Edição: terça-feira, 07/11/2017
Compartilhe:

  Geral

Enem: alunos avaliam primeiro dia de prova em Petrópolis


Vitor Garcia - vitorgarcia@diariodepetropolis.com.br

Cerca de sete mil pessoas participaram no domingo (5), do primeiro dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em Petrópolis. Com questões de múltipla escolha, de linguagens e ciências humanas, além da redação, que teve como tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, os participantes tiveram 5h30 para finalizar a prova. O segundo dia será neste domingo (12), com questões de matemática e ciências da natureza.

Almejando uma vaga em universidade federal, Bianca Ferreira, de 20 anos, apontou algumas dificuldades encontradas durante a prova.

- Conversando com alguns amigos, chegamos a conclusão que o tema da redação foi bem específico, o que acabou dificultando um pouco. Porém, um dos maiores problemas foram os textos grandes e enunciados tendenciosos. Ainda assim, acredito que foi uma prova boa e espero ter ido bem – disse.

Treinando no ano passado e fazendo oficialmente dessa vez, a estudante Kathleen Alves, de 18 anos, afirma ter feito a prova sem nenhum tipo de problema.

- O Enem é muito cansativo, mas, tirando isso, não foi nada demais. O tema não foi algo que esperava de imediato, entretanto, um assunto muito bom de ser abordado – contou.

As primeiras provas deste ano terminaram com 273 participantes eliminados. Em 2016, ao final do primeiro dia, o Exame já registrava 3.942 eliminações, e outras 4.780 no segundo dia. A aplicação tranquila e sem ocorrências graves legitima a ampliação e a diversificação da estratégia de segurança adotada a partir desde ano.

Acessibilidade e abstenções chamam a atenção

O ministro da Educação, Mendonça Filho, disse ontem (6) que o Ministério da Educação (MEC) busca a ampliar acessibilidade e políticas de afirmação de surdos. Segundo ele, está incluída na proposta da Base Nacional Comum Curricular, a formação adequada de professores, “para que a gente possa ter uma política pública cada vez mais inclusiva, respeitando a condição específica dos surdos ou daqueles que têm deficiência auditiva no nosso país".

Para Mendonça Filho, a língua brasileira de sinais (Libras) precisa ser cada vez mais incorporada na política educacional brasileira. Por isso, desde 2013, em parceria com a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), o Ines disponibiliza conteúdo audiovisual acessível ao público surdo e aulas de Libras, por meio da TV INES .

Ainda em entrevista, o ministro da Educação ressaltou o número de abstenções no primeiro dia de provas do Enem seguiu os patamares de anos anteriores, sendo 30,2%. Entretanto, para ele, é preciso reduzir esse número.

- Preparamos o exame para 6,7 milhões de inscritos e não tivemos todos eles comparecendo à prova. Isso significa um desperdício. Se alguém tem uma motivação de força maior ou de doença é compreensível, mas outros que se inscrevem e não comparecem por razão mais banal, não é razoável. Estamos aplicando cerca de R$ 90 por prova e isso é dinheiro tirado do contribuinte.

No estado do Rio de Janeiro, o número de ausentes chegou a 29,6%, que representa 130.490 inscritos de um total de 440.844.



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior