Edição anterior (1335):
sábado, 07 de julho de 2018
Ed. 1335:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1335): sábado, 07 de julho de 2018

Ed.1335:

Compartilhe:

Voltar:


  Educação

Projeto desenvolvido por alunos do SENAI Petrópolis participa da Olimpíada do Conhecimento em Brasília

Um andador destinado a ajudar na locomoção das pessoas com mobilidade reduzida não é nenhuma novidade. Mas um aparelho capaz de contribuir para a movimentação e ainda servir de cadeira e assento higiênico, é sim uma inovação. O projeto desenvolvido por estudantes do SENAI Petrópolis está em exposição na Olimpíada do Conhecimento até o domingo, dia 8, em Brasília.

O projeto, idealizado após uma reportagem que mostrava a dificuldade de locomoção de um casal de idosos dentro da própria casa, ganhou mais funções e se tornou um ajudante na mobilidade e execução das atividades do dia a dia, como sentar à mesa para comer ou ir ao banheiro.

Este e outros projetos apresentam tecnologias da Indústria 4.0 para cidades inteligentes e escolas do futuro e mostram inovações que prometem melhorar a qualidade de vida nos centros urbanos e revolucionar a educação.

“Os projetos que selecionamos para expor mostram nossa expertise nesses assuntos”, afirma Edson Melo, gerente de Educação Profissional do SENAI. Giovanni Lima, gerente de Educação Básica do SESI, ressalta: “Os projetos mostram como o avanço tecnológico da área educacional pode contribuir para reaproximar os estudantes das ciências e da produção de conhecimento”.

Além do andador multiuso, o espaço Cidade Inteligente apresenta ainda o projeto Mec Pedal Livre – bicicleta adaptada que tem como objetivo facilitar a locomoção de crianças portadoras de necessidades especiais; a Bengala Inteligente, direcionada para deficientes visuais, que identifica obstáculos por um sensor e informa por vibrações os riscos no trajeto e; a Luva Tradutora de Libras, que tem o objetivo de melhorar a interação entre pessoas com deficiência auditiva e as que desconhecem Libras. O dispositivo é composto por diversos sensores que captam os movimentos da linguagem de sinais e os enviam para um decodificador, que transcreve a mensagem.

“É muito gratificante estar em Brasília representando a escola, a nossa cidade e, ter nosso projeto reconhecido. As pessoas estão dando retorno positivo e aproveitando a troca de ideias para novos projetos”, contou Matheus do Carmo Bastos, um dos alunos do curso de Soldador de Aço Carbono TIG 6G responsável pelo projeto. A apresentação é feita por ele e pelo instrutor Welington Kocken.



Edição anterior (1335):
sábado, 07 de julho de 2018
Ed. 1335:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1335): sábado, 07 de julho de 2018

Ed.1335:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior