Edição: terça-feira, 03/07/2018
Compartilhe:

  Incêndio

Incêndios destroem aproximadamente 56 hectares no Bonfim

Daniela Curioni - especial para o Diário

 

Um grande incêndio atingiu uma área de vegetação no bairro Bonfim no último domingo (1). Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a área destruída foi de aproximadamente 51 hectares, o equivalente a 51 campos de futebol, incluindo parte do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso). Já no início da tarde de domingo, equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para combater mais um incêndio, dessa vez, na Pedra do Quitandinha, onde foi destruída uma área de mais ou menos cinco hectares.

De acordo com o coronel Ramon Camilo, comandante do Corpo de Bombeiros, não houve feridos e a principal suspeita é que os incêndios tenham começado com a queda de balões.

- As equipes que trabalharam  até às 19hde domingo no combate,  conseguiram dissipar os focos, mas na manhã de segunda-feira (2), novos focos apareceram no local. Estamos operando no  combate com 16 militares. O local é bastante alto e de difícil acesso - disse o comandante.

Uma aeronave do Grupamento de Operações Aéreas (GOA) foi utilizada para fazer lançamentos de água e controlar os focos de incêndio em áreas de difícil acesso.

Além dos incêndios no Bonfim, uma queimada foi registrada em Pedro do Rio na tarde de ontem (2). O Corpo de Bombeiros foi acionado às 14h59 e quatro agentes foram ao local combater as chamas.

Alerta para riscos de incêndios florestais

Durante o ano, o período com maior índice de queimadas vai de junho a outubro, onde é preciso que as pessoas tomem precauções ao frequentar locais com mata e outras formas de vegetação, independentemente de ser reserva, parque ou propriedades particulares.

O comandante do  15º GBM,alerta sobre os cuidados necessários para que não se inicie um incêndio florestal, que poderá ser desastroso para o meio ambiente, causando danos às propriedades rurais e urbanas além do perigo de ocasionar vítimas fatais.

Soltar balão é crime

O ato é pernicioso, pois coloca em risco as aeronaves, dificultando ou até inviabilizando a navegação aérea. Por isso, é considerado crime conforme estabelecido no art. 261 do Código Penal. Além disso, a atividade se enquadra como crime ambiental, de acordo com o art. 42 da Lei 9.605/98, porque pode ocasionar incêndios em áreas florestais e urbanas.

Desde 13 de fevereiro de 1998, fabricar, comercializar, transportar ou soltar balões são ações criminosas, passíveis de punição, que pode chegar a três anos de detenção, conforme a lei federal 9.605 (Lei de Crimes Ambientais).  A população deve denunciar através dos números 193 e 190, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, para que respectivamente essas autoridades possam tomar as devidas providências.

Evitar fazer fogueiras

O Corpo de Bombeiros lembra que atear fogo em unidades de conservação como: parques nacionais, estaduais ou municipais é expressamente proibido em qualquer época do ano, ou seja, quem acender fogueira está sujeito à punição. A Lei n. 9.605 /98, que dispõe sobre condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. A pena é reclusão, de dois a quatro anos, e multa.

Cuidados durante acampamento e travessias

Nunca faça chamas no interior de uma barraca de camping; Leve sempre as refeições já preparadas;  Evite fumar na floresta ou em locais densamente arborizados;Mantenha fora do alcance das crianças, isqueiros ou fósforos.

Os bombeiros ainda alertam para o perigo de jogar uma ponta de cigarro acesa em locais cobertos por vegetação. O ato pode iniciar um incêndio.

Em caso de incêndio florestal, avisar de imediato o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Nunca tente combater um incêndio sozinho.



Compartilhe:

Casando com Estilo



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior