Edição anterior (1327):
sexta-feira, 29 de junho de 2018
Ed. 1327:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1327): sexta-feira, 29 de junho de 2018

Ed.1327:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Homenagens marcam o Dia do Colono Alemão

 

 

A chegada dos primeiros colonos alemães em Petrópolis, há 173 anos, foi comemorada no feriado desta sexta-feira (29), com homenagens pela manhã no Obelisco e no monumento Koeler, e ainda com um culto ecumênico nos jardins do Palácio de Cristal – o coração da Bauernfest, que vai até domingo (1º.07). O prefeito Bernardo Rossi homenageou as famílias dos colonizadores da cidade e lembrou a tradição e as origens que marcaram a fundação do município. As solenidades contaram com a presença da presidente do Clube 29 de Junho, Emygdia Hoelz, e a presidente da Associação dos Grupos Folclóricos Alemães de Petrópolis, Isis Barreto Jader.

            “É muito importante relembrar e valorizar as nossas tradições. Enaltecer quem contribuiu e continua contribuindo para o futuro da nossa cidade. Nós demos muita sorte, com essa história, com a contribuição dos braços fortes dos imigrantes, e com o trabalho desse homem visionário que foi responsável por trazer os colonos pra cá, o major Júlio Frederico Koeler. Ele foi muito visionário quando decidiu trazer seus conterrâneos. Eles chegaram aqui e se dedicaram a construir um ideal. É importante sim pensar no desenvolvimento, mas é mais importante ainda pensar na preservação dessa história”, destaca Bernardo Rossi

            No Obelisco, monumento que marca o primeiro centenário da elevação de Petrópolis à categoria de cidade e também faz uma homenagem aos colonos, as famílias dos descendes daqueles que ajudaram a construir o município receberam os agradecimentos. Entre os homenageados estavam os descendentes Antônio Pedro Schmidt, Venyr Irene Voigt Schimidt e Sylvia Isabel Tannenbaum. “Tenho muito orgulho de receber essa homenagem em nome do meu pai. Nem dormi essa noite de ansiedade. Tenho muito orgulho da cidade”, disse Sylvia.

            As solenidades também se estenderam ao monumento Koeler, na Praça Princesa Isabel, onde estão os restos mortais do major alemão. Lá, a associação dos grupos folclóricos prestou homenagens póstumas ao descendente de colonos Décio José Kronemberger, que fez parte de quatro grupos dedicados ao folclore e era entusiasta da preservação da cultura germânica em Petrópolis. “Ele era um exemplo mais do que evidente do que é a garra do povo alemão”, frisou a presidente da Agfap.

            A manhã de homenagens foi encerrada com um culto ecumênico nos jardins do Palácio de Cristal.  O local, que na época da colonização era conhecido como a Praça Koblenz (Praça da Confluência), era ponto de encontro dos colonos e onde eles dividiam os momentos festivos das famílias. O culto contou com a presença do bispo diocesano da Igreja Católica, Dom Gregório Paixão, e o pastor da Igreja Luterana, Elton Pothin.

Falando em Palácio de Cristal, ele está recebendo também a 29ª Bauernfest. A Festa do Colono Alemão vai até domingo (1º.07), com comidas típicas, chope, danças folclóricas, grupos de música alemã e muita tradição germânica pra comemorar a colonização de Petrópolis.

 



Edição anterior (1327):
sexta-feira, 29 de junho de 2018
Ed. 1327:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1327): sexta-feira, 29 de junho de 2018

Ed.1327:

Compartilhe:

Voltar: