Edição anterior (1360):
quarta-feira, 01 de agosto de 2018
Ed. 1360:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1360): quarta-feira, 01 de agosto de 2018

Ed.1360:

Compartilhe:

Voltar:


  Diário Comunidades

Retorno de pessoas em situação de rua à Praça do Alto da Serra causa transtorno

O retorno de moradores em situação de rua à Praça Dr. Miguel Couto, no Alto da Serra voltou a gerar reclamações por parte da população local e de bairros vizinhos como Vila Felipe, Sargento Boening e Meio da Serra que reivindicam mais segurança na área. Algumas queixas são a prática de relações sexuais e o uso de entorpecentes na praça.

De acordo com a população, a permanência do ônibus de vídeomonitoramento da Guarda Civil Municipal durante o mês passado, intimidava a presença de usuários no local. Devido o veículo ser composto por sete câmeras, destas, uma sobe a 11 metros e capta imagens a 300 metros de distância.

- Durante o tempo que o ônibus da guarda ficou aqui não tinha essa bagunça na praça, agora se amontoaram de novo. Tem um abrigo para eles, mas muitos não querem ir e preferem ficar na praça, no ponto de ônibus ou em frente ao supermercado na Rua Chile – relatou um morador que não quis ser identificado.

Para uma dona de casa que reside na região, o ideal seria a presença de guardas-civis constantemente rondando a área especialmente devido a proximidade com colégios e creches e o PSF do bairro.

- Tinha que ter um guarda municipal direto ali, é horrível ter que ficar no ponto de ônibus e ser obrigado a escutar todo tipo de coisas. Sem contar ainda presenciar eles usando drogas ou fazendo sexo à luz do dia, tinha pelo menos dois casais tendo relação no local, muitas crianças e estudantes passam na calçada e vê isso, uma falta de respeito total com as outras pessoas – contou.

Se durante o dia ocorre desrespeito, à noite a situação piora, e a utilização de entorpecentes tem deixado populares indignados na região.

- Escutamos sempre histórias que algumas pessoas já sofreram ameaças ao tentar utilizar o espaço. Levei meus filhos à praça no fim de semana e não tinha condições de ficar lá, é um pessoal mal encarado e não podemos nem falar nada, pois não sabemos que tipos de reação podem ter. Preferi levá-los para outro local – disse a mulher.



Edição anterior (1360):
quarta-feira, 01 de agosto de 2018
Ed. 1360:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1360): quarta-feira, 01 de agosto de 2018

Ed.1360:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior