Edição: sexta-feira, 13/04/2018
Compartilhe:

  Colunistas
Vida Militar
... e outros assuntos

 Eng. Mil. Jorge da Rocha Santos
amirp.petropolis@gmail.com

 

 


 ANIVERSARIANTES AMIRP –  Dia 13 - Daniel Gonçalves dos Santos, Maria Regina Thomaz Vieira; dia 14 -  Maria Laura Diniz Eckhardt,  Isidoro Soares da Rocha; dia 15 - Débora Maria Rodrigues; dia 16 - Dilma Altes dos Santos, Marli Pereira da Silva,  Roberto Carlos Gabrich; dia 17 - Fernando Moysés; dia 18 -  Renato Bianconi Príncipe,  Josiane de Cássia R. Bittencourt Loos. A Coluna Vida Militar e a AMIRP parabenizam a todos desejando saúde e felicidades. ( -  aniversariantes)

 

 

 

NOSSA GENTE AMIRP –  a família do Presidente: Sra. Sara Abreu – primeira dama da AMIRP, Sérgio Abreu e o Cap Airton Teixeira Paulo – Presidente da AMIRP , por ocasião do encontro comemorativo do Natal de 2017 da Associação dos Militares da Reserva de Petrópolis realizado em Itaipava. Foto Ernani de Oliveira. ( – Sara, Sérgio, Airton, etc)

 

 


 DOZE DE ABRIL - DIA DO SERVIÇO DE INTENDÊNCIA - Marechal Carlos Machado Bitencourt, patrono do Serviço de Intendência do Exército Brasileiro, nascido a 12 de abril de 1840, em Porto Alegre, destacou-se como encarregado da logística nas operações desenvolvidas pelo Exército contra os insurretos de Canudos.


 Recém-empossado como ministro da Guerra, interveio pessoalmente na campanha cujo óbice maior era a ausência de uma cadeia de suprimentos, já que a falta destes dificultava o bom desempenho das forças legais. Organizou e sistematizou o transporte de pessoal e material, tornando efetivo e contínuo o fluxo de reabastecimento das tropas, o que possibilitou a derrota dos rebelados. Sua brilhante atuação foi essencial para o resultado final daquele conflito. (foto 4 – intendência)  (foto 5 – marechal bitencourt)

 

 

 


 AS REAÇÕES ORQUESTRADAS ÀS PALAVRAS DO COMANDANTE DO EXÉRCITO  (Vice Almirante RRm Sergio TASSO Vásquez de Aquino - Rio de Janeiro, RJ, 6 de abril de 2018) -        No Brasil, muito por influência do gramscismo, que se espraiou como praga pela sociedade (muitos repetem seus conceitos malsãos sem sequer saber o que estão dizendo) por ação permanente dos seguidores da ideologia vermelha, criou-se uma nova língua, de livre curso.  Assim, “democratas“ são os celerados que, de armas na mão, tentaram impor à Nação seu cruel jugo sanguinário e atentatório à dignidade intrínseca do ser humano, na mesma acepção da designação da antiga República Democrática da Alemanha, a Alemanha do leste, em que toda a liberdade e os direitos mais comezinhos dos cidadãos eram negados pelo Estado prepotente, policial e todo poderoso.

Quem, entre nós, a isso se opõe é apodado de direitista, fascista e exposto a todo tipo de censura e perseguição. Mais recentemente, “democratas“ passaram a ser considerados todos aqueles que não reagem à corrupção generalizada que atingiu o Estado, em todos os seus níveis e expressões, e que aceitam bovinamente, como algo perfeitamente normal, que os poderosos de turno se apossem dos recursos públicos para espúrios benefícios pessoais, familiares, corporativos e partidários, desviando-os da função precípua de construir o Bem Comum. Novamente, quem a isso se opõe, é rotulado de direitista, fascista, passando, também, por toda a sorte de censuras e perseguições. Ultimamente, como tão acentuado no julgamento de Lula da Silva, “presunção da inocência”até o último recurso possível diante dos tribunais, e provável prescrição das penas impostas por crimes cometidos, passou a ser o carro-chefe dos novolinguistas. Como “presunção de inocência” de quem já fora julgado e condenado, com o direito ao uso de todos os instrumentos legais de defesa, em dois julgamentos? Como coadunar a postergação indefinida do pagamento dos delitos cometidos contra a sociedade, possível apenas aos criminosos endinheirados, com recursos normalmente mal havidos, para pagar caríssimos advogados de defesa por anos a fio, com o conceito pétreo das sociedades democráticas e civilizadas, de que todos somos iguais perante a Lei? Os réus pobres e remediados não têm condições de gozar de tais “benefícios”! Da Lei, é preciso sempre atentar para o espírito, e não apenas para a leitura vesga, distorcida, da letra?  Na véspera do julgamento do habeas-corpus de Lula da Silva diante do STF, o Comandante do Exército tornou pública uma nota, em que abordava o grave, perigoso momento que vivíamos como Nação, em palavras adequadas, nos limites da sua responsabilidade. Houve um primeiro momento de surpresa, seguido do medo pânico de todos os que têm contas a justar com a Lei, por crimes cometidos, em todos os partidos e meandros do poder, atual e passado, de uma eventual intervenção militar para devolver o Brasil aos seus retos caminhos.  Já no fim da noite, como se viu na edição das dez (J10) de globo news, seus quatro comentaristas, sabichões da Grécia, que se julgam com competência e autoridade para todos e tudo criticar, e ensinar como tudo deve ser, sempre de acordo com os interesses da poderosa e influente rede a que prestam serviços, atacaram as palavras do Comandante. Seguiram-se manifestações de igual conteúdo, partidas de “intelectuais”, “artistas”, “juristas”, entidades de classe que jamais se haviam preocupado em opor-se aos rumos trágicos dados à Nação por comunistas, corruptos, aventureiros de toda a espécie, ao longo dos últimos 35 anos, com agravamento a partir de 1990 e inaceitável gigantismo desde a assunção do poder pela esquerda radical.   O clímax foi atingido no último voto proferido na madrugada memorável de 5 de abril, pelo decano da Suprema Corte. Sua excelência verberou a pretensa existência de um “pretorianismo“ em formação entre nós! Pretorianas, excelência, são as milícias bolivarianas, antigas Forças Armadas da Venezuela, hoje a serviço e garantes, assim como o “tribunal constitucional”, suprema corte daquela nação, da manutenção no poder do tiranete que escraviza e se faz genocida do seu povo, por ele sujeito a fugir do país, ou perecer de fome!   As Forças Armadas são a Guarda da Pátria, sempre prontas a garantir a existência do Brasil livre, soberano, com democracia, paz e justiça. Nada exigem ou recebem em troca, nem mesmo reconhecimento pelo que são, valem e fazem! Contentam-se com o Cumprimento do Dever, fiéis todos os seus integrantes, cidadãos fardados com os uniformes da HONRA, ao juramento de tudo oferecer à Pátria, até o sacrifício da própria vida! ORGULHAM-SE, CONTUDO, E MUITO, POR SEREM CONSIDERADAS, POR NOSSO POVO, COMO O MELHOR E MAIS CONFIÁVEL SEGMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA! (foto 6 – Exército Brasileiro)

 “Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos.” (Sócrates)

 



Compartilhe:




Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior