Edição anterior (1336):
domingo, 08 de julho de 2018
Ed. 1336:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1336): domingo, 08 de julho de 2018

Ed.1336:

Compartilhe:

Voltar:


  Ambiente

Fiscalização atendeu 1.500 denúncias de crimes ambientais em 18 meses

A maioria dos casos são de desmatamento e de queimadas

Na última operação realizada, os fiscais autuaram o dono de um terreno em Itaipava por colocar fogo em lixo verde

 

O setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente atendeu 1.500 denúncias em 18 meses de trabalho. Neste período foram entregues 180 multas e 380 notificações. Em janeiro deste ano, os fiscais passaram a contar com o auxílio de um drone, que já realizou 152 horas de sobrevoo em atendimentos aos chamados de crimes ambientais.No último dia 4 de julho, os agentes flagraram o dono de uma propriedade no quilômetro 60 da BR-040 queimando lixo verde proveniente da limpeza do terreno. Ele foi autuado e vai responder pela infração ambiental praticada.

 

De todos os casos atendidos pelo setor desde o início do ano passado, cerca de 47% são de desmatamento. Outros 21% foram de queimadas. A preocupação dos fiscais é o aumento do número de casos de fogo em vegetação durante o período de estiagem. As queimadas causam a erosão do solo, o que pode provocar deslizamentos de terra no período de fortes chuvas.

 

"A queimada causa o empobrecimento do solo em virtude da perda de nutrientes importantes, além da poluição atmosférica em virtude da fumaça, que ocasionando, inclusive, problemas respiratórios. Acontece o desequilíbrio da fauna em virtude dessa prática nociva, além é claro, do risco de causar incêndio grandes proporções", explica Miguel Fausto, chefe do setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente.

Também são comuns os atendimentos de invasões de áreas de preservação e despejo irregular de entulho. Obras realizadas sem as licenças necessárias também fazem parte da lista de infrações denunciadas. Por conta da demanda, o setor organiza um cronograma de visitas na cidade e também a partir de denúncias, fazendo vistorias em locais apontados pelos reclamantes.

“Nossa prioridade é proteger as áreas verdes do município. Por isso, disponibilizamos um número de celular que funciona 24 horas, todos os dias da semana, para recebermos as denúncias. São casos de supressão de vegetação, poluição de curso hídrico, contaminação de solo, empresas funcionando sem licença ambiental e alvará, além de queimadas”, garante Fred Procópio, secretário de Meio Ambiente.

Os telefones para denúncias são o (24) 2233-8180 e (24) 98828-8633. A população também pode ir na Secretaria de Meio Ambiente, que fica no Centro Administrativo, na Av. Barão do Rio Branco, 2.846 – Centro. O horário de funcionamento é de 9h às 18h, de segunda a sexta.

 

Drone é a ferramenta de suporte aos atendimentos da fiscalização

O drone da Secretaria de Meio Ambiente vem sendo bastante utilizado no atendimento às ocorrências pelos fiscais. O equipamento permite um alto nível de detalhamento do solo, facilitando o trabalho dos agentes e dos técnicos da pasta. Em seis meses de uso, foram 152 horas de sobrevoo. O órgão municipal aproveita os benefícios para agir de maneira antecipada.

“A partir do primeiro registro com o drone, os agentes ambientais conseguem intensificar as ações em todo o município, aprimorando as ações com o objetivo de identificar e responsabilizar os infratores de forma mais rápida. Também é realizado o sobrevoode áreas de difícil acesso, em que a fiscalização teria dificuldade em chegar”, explica Fred.

Outro benefício é o custo das operações realizadas: o equipamento é uma alternativa muito mais barata e eficiente. O trabalho de mapeamento, por exemplo, normalmente é realizado por helicópteros tripulados e não garante imagens aproximadas, por conta da instabilidade da aeronave. A ferramenta permite uma visão mais ampla do habitat dos animais ou das áreas de preservação, o que os tornam mais eficazes no envio de informações.

"A fiscalização das áreas verdes tem obstáculos técnicos pelas dimensões e pela necessidade de precisão. O drone apresenta, até o momento, bons resultados quando adotados para acompanhamento de áreas reflorestadas e de mata coberta", garante o secretário.



Edição anterior (1336):
domingo, 08 de julho de 2018
Ed. 1336:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1336): domingo, 08 de julho de 2018

Ed.1336:

Compartilhe:

Voltar:

Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior