Edição: domingo, 12/11/2017
Compartilhe:

  Chuvas

Teste das sirenes com o apoio da população garante sistema em dia

 Voluntários que moram próximos indicam o funcionamento dos equipamentos

 O período de fortes chuvas está chegando e a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias realizou mais um teste mensal dos 18 conjuntos de sirenes do Sistema de Alerta e Alarme que atendem a cidade nesta sexta-feira (10.11). O acionamento do equipamento pela internet indicou a necessidade de atualização do sistema na Dr. Thouzet e no Siméria, trabalho realizado no mesmo dia pela empresa responsável pela manutenção. Em cada um dos 10 bairros que contam com as sirenes, um morador voluntário é responsável por indicar o funcionamento no momento da ação.

Ao longo desse ano, o órgão municipal realizou o teste 16 vezes, sendo 10 diurnos e seis durante a noite. O objetivo da ação é garantir que todo o sistema esteja funcionando no momento em que for necessário o acionamento, além de melhorar a comunicação dos agentes com a comunidade, como explica o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

“É importante que o morador se sinta parte do sistema. Com essa parceria, evitamos, por exemplo, que o equipamento seja vandalizado. Nosso objetivo principal do teste de sirenes é garantir que todas as sirenes estejam no momento crítico”, afirma o secretário.

A responsável pela abertura do ponto de apoio da Rua João Xavier, Ângela Ramos, mora bem próximo ao equipamento e indica para a Defesa Civil se o sistema está funcionando no local. “Estamos em uma área de risco, então é importante que a gente entenda que a sirene está aqui para nos ajudar. O exercício serve também para a população do bairro entender a importância do equipamento para a nossa segurança”, disse. 

Para as comunidades que não contam com o sistema, foi lançado em setembro o projeto Defesa Civil na Sua  Casa. A ação acontece às terças-feiras em alguma localidade da cidade. Durante a ação, acontece a distribuição de cartilhas com dicas de segurança para o período de fortes chuvas. “Nosso objetivo com esses encontros é ouvir os moradores e em conjunto construirmos ações que reduzam o risco de desastres. Se não existe a sirene na comunidade, podemos criar um grupo de Whatsapp ou até mesmo um outro aviso sonoro para a população, por exemplo”, explica Paulo Renato. 

 As mais de 800 horas de treinamento e capacitação que os agentes da Defesa Civil passaram em 2017 fazem parte do plano traçado pelo órgão municipal: atender as ocorrências de forma mais rápida e eficaz justamente no período de fortes chuvas, que vai de novembro até abril.  “O trabalho precisa ser organizado e pactuado de forma antecipada. Temos que trabalhar de sempre de forma preventiva, com o objetivo de reduzir os riscos de desastre”, diz Paulo Renato.

As 18 sirenes do primeiro distrito de Petrópolis estão localizadas nos bairros 24 de Maio, Alto da Serra, Bingen, Dr. Thouzet, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Vila Felipe. Os testes são realizados mensalmente nos dias 10, às 10h, e 20, às 20h. 



Compartilhe:



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior