Edição anterior (1364):
domingo, 05 de agosto de 2018
Ed. 1364:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1364): domingo, 05 de agosto de 2018

Ed.1364:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Grupo Passinho da Serra - GPS

O primeiro grupo de dança da Região Serrana

Natália Rodrigues natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br


 Em busca de espaço e reconhecimento da dança, 25 dançarinos das cidades de Petrópolis, Teresópolis e São José do Vale do Rio Preto, uniram-se e criaram a primeira companhia de passinho da Região Serrana do Rio de Janeiro, o Grupo Passinho da Serra, ou simplesmente GPS. O passinho é caracterizado por sequências de rápidos movimentos com os pés, que são facilitados por rápidos movimentos com a cintura, mistura elementos de break e funk com ritmos tradicionais do Brasil. Foi considerado patrimônio imaterial chegando a participar da abertura das Olimpíadas de 2016 realizada no país.

Em 2009, o movimento teve uma vitória com a aprovação da lei estadual 5543, que oficialmente reconhece o estilo como um movimento cultural e proíbe a descriminação contra o funk.

A ideia de criação de um grupo partiu do coreógrafo, professor e produtor Marcelo Cruz, que trabalha com cultura urbana desde 1999. Atuando ainda como educador social e dançarino em escolas, creches, academias, organizações filantrópicas em toda a região serrana e em países da Europa.

- O projeto passinho surgiu aqui da região serrana em 2017. Fizemos a primeira batalha na casa de cultura de Teresópolis. Na ocasião, foram convocados três dançarinos, os primeiros colocados da competição, mas tive que interromper a proposta que era de rodar pela região serrana, pois fui passar uma temporada na Europa. Quando retornei no final do ano, reorganizei esse percurso da batalha, que voltou esse ano - disse.

A segunda batalha aconteceu em Petrópolis, no dia 30 de junho, no Centro de cultura Raul de Leoni com vários participantes incluindo crianças à partir de sete anos à jovens até 20.

- Foram classificados outros três da categoria infantil-juvenil, da batalha de passinho surgiu então a possibilidade de concretizar o que eu havia pensado, montar o primeiro grupo de passinho dessa região. Percebi que não existe um movimento organizado para passinho. Então convidei os participantes classificados nessas cidades e eles aceitaram a proposta, o desafio de se reunir para gente lançar o projeto GPS - falou.

Marcelo explica que o passinho é a primeira dança urbana brasileira, porque as danças conhecidas até hoje são de origem e nomenclatura estrangeira.

- Sou professor há 20 anos de street dance, os nomes são americanos, a nomenclatura é americana, mas o passinho não, ele veio para mudar tudo isso, é a primeira dança urbana brasileira, inclusive ela já é patrimônio imaterial - contou.

Apesar de trabalhar muitos anos com os jovens, o grupo só foi criado no final de junho deste ano. Por falta de espaço para ensaiar, todos os sábados a partir das 8h30, os 15 dançarinos, entre meninos e meninas de Petrópolis praticam a dança na Praça da Liberdade.

- O ideal seria termos um espaço para ensaiar, mas como ainda não temos realizamos nossos ensaios no coreto da praça da Liberdade, todos os sábados das 08h30 às 12h. No momento não estamos dando aula ainda, é algo que penso, mas só no futuro. Espero que com a divulgação maior do nosso trabalho, mais dançarinos se interessem e se juntem a nós nessa ideia - falou.

O professor relata que um dos ideais do projeto é quebrar o preconceito que as pessoas tem em relação ao ritmo funk e o estilo de dança. E acrescenta que quem deseja trabalhar com ele e participar do grupo precisar seguir algumas regras essenciais.

- Quando somos visados, somos o exemplo e quero passar para eles o bom exemplo, somente coisas boas. O dançarino que quer se unir a nós tem que estar estudando, sou muito metódico quanto a isso. Não tolero no meu meio, bebidas alcoólicas, cigarro e usar drogas. Quando o jovem me procura, logo no início passo o meu modo de vida e de trabalho, se não aceitar do meu jeito não trabalhará comigo. Aprendi essas diretrizes durante todos os anos que convivo com jovens. Sou responsável pela vida deles, mesmo que tenham 20 anos. Além disso, não aceito musicas pornográficas ou que fazem associação a algo errado, quero tirar eles disso, essa é a minha proposta - concluiu.

Projetos futuros

Segundo o produtor, os próximos passos incluem conseguir apoio cultural e divulgar mais o trabalho em Petrópolis e em outras cidades. No dia 10 de agosto, às 18h, o grupo fará uma apresentação na Praça da Inconfidência, durante a abertura da Semana da Juventude da Prefeitura.

- O meu intuito é conseguir um espaço para ensaios e posteriormente montar a companhia de dança. Precisamos também obter apoio cultural para realizar as viagens, vamos para Guapimirim e Nova Friburgo, então precisamos de apoio em relação à alimentação e transporte para o grupo. Aproveitaremos o evento do dia 10 desse mês para lançar a primeira companhia de passinho da Região Serrana do Rio de Janeiro  - disse.

Além disso, uma nova apresentação está confirmada para o dia 1º de setembro no Teatro Dom Pedro, no Centro. Eles farão a abertura do espetáculo de dança em homenagem ao cantor Michael Jackson.

- Foi algo conquistado recente, o grupo irá dançar as músicas do Michael Jackson em ritmo de passinho, algo inédito até hoje - relatou.

 



Edição anterior (1364):
domingo, 05 de agosto de 2018
Ed. 1364:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1364): domingo, 05 de agosto de 2018

Ed.1364:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior