Edição anterior (1218):
segunda-feira, 12 de março de 2018
Ed. 1218:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1218): segunda-feira, 12 de março de 2018

Ed.1218:

Compartilhe:

Voltar:


  Educação

Novas oficinas no Centro de Referência em Educação Inclusiva João Pedro de Souza Rosa

260 alunos atendidos no CREI em 2018

 

O ano letivo começou no Centro de Referência em Educação Inclusiva João Pedro de Souza Rosa – CREI - com novas oficinas: informática, ensino lúdico na perspectiva do desenvolvimento integral da criança, braile, técnica de baixa visão, orientação e mobilidade e estimulação tátil. Nesse ano, 260 alunos da rede municipal de Educação estão sendo atendidos no contraturno escolar no CREI.

O CREI é coordenado pelo Departamento de Educação Especial da Secretaria de Educação. Além das novas oficinas, o CREI também oferece aulas nas temáticas: psicomotricidade, arte, música, teatro, gastronomia, capoeira, oficina da palavra e sala de recursos multifuncionais.

“O Centro de Referência em Educação Inclusiva João Pedro de Souza Rosa é uma referência no Estado no atendimento às crianças aos alunos matriculados na modalidade de Educação Especial da Rede Municipal de Ensino. As atividades contribuem para o desenvolvimento e melhor rendimento pedagógico dos alunos que apresentam distúrbios funcionais e/ou déficits de aprendizagem, através do Atendimento Educacional Especializado - AEE e das atividades complementares dirigidas”, explica a secretária de Educação Interina, Samea Ázara.

Na oficina de informática os alunos aprendem as noções básicas dos programas mais utilizados no dia a dia. Já o ensino lúdico na perspectiva do desenvolvimento integral da criança, incentiva a coordenação motora e o desenvolvimento emocional através de atividades diferenciadas com o suporte do desenho e música. As oficinas de braile, técnica de baixa visão, orientação e estimulação tátil são para os alunos com deficiência visual e compreendem uma série de atividades que visam dar segurança e estimulam a emancipação desses alunos nas atividades diárias.

"Possuir um espaço multidisciplinar com uma equipe multifuncional é motivo de muita alegria e de muita responsabilidade, pois o espaço supracitado traduz, na prática, a base teórica em que a política de educação especial de nossa cidade está pautada. Tal base consiste no desenvolvimento integral e na emancipação do indivíduo na sociedade de forma intencional e humanizada", disse a diretora do Departamento de Educação Especial, Bianca Caetano de Paiva.

Informática ao alcance de todos

Treze alunos estão participando das aulas de informática. Nas aulas eles aprendem a usar a tecnologia com a acessibilidade, através de programas específicos. “O objetivo é torná-los autônomos frente às novas tecnologias. São trabalhadas técnicas específicas com cada aluno, de acordo com as suas necessidades. Também trabalhamos com as tecnologias móveis. Eles são ótimos alunos. Dedicados e persistentes”, disse a professora Ângela Antelo.

Uma das alunas de Ângela é a Roberta Martins de Araújo. Apesar de possuir baixa visão, Roberta superou os desafios diários e está terminando a faculdade de psicologia. “O CREI é um espaço muito acolhedor. Se não fosse esse reforço das aulas que tenho aqui, seria mais difícil chegar até o nono período da faculdade. Gosto muito das aulas. Pretendo continuar aprendendo cada vez mais e me preparar, futuramente, para um concurso público. Quero atuar na área de saúde, para ajudar as pessoas, como eu a superar os seus limites. Voltei a estudar depois de perder a visão, aos 24 anos. O impulso e a vontade de continuar eu conquistei com o apoio desses profissionais”, disse.

Célio Pereira também é aluno do curso de informática. Passou por sete cirurgias, perdeu uma das visões e, na outra, enxerga apenas 15%. Mas, isso não foi empecilho para continuar os estudos. “As aulas no CREI ajudam a superar os medos. Podemos fazer tudo, às vezes, de forma diferente. Mas nós podemos. Já participei das aulas de Braille e de artes e agora estou encantando com as aulas de informática. Cada dia é um novo aprendizado”, contou.

Aulas de arte, gastronomia e teatro

No CREI também são oferecidas aulas de arte, com a confecção de telas e peças decorativas a partir de material reciclado, música, teatro, capoeira, oficina da palavra, com atividades direcionadas de apoio à escrita e à leitura, sala de recursos multifuncionais e aula de gastronomia. Nas aulas de gastronomia, como por exemplo, os alunos são incentivados a usar com cuidado os utensílios domésticos e a preparar refeições. Entre as receitas já aprendidas por eles estão: sopa de cebola e de legumes, bolo de chocolate, doce beijinho, casadinho, almôndegas de frango e hambúrguer. Nessa oficina os alunos também são responsáveis pelo projeto “Horta Sustentável”, onde eles ajudam a plantar mudas, cuidar da horta, colher e usar o que foi plantado nas aulas de gastronomia. O projeto terá continuidade nesse ano. Os alunos do CREI já colheram na horta: alface roxa, crespa e romana, rúcula, tomate cereja, abobrinha italiana, berinjela, pepino, jiló, salsa e cebolinha, couve e os temperos tomilho, manjericão, sálvia e alecrim.

Vale salientar que, o encaminhamento de alunos para o Centro de Referência deve ser feito por meio de ofício da escola onde ele está matriculado para o Departamento de Educação Especial, com justificativa para solicitação.



Edição anterior (1218):
segunda-feira, 12 de março de 2018
Ed. 1218:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1218): segunda-feira, 12 de março de 2018

Ed.1218:

Compartilhe:

Voltar:

Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior