Edição: sábado, 06/01/2018
Compartilhe:

  Cidade

Petrópolis apresenta projeto para  inserção de mulheres em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho

Objetivo é que projeto seja implementando com recursos de verba federal de quase R$ 600 mil

            Aproximadamente 100 mulheres serão capacitadas por ano em Petrópolis em espaços que têm como objetivo contribuir para a inclusão de pessoas em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. O projeto, idealizado pelo Gabinete da Cidadania, será possível graças à uma emenda feita pela então deputada Cristiane Brasil. O recurso de R$ 577 mil é voltado especificamente para a assistência à mulher e terá acréscimo de R$ 7 mil como contrapartida da prefeitura (totalizando R$ 584 mil).

          Um dos principais motivos que leva as mulheres vítimas de algum tipo de violência doméstica a permanecerem com seus agressores é a dependência, tanto financeira quanto psicológica. O Centro de Referência em Atendimento à Mulher (Cram) já realiza acompanhamento psicológico e, neste ano, trabalha para realizar também a capacitação, promovendo a independência financeira das mulheres assistidas pelo órgão, que é subordinado ao Gabinete da Cidadania.

            “Muitas vezes a mulher não rompe a relação abusiva por medo, por não ter condições financeiras de sustentar a si própria e aos filhos. Por isso, precisamos de diferentes formas de abordagem e assistência. No último caso, o caminho para libertar a mulher desta situação é a capacitação, o empoderamento, e este projeto é imprescindível para atingirmos nosso objetivo”, destaca a chefe do Gabinete da Cidadania, Ana Maria Rattes, que também está à frente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim).

            O projeto, chamado de Oficina de Capacitação Profissional para Mulheres em Situação de Vulnerabilidade, contará com dois Espaços Escola, onde serão desenvolvidas três diferentes áreas de atuação: duas salas de formação profissional de beleza e estética, incluindo treinamento nas áreas de cabeleireiro, manicure e esteticista; duas salas de formação para corte e costura e duas salas equipadas com uma cozinha profissional e utensílios, que serão utilizados na formação de cozinheiras. Além disso, serão adquiridos computadores, móveis e outros utensílios para os espaços.

            “O trabalho do Cram é promover o acolhimento, atendimento, orientação e acompanhamento às mulheres em situação de violência, e em muitos casos a mulher retira a queixa ou desiste do acompanhamento por não poder se sustentar sozinha. Queremos libertar a mulher, mostrar que ela tem lugar sim no mercado de trabalho e que tem alguém do lado dela. Além das mulheres vítimas de violência doméstica, vamos capacitar também as mulheres em situação de rua que desejarem participar dos cursos”, explica Cléo de Marco, coordenadora do Cram.

            Em 2017, o Cram realizou 454 atendimentos, entre retornos e atendimentos iniciais. Quem deseja denunciar ou solicitar informações pode ligar para o telefone 2243-6152 ou comparecer à sede do Cram, localizada na Rua Santos Dumont, número 100, no Centro. O funcionamento é de segunda a sexta, de 8h às 17h.



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior