Edição anterior (1212):
terça-feira, 06 de março de 2018
Ed. 1212:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1212): terça-feira, 06 de março de 2018

Ed.1212:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Prefeitura quer assumir prédio histórico do Banco do Brasil

Banco do Brasil vai se expandir na cidade e quer ‘construir’ solução para o imóvel junto com a prefeitura

Ascom - Fotos - wikimapia.org

 

A solução para revitalização do prédio do Banco do Brasil nas esquinas das ruas do Imperador e Alencar Lima será construída entre Prefeitura e o banco. Em reunião nesta segunda-feira (05) na sede da prefeitura, o superintendente regional do governo do BB, Claudio Gomes, sinalizou ao prefeito Bernardo Rossi a disposição da instituição financeira em colocar o prédio histórico em condições. O banco anunciou ainda que quer estar mais envolvido com o petropolitano, com a economia da cidade e inaugura em três meses uma agência exclusiva para empresas.

 

O interesse do banco em estar mais presente para o petropolitano, em especial para as empresas, vai ao encontro do ambiente favorável de negócios que a prefeitura está executando. “Estamos acompanhando a movimentação do poder público municipal pela valorização das empresas já existentes e pelo desenvolvimento de novos mercados, como o cervejeiro e o Banco do Brasil que fazer parte desta retomada do crescimento da cidade”, expôs Claudio Gomes.

O Banco do Brasil apresentou ainda sua atuação em  apoio aos agronegócios, agricultura familiar, escola para formação de produtores rurais e um programa para eficiência na administração. “São todos nichos que Petrópolis pode ser beneficiar e bem-vindos”, avaliou o prefeito Bernardo Rossi. Já a agência exclusiva para empresas será inaugurada em três meses, como anunciou Claudio Gomes.

A revitalização e uso do prédio histórico pode ser ‘costurada’ junto com o poder público municipal. O prefeito Bernardo Rossi disse, expressamente, que a intenção da administração municipal é assumir o prédio.

 “Um prédio histórico, no coração da cidade, e que precisa ser revitalizado. A prefeitura tem todo interesse no prédio e quer transformá-lo em um espaço voltado para o empreendedor”, apontou Bernardo Rossi.  A proposta da prefeitura vai ser levada à diretoria da instituição pelo superintendente, Claudio Gomes.  “O interesse do banco é construir uma solução junto à prefeitura e vamos estar empenhados nisso”, afirmou.

O Banco do Brasil tem uma dívida de R$ 5,3 milhões com tributos municipais, que cairia a R$ 4,3 milhões no caso de a instituição usar o programa Fique em Dia e atualizar a situação com 30% de desconto. A proposta da prefeitura é receber o prédio reformado como pagamento pelos impostos atrasados.

O prédio data de 1928 e funcionou como Banco de Petrópolis, a primeira casa bancária fundada no município petropolitano. Ele encerrou as atividades apenas três anos depois e foi levado á leilão, arrematado pelo Banco do Brasil S/A, pela quantia de 30 contos de réis.  A agência do BB que funcionou até então no imóvel foi fechada em 2012 e o prédio deixou de ser utilizado desde então. O imóvel foi projetado, em 1926 e foi pelo engenheiro João Glasl Veiga, que também trabalhou nas obras da Catedral São Pedro de Alcântara e é autor do marco comemorativo da inauguração da Estrada Rio-Petrópolis, nas Duas Pontes.



Edição anterior (1212):
terça-feira, 06 de março de 2018
Ed. 1212:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1212): terça-feira, 06 de março de 2018

Ed.1212:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior