Edição anterior (1287):
domingo, 20 de maio de 2018
Ed. 1287:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1287): domingo, 20 de maio de 2018

Ed.1287:

Compartilhe:

Voltar:


  Saúde

Osteoartrite é a doença que mais acomete idosos no mundo

A doença é responsável por 7,5% de todos os afastamentos do trabalho

Natália Rodrigues natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br

Uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgada no mês passado mostrou que cerca de 70% a 80% da população com mais de 65 anos possui osteoartrite, uma doença inflamatória que afeta?as articulações?e é?caracterizada por degeneração das cartilagens e por inflamação periarticular. De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, é a mais frequente entre as doenças sob a designação de reumatismos, representa cerca de 30 a 40% das consultas em ambulatórios de reumatologia.

Além deste fato, sua importância pode ser demonstrada através dos dados da previdência social no Brasil, pois é responsável por 7,5% de todos os afastamentos do trabalho; é a segunda doença entre as que justificam o auxílio-inicial, com 7,5% do total; é a segunda também em relação ao auxílio-doença (em prorrogação) com 10,5%; é a quarta a determinar aposentadoria (6,2%).


 O professor titular de ortopedia da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase) Pedro Labronici (Foto) informou que a osteoartrite (OA) nada mais é que a conhecida artrose, porém com os avanços nos estudos médicos, foi descoberto um componente inflamatório fazendo uma atualização na nomenclatura.

- Há alguns anos atrás, a patologia conhecida como artrose era denominada no meio médico como osteoartrose. Depois de várias pesquisas, foi identificado um componente inflamatório para as artroses e o nome mudou para osteoartrite - contou.

A osteoartrite é uma doença inflamatória que acomete as articulações, promovendo uma degeneração da cartilagem articular e deformidades ósseas. Podem ser divididas por causa primária, como artrite reumatóide ou secundária como sequela de fraturas articulares, entre outras. Mas existe tratamento para evitá-la, que é feito precocemente antes dos primeiros sinais.

- Para prevenir o desenvolvimento da osteoartrite deve-se iniciar, bem precoce, uma boa alimentação, exercícios físicos regulares e evitar a obesidade - destacou o médico.

Os principais sintomas da osteoartrite são as dores articulares, diminuição da amplitude de movimento, atrofia e encurtamentos musculares.?O?diagnóstico da artrose?é baseado nos sintomas, nos sinais do exame físico e na avaliação dos exames de imagem das articulações. Apesar de ocorrer em homens, é mais frequente nas mulheres.

- A OA é mais prevalente entre as mulheres, porém, há localizações que ocorrem mais no gênero feminino, por exemplo mãos e joelhos, outras no masculino, como a da articulação coxofemoral (quadril) - disse.


 É o caso da dona de casa Ana Maria Machado Felizardo, 68 anos (foto), que sofre de artrose há mais de 15 anos. Mesmo assim, não deixa de realizar as tarefas do dia-a-dia, e o esforço acaba prejudicando ainda mais o tratamento.

- Comecei a sentir dor no joelho, fui ao médico e na consulta ele me disse que eu estava ficando com artrose nas pernas. Sempre senti dores, mas com o passar dos anos a dor foi ficando mais intensa e forte. Na época da consulta, o médico me receitou cinco aplicações de injeção no joelho, tomei três no mesmo mês e a partir daí, passaria a tomar uma a cada mês. Mas como sou hipertensa e diabética, a injeção deu reação e precisei descontinuar o uso. Não poderia fazer esforços e nem pegar peso, mas infelizmente não posso deixar de fazer, faço com dificuldades, mas não tem jeito - disse.

Ana explica que com o passar dos anos, a cartilagem do joelho foi gasta, e isso afeta a firmeza da perna. Depois de algumas quedas, uma delas gravemente ocorreu no ano passado, onde a cartilagem do joelho foi totalmente rompida, e o jeito encontrado pelo médico foi indicar uma faixa especial para a área.

- Não tenho mais firmeza para andar, sinto muita fraqueza, não consigo ficar muito tempo em pé e nem andar longos trajetos. Por isso, já caí algumas vezes em casa e até na rua, tenho evitado de sair de casa, fico sempre contando com a ajuda de alguma pessoa para me acompanhar. Infelizmente até na igreja não estou podendo ir - falou.

A dona de casa relatou que passou por alguns médicos e já tomou diversos remédios para a osteoatrite todos esses anos. Apesar da doença não ter cura, ela alega não ter notado retardo na doença e melhora das dores nas articulações.

- Acordo com dor nos joelhos e nas mãos, só depois de alguns minutos sentada na cama que consigo levantar. Preciso realizar todos os dias alguns procedimentos como colocar gelo, passar uma pomada específica, além de tomar muitos remédios. Infelizmente não tenho visto melhora, pelo contrário sinto que a doença tem avançado, antes era somente nas mãos e joelhos, hoje sinto uma dor muito forte na coluna e ultimamente tenho sentido até no dedo do pé - contou.

O especialista destaca ainda quais sintomas as pessoas devem ficar atentas, mas garante que depende de quais articulações são acometidas. E conclui dizendo que o objetivo principal do tratamento é aliviar os sintomas, sem dor ou limitações de movimento.

- De uma forma geral, os sintomas podem ser, inicialmente, leves com rigidez articular, diminuição do movimento articular e dor, que vão se intensificando com o passar do tempo. Em relação a medicação, inicialmente, está indicado o uso de analgésicos. O uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), corticosteroide ou medicamentos específicos, dependem do tipo e grau da doença. Em determinados casos, existe a possibilidade de tratamento cirúrgico - relatou.

 

 

 

 

 

 

 

 



Edição anterior (1287):
domingo, 20 de maio de 2018
Ed. 1287:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1287): domingo, 20 de maio de 2018

Ed.1287:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior