Edição: domingo, 05/11/2017
Compartilhe:

  Cidade

Projeto Garota Fashion

Mostrando o valor da vida e da convivência social

Natália Rodrigues  - natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br

 Milly Bernardo

O Garota Fashion é um projeto social de prevenção às drogas e a gravidez precoce que começou no ano de 2012, quando a técnica de enfermagem Suany Pitorra trabalhava no posto de saúde do bairro onde mora Independência. Na época, ela estava apreensiva com o aumento na quantidade de adolescentes grávidas na localidade. E queria criar uma ponte entre a família e as jovens, principalmente nessa fase de mudanças que é a adolescência.

- Desejei fazer algo para que pudesse alertar as meninas e mudar essa história, mas não sabia o que fazer, porque os adolescentes só costumam seguir aquilo que lhe atrai. Nós temos palestras, entregamos anticoncepcional, realizamos atividades para elas, para que evitem a gravidez, mas no entanto, queria fazer algo que pudesse alcançá-las, e as atraísse. Foi assim que surgiu o Garota Fashion, numa tentativa de auxiliar a família que em muitas vezes está desestruturada, mas que as jovens pudessem ver que tem outra possibilidade, que podem tomar outro rumo - contou.

No início dos trabalhos Suany contou com a ajuda de Viviane Mattos, as amigas realizam um trabalho de prevenção com as adolescentes de 10 a 17 anos nas comunidades em parceria com Associação de Moradores, postos de saúde, escolas e instituições. Levando o conhecimento para uma melhor qualidade de vida e possibilidades de outras escolhas. Viviane no ano passado deixou a organização e atualmente cuida da parte de suporte e equipe. Esse ano quem ficou com a tarefa é a Luzia Angélica dos Reis, que é uma peça chave para o desenvolvimento e crescimento do projeto. A Milly Barretos iniciou como uma Garota Fashion e hoje é professora de passarela das candidatas.

A técnica de enfermagem explicou que somente com o apoio de empresários e profissionais de várias áreas como manicures, cabeleireiros, maquiadoras são fotógrafo, locutor, equipe de som e suporte, que atuam de forma voluntária, é possível realizar uma noite especial para as adolescentes.

- Com o passar do tempo, o projeto foi crescendo, inicialmente era uma tentativa de tirar as meninas da rua, depois de prevenir a gravidez na adolescência, e logo após começamos a inserir as palestras. A nossa intenção é ser um suporte, hoje nós vemos como é importante ter uma referência para as meninas e estamos tentando ser essa referência, principalmente para mostrar que existe outros caminhos - contou.

O projeto atualmente desenvolve ações de prevenção, promoção, valorizando construção de práticas comprometidas com a transformação social, tendo como objetivo assistir as adolescentes das comunidades na cidade. A proposta é desenvolvida em espaços das escolas públicas da rede estadual e municipal e também nas comunidades de bases. Tem duração de três meses, durante esse período os encontros acontecem semanalmente aos sábados onde são realizados treinamentos para desfilar. Além de serem oferecidas palestras com médicos, terapeutas, psicólogos, responsáveis por clínicas de reabilitação, professores, modelos e mulheres que são referência no bairro. São abordados temas como sexo, drogas, futuro, sonhos, orientação profissional, convívio familiar, internet (uso e perigos), assuntos solicitados para a comunidade específica. Podem participar meninas de 10 a 17 anos moradoras da localidade. Para as jovens de 10 a 13 anos tem palestras, para as maiores, além do bate-papo elas aprendem a desfilar com a professora.

- O projeto se encerra com um grande desfile onde vai ser promovida a garota da localidade, que fica no período de um ano sendo a representante do bairro. A nossa estratégia, é que essa menina se torne a referência, e consiga fazer suas escolhas, damos o suporte para que muitas meninas que as vezes não teriam a chance de chegar a outras lugares aprendam que se batalharem podem sim chegar em algo melhor - contou.

Até o momento as comunidades contempladas que tem os desfiles todos os anos foram o Independência, Taquara, Serrinha, Bairro Mauá, Duques, Venezuela, Rio de Janeiro, Amazonas, Espírito Santo, Getúlio Vargas, Parque São Vicente. As próximas serão Bataillard, Caxambu, São Sebastião, Meio da Serra, Alto da Serra, Carangola e Floresta. A intenção é futuramente expandir o projeto para a maioria dos bairros de Petrópolis.

- Na verdade o desfile é o que chama atenção para o projeto, mas ele é só uma forma de estratégia para alertar as meninas, que como as modelos do bairro, tornam-se uma referência na comunidade mostrando a mudança de postura, de mentalidade e de escolhas para a vida.A nossa maior tentativa é que elas saibam que são amadas e aceitas, não precisam negar os seus valores, pois estamos ali para dar o suporte, ser o auxilio delas para ajudar nessa mudança - explicou Suany.

Mas para conseguir multiplicar esse trabalho, Suany relatou que precisa de mais apoio principalmente de empresários da área da moda e beleza. Para maiores informações ou interessados em ajudar podem procurar o projeto nas redes sociais como facebook.com/GarotaFashion.Petropolis ou através dos telefones 99279-2313/98819-6837.



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior