Edição: segunda-feira, 12/03/2018
Compartilhe:

  Geral

Uma boa noite de sono traz melhor qualidade de vida

Dia 16 de março, Dia Mundial do Sono alerta para a importância de dormir bem

Daniela Curioni – Especial para o Diário


 O sono é um dos momentos mais importantes do dia. Ele funciona como um alimento. Repõe as energias, revigora o corpo, a mente e nos renova para um novo dia.

Nas últimas décadas muito se tem falado a respeito de qualidade de vida, da importância da boa alimentação, de exercícios físicos e mesmo de vida social equilibrada. No entanto, a qualidade do sono também deve ser valorizada, pois é indispensável para os equilíbrios físico, mental e emocional do ser humano, fortalecendo o sistema imunológico, ajudando a prevenir doenças e proporcionando bom funcionamento do cérebro.

Segundo a psicóloga Clarissa Piccoli Vieira, é durante o sono que ocorre a consolidação de memória e secreção de hormônios. Entretanto, o sono é influenciado por pistas temporais, como claro-escuro, horários deacordar e dormir, jornada de trabalho, dias de folga, férias, finais de semana.

- Tendo como exemplo uma pessoa que possui horários irregulares de trabalho, como é o caso de quem trabalha no terceiro turno, ela está entrando em contradição com seu relógio biológico, pois utiliza o horário da noite para realizar suas tarefas e o dia para seu repouso. Essas mudanças geram uma dessincronização entre o sono e os ritmos biológicos, alterando assim toda a dinâmica da pessoa - destaca Clarissa.

A psicóloga ressalta que levantamentos epidemiológicos apresentaram prevalência de insônia próxima de 30% e de sonolência diurna excessiva de 15% na população adulta.

- Além da insônia e da hipersonolência (sonolência diurna excessiva), outros transtornos como narcolepsia, apneias e hipoventilação, sonambulismo, terrores noturnos, pesadelos e síndrome das pernas inquietas, podem ser apresentados por pessoas que se encontram seriamente comprometidas pelo estado de privação de sono. Cabe ressaltar também, que situações de ansiedade e estresse, má alimentação ou ingestão de alimentos de difícil digestão, sedentarismo, assistir à televisão, utilizar celular no horário de dormir, álcool em excesso, bebidas estimulantes podem influenciar negativamente no sono, além de prejudicar o funcionamento geral do indivíduo, afetando a sua capacidade física, de atenção, memória, concentração e humor, destaca a psicóloga.

BENEFÍCIOS DE UMA BOA NOITE DE SONO

Primeiro motivo e talvez o mais importante é que o sono é responsável por diminuir o estresse. Isso porque, durante o sono hormônios como o cortisol e a adrenalina do corpo diminuem e auxiliam no relaxamento.

- Muitos pacientes me questionam sobre quantidade de sono X qualidade do sono, sempre afirmo a eles que é necessário sim, ter uma quantidade de sono que esteja diretamente associada a qualidade - afirma a psicóloga.

O sono também é um poderoso aliado para controlar o apetite, pois ajuda a regular a leptina, hormônio que controla a saciedade e a consequente vontade de ingerir alimentos ricos em calorias e gorduras.

A melhora no humor é outro benefício. Quem dorme bem, acorda melhor e mais disposto. Além disso, o sono reparador evita transtornos de humor que podem desencadear ansiedade e depressão. Noites mal dormidas também podem trazer esquecimentos indesejados, que prejudicam a qualidade de vida. É durante o sono que o cérebro processa e armazena as memórias do dia inteiro.

E aquele chamado sono de beleza, é verdade? Sim! Segundo a esteticista Simone Araújo, o rejuvenescimento da pele é outro privilégio trazido por aquela bela noite de sono reparador.

- Durante a noite, as células da pele descansam e se renovam. Uma substância chamada melatonina, produzida durante o sono, ajuda a prevenir o envelhecimento - conta a esteticista.

DICAS PARA DORMIR BEM

Pesquisas realizadas pelo Instituto do Sono afirmam que o indicado é dormir de 6 a 8 horas por dia, sem interrupções. Para conseguir um sono de qualidade, pequenos atos ajudam muito.

• Ter um ambiente apropriado para o sono. Observe se a iluminação, temperatura, colchão e travesseiros estão adequados.
• O ideal é chegar em casa pelo menos três horas antes do horário de dormir e deixar bem claro para você mesmo que seu dia de trabalho acabou pelo menos duas horas antes de dormir.

• Não se deve ir para a cama sem sono ou usar a cama para planejar o dia seguinte, ler, assistir à TV.
• Fazer refeições leves à noite. O indicado é que a última refeição seja duas horas antes de dormir.
• Horários regulares também colaboram para um bom sono, tente dormir e acordar nos mesmos horários.

De acordo com as pesquisas, a falta de sono pode causar, além do excessivo cansaço no dia seguinte, fadiga, irritabilidade e lapsos de memória. Um sinal que merece atenção é ronco. Popularmente interpretado como sinal de que o indivíduo dorme bem, ele mostra justamente o contrário. Quem ronca está esforçando sua musculatura respiratória para além de seus limites, e está sobrecarregando o coração de trabalho.

A pesquisa mostra que mulheres com ciclo menstrual irregular apresentam duas vezes mais chance de ter dificuldade para dormir. Isso poderia ser atribuído às grandes oscilações hormonais que ocorrem durante o ciclo menstrual.

Alguns distúrbios podem colaborar para a má qualidade do sono:

Insônia

A insônia é a dificuldade de iniciar o sono, mantê-lo continuamente durante a noite ou o despertar antes do horário desejado. Estes episódios de insônia podem estar relacionados a vários fatores, e são bastante individuais. Algumas pessoas apresentam maior tendência à insônia e quando expostas a condições de estresse, doenças ou mudança de hábitos, desenvolvem episódios de insônia. Estes episódios podem se prolongar por muito tempo, principalmente porque a pessoa tende a associar suas dificuldades de dormir a uma série de comportamentos: esforço para dormir, permanência na cama só para descansar, elaboração de pensamentos e planejamentos na hora de dormir.

Apneia Obstrutiva do Sono

A Apneia Obstrutiva do Sono caracteriza-se pela obstrução da via aérea no nível da garganta durante o sono, levando a uma parada da respiração, que dura em média 20 segundos. Após esta parada, a pessoa acorda, emitindo um ronco muito barulhento. Quem apresenta esta síndrome tem maior tendência a ter infarto do miocárdio e derrame cerebral.

Síndrome das pernas inquietas

É um distúrbio caracterizado por agitação involuntária dos membros inferiores, mas que pode ocorrer também com os braços, nos casos mais graves. Em geral, os sintomas são mais intensos à noite, fazendo com que a pessoa durma mal ou quase não durma. Como consequência, passa o dia sonolento, cansado, indisposto e irritado. 

- Ao perceber qualquer alteração, procure um médico neurologista para fazer uma avaliação - alerta a psicóloga Clarissa Piccoli.

Dia Mundial do Sono 2018

No dia 16 de março comemora-se o Dia Mundial do Sono, data com a qual se pretende sensibilizar a população para a importância do sono na saúde e bem-estar e ainda alertar que a qualidade de vida dos que têm perturbações do sono pode, e deve, ser melhorada.



Compartilhe:


Casando com Estilo



Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior