Edição: quarta-feira, 09/05/2018
Compartilhe:

  Política

Proposta busca manter os funcionários no Hospital Alcides Carneiro

 Criada por funcionários do Hospital Alcides Carneiro junto a Câmara dos Vereadores, medida busca a manutenção do corpo de especialistas

Yuri Lima

Na tarde de ontem (8), o vereador Justino do RX (MDB), que é presidente da Comissão de Defesa da Saúde na Câmara, reuniu os servidores do Hospital Alcides Carneiro, o secretário de Governo Fernando Fortes e o advogado Valdir Lima, da OAB, para discutir propostas para a atual situação dos funcionários estatutários do Serviço Social Autônomo do Hospital Alcides Carneiro (Sehac).

Na reunião ficou decidido a apresentação de uma contrapartida que prevê a adoção de um novo modelo de pagamento aos funcionários. A medida será uma modificação no Estatuto do Funcionário Público do Município de Petrópolis. A ideia será apresentada, ainda esta semana, ao Executivo, além da apresentação ao próprio Sehac.

- Foi muito produtiva a reunião, além do secretário de governo, estavam presentes o jurídico do Sehac e os servidores. Aqui elaboramos idéias para sabermos o que nós vamos preparar para apresentar ao Ministério Público do Trabalho. Vamos fazer uma mudança no estatuto dos servidores. O próximo passo será levar este grupo de funcionários para conversar com o Prefeito para ele estar junto neste processo, porque não podemos estar perdendo estes funcionários do Alcides Carneiro – declarou Justino.

Na próxima semana as propostas debatidas serão apresentadas ao Conselho do Sehac e, posteriormente, ao Ministério Público do Trabalho. O debate também foi feito na última semana, em audiência pública na Câmara dos Vereadores. Justino acredita que a proposta pode ser o início da solução do problema.

- Desta reunião para os próximos passos eu estou muito animado. Acho que vamos conseguir, realmente, esta solução. Perdermos estes profissionais é decretar atestado de óbito aos petropolitanos. Petrópolis, hoje, não vive sem o Hospital Alcides Carneiro, onde todas as cirurgias são executadas – completou.

Entenda o caso

Uma decisão do Ministério Público Federal (MPF) ingressou com uma ação civil pública, que envolve o Ministério Público Estadual  e o Ministério do Trabalho, requerendo o retorno dos funcionários estatutários do Sehac para o Município. Porém, segundo os funcionários, a medida poderá gerar gastos diretos aos cofres públicos, além de deixar profissionais especializados com futuro indeterminado.

A medida afeta diretamente cerca de 220 funcionários que atuam no Hospital Alcides Carneiro.

- Em apenas dois, ou três meses, você tirar todo mundo gera um impacto muito grave na saúde do hospital. Nós temos lá profissionais que são ultra-especialistas, que não se encaixam em local nenhum na Prefeitura. Porque o único hospital público da cidade, terciário, hospital geral, é o Alcides Carneiro – disse.

O cirurgião afirma que existirá diferença das despesas municipais se houver novas contratações para atuação nas mesmas áreas.

- Trabalho no Alcides há 21 anos. Eu sou cirurgião, o único hospital público que faz cirurgia é o Alcides Carneiro. Eu iria para algum lugar que desempenhar uma função que não tem relação com cirurgia. Mas e o paciente que tem a fila de espera? O município terá que contratar outros funcionários, pagando mais caro, para fazer a mesma coisa – informou.

O médico ainda afirmou que o impacto será maior para os pacientes, que poderão perder, em Petrópolis, um hospital que é referência na região.

 



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior