e aos cinco meses, com reforço aos 12 meses. Para crianças que não receberam o reforço aos 12 meses, a vacina poderá ser administrada até os 4 anos de idade.

Campanha de vacinação contra a pólio e sarampo

A nova Campanha Nacional de Vacinação Contra a poliomielite e sarampo começa na próxima segunda-feira (6), e vai até o dia 31/08. O público-alvo da campanha é de aproximadamente 811,8 mil pessoas no Rio de Janeiro. Em todo o país, 11,2 milhões de crianças devem ser vacinadas. Todas as crianças de um ano a menores de cinco do país devem se vacinar contra a pólio e sarampo, independente da situação vacinal. O dia D de mobilização nacional será sábado, 18 de agosto, quando os mais de 36 mil postos de vacinação no país estarão abertos ofertando as vacinas

Em julho, o Ministério da Saúde alertou sobre a possibilidade de um surto da poliomielite no país. Em Petrópolis, o índice de vacinação é de 78%. Em 2017, o público-alvo vacinado foi de 71%. Ainda no último mês, também houve diagnóstico de sarampo no Estado do Rio de Janeiro, com a confirmação de dois casos no início do mês. A principal forma de prevenção da doença é a vacinação. O tratamento da doença é feito para cada sintoma apresentado pelo enfermo.

importância da vacinação a aposentados e pensionistas é tema de palestra

A importância da vacinação foi uma das questões abordadas na palestra realizada pelo Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público do Município de Petrópolis (INPAS), na manhã desta terça-feira (31). Com o tema “Epidemias e formas de controle”, o encontro foi ministrado pela médica, especialista em saúde comunitária, Margarida Machado Gomes, na Casa Cláudio de Souza, em frente à Praça da Liberdade.

 O ponto principal da palestra foi esclarecer e desmistificar mitos e mal-entendidos sobre as vacinas, além de conscientizar sobre o objetivo da imunização na prevenção de doenças graves.

- Adesão dos idosos na vacinação e o entendimento sobre cada vacina é muito importante. A partir desta compreensão eles se tornam agentes disseminadores desses benefícios para os familiares e amigos. Os idosos têm receio em tomar vacinas, devido a mal-entendidos propagados por diversas pessoas do seu convívio. É importante esclarecer e desmistificar que a vacina não propicia gripe a eles, mas previne que elas evoluam para uma pneumonia, por exemplo - explicou a médica Margarida Machado Gomes, especialista em saúde comunitária.

 



Edição anterior (1360):
quarta-feira, 01 de agosto de 2018
Ed. 1360:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1360): quarta-feira, 01 de agosto de 2018

Ed.1360:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior