Edição anterior (1279):
sábado, 12 de maio de 2018
Ed. 1279:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1279): sábado, 12 de maio de 2018

Ed.1279:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Fernando Costa
COLUNISTA

 

 

Dr. Machado, 104º aniversário de nascimento!

Existe incontáveis nomes a ornar o Cânon Celestial.  São as almas virtuosas, exemplos de vida, dentre elas Jorge Ferreira Machado. Jesus Cristo tantas vezes nos conclama a sermos santos. A Igreja todos os dias nos direciona a trilharmos esse caminho. E Jorge, elegante, prudente, voz pausada, calmo, competentíssimo, querido e respeitado por nossa comunidade fez por merecer um lugar entre os Anjos do Senhor. Este Dândi trouxe à luz dezenas de crianças, hoje homens a povoar o universo de personalidades do mundo cultural e social nos mais diversos setores. Cumpriu a bela missão com o mesmo zelo, sapiência e conceito, clinicando,realizando cirurgias, proferindo conferências, escrevendo livros, teses, arrazoados, mercê de sua rica lavra cultural e prestígio nos mais diversos matizes. São inúmeras as histórias na senda de serviços prestados cuidando com amor e abnegação dos pacientes, levando o remédio, alento e fé a tantos quantos o procuravam. Fez de sua profissão um sacerdócio. Bom e amigo. Não faltava a missa das 11h30m aos domingos na Catedral de São Pedro de Alcântara, fizesse chuva ou fizesse sol. Tive o privilégio de “conduzir o sol pelas mãos.” Era rara joia. Não poderia ser traído por um paralelepípedo, degrau ou meio fio. Eu gostava de estar alerta e me alegrava em receber seus conselhos e ouvir seus depoimentos. E me reconfortava em ser depositário de tanta confiança e carinho. Ele, mais pai que amigo gostava de trocar ideias e de ouvir minha opinião. Pura generosidade. As pessoas o tocavam “era para que passasse um pouco de santidade a eles”, diziam. Viúvo da Sra. Helyeth Leal Machado, com quem foi casado por mais de meio século e de cujo enlace trouxe à luz os filhos Marta Maria Machado Soares, Maria Helena Leal Machado, Cláudia Leal Machado, Maria Leonor Machado Vilela e Benedicto Jorge Ferreira Machado (in memoriam), que lhe deram belos netos e bisnetos. Dr. Machado era modelo como profissional, esposo e pai.  Nasceu na Cidade de Salvador - Bahia em 12-05-1914. Filho de Arthur Ferreira Machado e Maria Idalina Almeida Machado. Além de clinicar e cumprir compromissos acadêmicos e familiares encontrou tempo para, comigo, realizarmos no Instituto Teológico Franciscano o curso de Teologia e aprofundamento. Suas virtudes morais e intelectuais são evidentes, deixando marcas indeléveis, junto à história da Imperial Cidade e em nossos corações. Inúmeros foram os nosocômios por onde passou e exerceu a medicina com regularidade, dedicação e eficiência. Não havia hierarquia em sua clientela, tanto o operário, quanto a nobreza sempre receberam de Dr. Machado igual tratamento e denodo, seguindo à íntega do juramento feito há mais de 70 anos. Era o médico do Clero. E se orgulhava dessa tarefa.  Dr. Machado foi um amigo devotado, mestre maior, dos melhores, marco cintilante na constelação dos grandes astros de Petrópolis, da terra fluminense, por que não do Brasil? Síntese de grandeza humana, sobriedade e retidão de caráter.  Centésimo quarto aniversário!  Sem alardes, laúzas ou matinadas, mas, orações e contrição. A data foi  marcada com a Sagrada Eucaristia. Seu vasto curriculum nacional e internacional o consagrou. O maior galardão é o lugar cativo aos pés do Deus Uno e Trino sob proteção de Maria Santíssima. Assim o reverenciamos na certeza de que a morte só se concretiza quando apagamos de nossos corações aqueles a quem amamos. Cum Christo et Mariae in Pace!

 



Edição anterior (1279):
sábado, 12 de maio de 2018
Ed. 1279:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1279): sábado, 12 de maio de 2018

Ed.1279:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior