Edição anterior (1333):
quinta-feira, 05 de julho de 2018
Ed. 1333:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1333): quinta-feira, 05 de julho de 2018

Ed.1333:

Compartilhe:

Voltar:


  VACINA

Vacinação contra sarampo é destaque na Câmara de Vereadores

Yuri Lima yuri.lima@diariodepetropolis.com.br

A informação da volta do sarampo no estado do Rio de janeiro, como no caso de uma estudante carioca de direito que contraiu sarampo e esteve em Petrópolis, por ocasião dos Jogos Jurídicos, reforçou a necessidade da vacinação contra a doença. O assunto foi debatido na Câmara Municipal na sessão de ontem (4). Os vereadores destacaram, também, a importância de outras vacinas, como as que combatem a poliomielite e a gripe.

O vereador Marcelo da Silveira (PSB) destacou que as vacinas estão disponíveis nos postos de saúde dos bairros, acessíveis para toda a população. No entanto, muitas pessoas não se vacinam.

- Tem vários casos de sarampo no Rio de Janeiro, e sarampo mata, a doença deixa sequelas. Eu, à frente da Associação Pró-Deficiente, durante este tempo todo, peguei muitos casos de sequelas provocadas pelo sarampo. Agora, por que não se vacinar? Por que não tirar um tempinho para vacinar o seu filho? – questionou.

Silveira afirmou, ainda, que a paralisia infantil, causada pela poliomielite, foi o que provocou a sua deficiência física.

- Em 1967, o ano em que eu nasci, consegui tomar a primeira dose. Naquela época nós dependíamos do Exército, que eles viessem às cidades para que pudéssemos aplicar a vacina. O que me assusta hoje é saber que qualquer posto de saúde tem a vacina e temos apenas 78% das nossas crianças vacinadas. Por que só 78% se a vacina está aí? Por que fazer com que seu filho amanhã pague por uma irresponsabilidade sua? – questionou.

O vereador Reinaldo Meirelles (PP) também afirmou a importância da vacinação, além de recordar de outros casos, como a vacinação contra a gripe que, segundo o parlamentar, teve pouca participação da população.

- A vacina que fortalece contra casos como a H1N1 e H3N2, gripes que são pesadas e levam a morte. O governo disponibilizou em todas as esferas de nossa nação. E, pasmem, eu fui a um posto de saúde em Pedras Brancas ontem e os funcionários me informaram que grande parte dessa vacina foi devolvida, retornada para o Centro de Saúde, pois a população não fez uso na íntegra desse lote de vacina que foi disponibilizado – afirmou.

Meirelles ainda buscou dados do Ministério da Saúde, afirmando que na vacinação da gripe cerca de 6 milhões de pessoas não se vacinaram.



Edição anterior (1333):
quinta-feira, 05 de julho de 2018
Ed. 1333:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1333): quinta-feira, 05 de julho de 2018

Ed.1333:

Compartilhe:

Voltar:

Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior