Edição: segunda-feira, 09/07/2018
Compartilhe:

  Cidade

Plataforma conecta pessoas acima de 50 anos a oportunidades de trabalho

Startup tem o desafio de promover a valorização das pessoas mais velhas

Daniela Curioni – especial para o Diário


 Em cinco anos, a população brasileira com 60 anos ou mais de idade cresceu 18,8% entre 2012 a 2017. O país, que era considerado jovem, vive o aumento da expectativa de vida, que está mudando esse quadro. Até 2060, a população com 80 anos ou mais deve somar 19 milhões de pessoas, diz o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Até lá, o país tem o desafio de promover a valorização das pessoas mais velhas e garantir políticas para que elas envelheçam com qualidade.

Estar fora do mercado de trabalho não é incomum no Brasil, especialmente para quem tem mais de 50 anos. Principalmente por conta da crise econômica dos últimos dois anos, muitas pessoas perderem seus postos de trabalho e, por causa da idade, não se recolocaram no mercado. Outras vivem no trabalho informal.

Diante de um cenário em que é cada vez maior a população idosa economicamente ativa, Mórris Litvak (FOTO) criou a plataforma MaturiJobs, voltado para profissionais com mais de 50 anos.

A ideia, segundo ele, surgiu a partir da experiência da avó, que trabalhou até os 82 anos.

Em 2015, quando saiu da empresa onde trabalhava, decidiu investir em pessoas acima de 50 anos.

- Com a forte crise que assolou o país, observei que muitas pessoas estavam vivendo um drama parecido com o da minha avó, mas eram pessoas mais jovens. Profissionais qualificados e que estavam fora do mercado de trabalho, sofrendo com a exclusão, muitos deprimidos – contou.

Segundo ele, ainda há preconceito com a idade e, nos momentos de crise, os mais velhos são os primeiros a saírem, principalmente por conta dos salários mais altos. Por outro lado, trazem bons padrões de atendimento, são comprometidos e têm mais jogo de cintura para lidar com clientes, muitas vezes lacunas para os mais jovens tão conectados às telas de seus celulares.

— É importante que esse profissional entenda que hoje é diferente de quando ele entrou no mercado de trabalho. A forma de realizar o trabalho mudou e a atualização da tecnologia é fundamental. A experiência dele é muito importante para o mercado, mas eles também podem se atualizar – explica.

Plataforma já garantiu mais de 500 contratações

Desde que entrou no ar, há dois anos, a startup cadastrou em seu banco de dados, mais de 74 mil profissionais de todo o Brasil.  Cerca de 700 empresas já utilizaram a plataforma para contratar profissionais, e 500 pessoas já obtiveram recolocação no mercado de trabalho.

O fundador e CEO da startup ressalta que o número de contratações é bem menor do que o número de candidatos que existe no banco de dados.

- Por isso, investimos em capacitação para que eles possam empreender e se tornar profissionais autônomos, já que as oportunidades ainda são restritas -  explica Mórris Litvak.

A startup busca a inclusão e a diversidade geracional dentro das corporações. Um desafio diário de romper as barreiras do preconceito.

- Nós desenvolvemos um trabalho de capacitação dos dois lados. Para os profissionais apresentamos novas formas de trabalho porque o número de vagas ainda é restrito e para as empresas mostramos as vantagens de ter pessoas mais maduras nos quadros – disse.

Profissionais cadastrados e contratados através da startup acreditam que essa é uma nova forma de realocar profissionais experientes no mercado de trabalho.

- Através da MaturiJobs voltei a ter visibilidade no mercado, que busca principalmente pessoas com experiência, história, mas que ainda não são peças de museu - relata Carlos Pereira, profissional cadastrado na plataforma.

- Conhecer essa iniciativa foi uma luz no meu dia, um calmante pro meu coração e uma esperança muito grande de ver todas as gerações se respeitando e se sentindo úteis – conta  Raquel Tetti.

Com a longevidade da população, essas contratações se tornam uma tendência para os próximos anos.

Empreendedorismo e economia compartilhada

Atualmente, além da plataforma de anúncios de vagas, a empresa oferece palestras, workshops e organiza encontros de networking entre os usuários para fomentar a discussão e informações sobre empreendedorismo, alternativa para os maduros continuarem ativos no mercado de trabalho.

- As empresas que contratam são poucas e o número de profissionais se cadastrando crescia em um ritmo rápido e de forma orgânica. Entendi que não dava para focar o negócio apenas em vagas de emprego. Começamos a levar conteúdo sobre empreendedorismo e economia compartilhada com o objetivo de mostrar para este público que existe outras alternativas e novas formas de trabalho e renda -  conta Mórris Litvak.

Envelhecimento preocupa OMS

Para tornar os países mais preparados para as pessoas mais velhas, a  Organização Mundial da Saúde (OMS), estima uma expectativa de vida global de 72 anos em 2050 - propõe três principais mudanças: tornar as cidades em ambientes amigáveis para as pessoas mais velhas; realinhar os sistemas de saúde às necessidades dos idosos e desenvolver sistemas de cuidados de longo prazo que possam reduzir o uso inadequado dos serviços de saúde agudos, garantindo a dignidade.

Diante do envelhecimento da população, a OMS se mostrou preocupada com a discriminação contra as pessoas mais velhas depois de fazer uma pesquisa sobre o assunto, que mostrou que 60% da população mundial considera que os idosos não são respeitados.

 



Compartilhe:


Casando com Estilo



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior