Edição: terça-feira, 10/07/2018
Compartilhe:

  Incêndio

Em uma semana, incêndios consumiram 109 hectares de mata em Petrópolis

Vitor Garcia – Especial para o Diário

 

O período de estiagem vai de junho a outubro, se tornando propício ao maior índice de queimadas. Em Petrópolis, em apenas uma semana foram registrados 109 hectares de vegetação atingida, que equivale a 109 campos de futebol. Uma aeronave do Grupamento de Operações Aéreas (GOA) chegou a ser utilizada para fazer lançamentos de água e controlar os focos de incêndio em áreas de difícil acesso, nos últimos dias.

Neste domingo (8), os trabalhos do Corpo de Bombeiros começaram às 9h40, quando controlaram as chamas no “Morro do Ventania”, no Caxambu, e no Castelo São Manoel, em Corrêas.

- Quatro militares conseguiram extinguir o fogo, que atingiu 50m² no Caxambu, que pode ter sido conseqüência da soltura de um balão. Ainda pela manhã, às 10h40, nossas equipes atenderam a uma ocorrência de incêndio florestal em Corrêas, que resultou em 15 hectares de área queimada – contou Ramon Camilo, comandante do 15º Grupamento de Bombeiros Militar.

Outras regiões foram atingidas pelas chamas em sete dias. No dia 1º de julho, equipes combateram à queimada que atingiu a cinco hectares, no Quitandinha. No mesmo dia, um grande incêndio devastou 52 hectares de uma área de vegetação no bairro Bonfim, que inclui parte do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso). Na ocasião, foi preciso a utilização de um helicóptero, que conseguiu controlar o fogo no dia seguinte.

Na tarde do dia 2 de julho, uma queimada foi registrada em Pedro do Rio. Os bombeiros foram acionados às 14h59 e quatro agentes foram ao local combater as chamas. Cerca de 30 hectares foram devastados. Por último, no dia 6, um foco de incêndio em área de vegetação foi registrado na Rua Henrique Paixão, no Floresta. A área destruída foi de aproximadamente sete hectares.

Conscientização

A população deve estar atenta aos cuidados ao realizar a limpeza de um terreno. É proibida a limpeza de áreas com a utilização do fogo, assim como a queima de lixo orgânico. Não se deve jogar guimbas de cigarro próximo a áreas de vegetação, para que não haja possibilidades de propagação do fogo. O Corpo de Bombeiros ainda alerta a não soltura de balões e fogueiras em áreas de mata. Com as queimadas, se perde a biodiversidade.



Compartilhe:

Casando com Estilo







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior