Edição: segunda-feira, 16/04/2018
Compartilhe:

  Economia

Média salarial de Petrópolis é a 14ª do Estado

Resultado é o melhor da região serrana; no entanto, resultado aponta para realidade ainda distante de outros municípios

Philippe Fernandes


 Nesta semana, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o rendimento mensal médio domiciliar per capita em 2017 foi de R$ 1,27 mil. A região Sul apresentou o maior valor, de R$ 1,56 mil; e a região Norte, o menor, de R$ 810. Quando se olha para dentro do Estado do Rio, Petrópolis ainda tem muito para avançar neste sentido: a cidade tem a 14ª maior média salarial do Estado.

Em média, os trabalhadores petropolitanos recebem 2,4 salários mínimos, de acordo com o IBGE. Isso coloca a cidade à frente dos demais municípios da Região Serrana: em Teresópolis, a média é de 2,3 salários mínimos; em Friburgo, de 1,9. Nas cidades próximas, de menor porte, a média também é inferior à de Petrópolis: em Levy Gasparian, a média é de 2,2 salários mínimos; em Paraíba do Sul e Três Rios, de dois salários; em São José do Vale do Rio Preto, 1,9 salário; e em Areal, 1,7.

Petrópolis está no mesmo patamar de municípios da Baixada Fluminense, como Belford Roxo e Queimados. O mesmo índice também é encontrado no município de Piraí, no sul fluminense.

No entanto, outros municípios do interior pagam salários mais altos, como Campos dos Goytacazes (2,6) e Volta Redonda (2,5); e até de cidades menores, como Porto Real (município localizado na região Sul, onde está localizada a fábrica da Peugeot-Citroën), que tem média de 3,8 salários mínimos; e a vizinha Resende, com índice de 3,1.

No Estado, a cidade com a maior média é Macaé, com 7,5 salários mínimos em média. Em seguida, vem a cidade do Rio, com média de 4,3 salários; Rio das Ostras e Angra dos Reis, ambas com 3,9.

Serviços industriais pagam melhores salários

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, durante o ano de 2017, o maior salário médio de admissão em Petrópolis foi no setor de serviços industriais, com R$ 4,2 mil. Em seguida, vem a construção civil, com soldos de R$ 1.480,69; a indústria da transformação, com salários de R$ 1.404,20; o setor de serviços, com média de R$ 1.365,13; o comércio, com valor de 1.212,86; e a extrativa mineral, com salário médio de admissão de R$ 1.108,86.

As profissões com os melhores salários são para diretores de empresas, com média de R$ 41,2 mil; gerente de produção e operações, com salário médio de R$ 14,7 mil; e engenheiro de produção, que ganha cerca de R$ 8,1 mil.

De acordo com o Caged, um advogado ganha, mensalmente, cerca de R$ 3,5 mil; um professor de cursos livres, R$ 1,8 mil; um professor de nível superior do Ensino Fundamental, R$ 1,7 mil. Um pedreiro ganha, em média, R$ 1,65 mil mensais, e um gerente de loja ou supermercado, R$ 1,6 mil.

Desigualdade social

Em 2017, os 10% da população brasileira com os maiores rendimentos detinham 43,3% da massa de rendimentos do país, enquanto a parcela dos 10% com os menores rendimentos detinha 0,7% desta massa. As pessoas que faziam parte do 1% da população do país com os maiores rendimentos recebiam, em média, R$ 27.213, em 2017. Esse valor é 36,1 vezes maior que o rendimento médio dos 50% da população com os menores rendimentos (R$ 754). Na região Nordeste essa razão foi de foi 44,9 vezes e na região sul, 25 vezes.

Em 2017, as pessoas que tinham algum rendimento (de todas as fontes) recebiam, em média, R$ 2.112,00 contra R$ 2.124,00 em 2016. Em termos regionais, o Centro-Oeste registrou o maior valor (R$ 2.479,00) e o Nordeste (R$ 1.429,00), o menor.

 

Números

Média salarial das cidades do Rio

1º - Macaé - 7,5

2º - Rio de Janeiro - 4,3

3º - Rio das Ostras e Angra dos Reis - 3,9

4º - Porto Real - 3,8

5º - São João da Barra - 3,7

14º - Petrópolis - 2,4

 

Média salarial nas cidades do entorno

10º - Duque de Caxias - 2,9

14º - Petrópolis - 2,4

15º - Teresópolis - 2,3

18º - Três Rios e Paraíba do Sul - 2

19º - São José do Vale do Rio Preto e Nova Friburgo - 1,9

20º - Magé - 1,8

21º - Areal - 1,7



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior