Edição anterior (1187):
sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018
Ed. 1187:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1187): sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018

Ed.1187:

Compartilhe:

Voltar:


  Diário Comunidades

Pedestres reclamam da falta de conservação da Estrada União e Indústria

Mato alto e falta de calçadas colocam em risco transeuntes, principalmente entre Roseiral e Corrêas

Natália Rodrigues - natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br


 Muitos petropolitanos que passam pela Estrada União e Indústria continuam reclamando da precariedade da via. Além de buracos por todos os lados, o mato em alguns trechos ocupa totalmente as calçadas, principalmente as que ficam localizadas no lado ímpar. Apesar de muitos acreditarem que a via é compromisso da Prefeitura, na verdade ela é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), que também é encarregada de zelar por tudo que está nas laterais da pista.

De acordo com um morador que não quis se identificar, o problema com a vegetação é antigo. Agora, no entanto, a situação está cada dia pior, especialmente no trecho do bairro Roseiral até o Terminal de Corrêas.

- Não tem como andar pela calçada, porque ela está tomada pelo mato, então o jeito é andar no meio-fio, correndo o risco de ser atropelado por algum veículo. Se vier um carro por trás do ônibus, o motorista não nos vê – contou.

Além dos transtornos com a vegetação, o morador denuncia o despejo de entulhos ao lado das caçambas que ficam na altura do número 2334, próximo a um ponto de ônibus. Ele explica que os detritos ficam espalhados pelo chão ocupando o local das lixeiras que, por falta de espaço, são realocadas em cima da calçada, atrapalhando também a passagem dos pedestres.

- Isso está uma vergonha, até a chegada no ponto de ônibus não tem como andar pela calçada. É lixeira no meio do caminho e muita sujeira para todos os lados. Estamos abandonados – disse.

Devido as condições das calçadas, a população é obrigada a andar pela beira da pista, se arriscando entre os carros, um perigo principalmente pela estrada ser de mão dupla, não possuir acostamento e ter um intenso tráfego de veículos. E os condutores precisam ter atenção ao passar pela região para evitar acidentes.

Questionada pelo Diário de Petrópolis, a Prefeitura informou que a Comdep vai solicitar à Força Ambiental que estude um melhor posicionamento para as lixeiras.

No entanto, ressalta que o despejo de restos de obras, mato, móveis e eletrodomésticos e de lixo sobre ruas e calçadas é proibido pelo Código de Posturas do município. A destinação correta é levar o material para o aterro de Pedro do Rio. Quem for flagrado cometendo a irregularidade é intimado a fazer a remoção imediata e recebe multa de R$ 800. A população pode ajudar a coibir o descarte irregular de entulho denunciando os casos para a Fiscalização de Posturas pelo telefone 2246-9042.

A Superintendência Regional do DNIT no Estado do Rio de Janeiro informou que está contratando nova empresa de manutenção/conservação para o serviço no trecho do inicial da BR/040 - do trevo de acesso a Petrópolis até o km 24,3 (acesso Pedro do Rio). 



Edição anterior (1187):
sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018
Ed. 1187:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1187): sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018

Ed.1187:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior