Edição anterior (1368):
quinta-feira, 09 de agosto de 2018
Ed. 1368:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1368): quinta-feira, 09 de agosto de 2018

Ed.1368:

Compartilhe:

Voltar:


  Trânsito

Trânsito já fez mais de 500 vítimas neste  ano em Petrópolis

Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve queda de 12%: são 74 vítimas por mês

Philippe Fernandes

Somente neste ano, a Sala de Trauma do Hospital Santa Teresa (HST) já prestou atendimento para 518 vítimas de acidente de trânsito, o que resulta em 74 pessoas por mês. O indicador aponta para uma redução de 12% no número de pessoas acidentadas: no mesmo período do ano passado, 591 pessoas foram atendidas. Também houve queda em julho, na comparação com o mês anterior: no mês passado, foram levadas 82 pessoas, 20% a menos do que em junho, quando 103 pessoas foram levadas à unidade em estado grave.

O hospital é o único da cidade equipado para receber pessoas que sofrem traumas. As estatísticas contabilizam apenas pessoas levadas em estado grave. Isso porque os que têm acidente com pouca gravidade acabam não indo ao hospital. A sondagem também não conta com pessoas que morrem na hora, uma vez que elas são levadas diretamente para o Instituto Médico Legal (IML).

A maior incidência de acidentes neste ano continua sendo com relação às motocicletas: foram 258 pessoas levadas à Sala de Trauma por ocorrências desta natureza. A segunda maior ocorrência é com relação aos casos envolvendo carros - foram 200 pessoas atendidas em sete meses após este tipo de acidente. A Sala de Trauma ainda socorreu 60 vítimas de atropelamento.

Somente no sétimo mês do ano, 43 pessoas foram levadas após colisões de moto. Este foi o segundo maior índice do ano, perdendo apenas para junho, quando 53 pessoas foram levadas. Em fevereiro, foram 38 pessoas socorridas por este tipo de acidente; em março e abril, 34; e nos meses de janeiro e maio, foram 28. No acumulado do ano, foram 258, uma média de 36 por mês.

Em julho, 30 pessoas tiveram que ser atendidas na Sala de Trauma após sofrerem acidentes de carro. No mês anterior, foram 41 casos (36% a mais). Em maio, 31 pessoas foram atendidas após acidentes desta natureza. Em abril, foram 32; em março, apenas 11; em fevereiro, 21; e em janeiro, 34. De janeiro a julho, o índice alcançou 200 casos, com média mensal de 28 acidentados.

Nos sete primeiros meses de 2018, houve, ainda, 60 pessoas que deram entrada na unidade hospitalar após atropelamento. Foram nove casos em julho, mesmo índice de junho, maio e janeiro. Em abril, seis vítimas de atropelamento foram levadas ao Hospital Santa Teresa; em março, foram 10 pessoas; e em fevereiro, oito.

Outros casos

A Sala de Trauma registrou, ainda, outros casos: 26 pessoas foram levadas após sofrerem queda; outras quatro por agressão e uma que sofreu perfuração por arma de fogo.

Maioria atendida pelo SUS

Os números, divulgados ontem (8), também mostram a importância do Sistema Único de Saúde para o atendimento destas pessoas. Do total de 117 pessoas levadas à Sala de Trauma, 93 foram socorridas pelo SUS, o que corresponde a 79% dos casos.

No mês de julho, 83 pessoas foram socorridas por equipes do Corpo de Bombeiro. Outras 15 se dirigiram por meios próprios ao HST, 14 foram levadas pela Concer e cinco pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Com relação às internações, o cenário se repete: 27 pessoas foram levadas pelos bombeiros, quatro pela Concer e duas pelo Samu.

Números

518 vítimas de acidentes de trânsito em 2018

82 no mês de julho

43 pessoas levadas após acidentes com moto



Edição anterior (1368):
quinta-feira, 09 de agosto de 2018
Ed. 1368:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1368): quinta-feira, 09 de agosto de 2018

Ed.1368:

Compartilhe:

Voltar:

Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior