Edição anterior (2358):
domingo, 25 de abril de 2021
Ed. 2358:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2358): domingo, 25 de abril de 2021

Ed.2358:

Compartilhe:

Voltar:


  BEM-ESTAR ANIMAL

Abril Laranja: Veterinária reforça sobre prevenção contra maus-tratos aos animais

 

 

A luta contra a crueldade aos animais é uma bandeira que deve ser defendida todos os dias. No entanto, para oficializar e alertar a população a respeito deste grave problema, em 2006, a Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade a Animais (ASPCA, na sigla em Inglês) escolheu o mês de abril para a campanha Abril Laranja, cujo símbolo é uma fita na cor laranja, a exemplo das campanhas humanitárias. No Brasil, tramita no congresso a mudança da natureza jurídica dos animais, objetivando que eles deixem de ser coisas e passem também na legislação a serem seres sencientes, ou seja, que sentem dor, frio, medo, também como os seres humanos.

A sociedade também pode ajudar.  Para denúncias de maus tratos, em Petrópolis, é possível  fazer um Boletim de Ocorrência junto à delegacia mais próxima. O responsável deve ser identificado e seu endereço registrado. Outra maneira de denunciar é encaminhar o caso para a Coordenadoria de Bem-estar Animal do município, pelo WhatsApp (24) 98839-7243. Outro telefone disponível para denúncia é o do programa Linha Verde (0300 253 1177), no qual as informações serão encaminhadas para órgãos como a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, o Comando de Polícia Ambiental, o Instituto Estadual do Ambiente, a Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais, que analisam cada caso e tomam as medidas legais necessárias.

De acordo com a médica veterinária Maria Beatriz Pellegrini,  primeiramente é importante discernir crueldade de maus-tratos. “A crueldade é um ato voluntário. A pessoa está sendo má porque ela quer ser má. Ela quer causar sofrimento. Ela tá consciente da agressão física, do ato cruel. Maus-tratos não é bater. Não é deixar na chuva. É uma situação ampla e complexa. É o descaso, o descuido, a falta de cuidado com o animal de uma maneira geral. A falta de higiene, falta de limpeza do animal, uma água que não é trocada várias vezes ao dia, um ambiente que não é limpo para que o animal possa se sentir bem. Estas características podem ser consideradas maus-tratos”, explica.

Há outras situações que também podem ser consideradas maus-tratos, como uma alimentação inadequada à faixa etária e dentição do bichinho. “Os idosos sempre são os que mais passam por estes problemas porque eles já têm dificuldade de mastigar, já perderam os dentes. O alimento que está sendo oferecido não está de acordo com a capacidade dele mastigar. Isto faz o animal ficar muito magro, com fome mesmo. Porque ele não consegue comer o que é dado para ele. Uma boca com tártaro e mau cheiro que precisa ser limpa porque senão pode dar mosca. Um pelo longo que se não pode ser escovado e banhado, que seja mantido tosado. Unhas sempre aparadas para não atrapalhar o andar do animal. No caso de gatos, a banheirinha precisa ser higienizada com frequência. Uma banheirinha encharcada vai fazer com que o gato mude os hábitos. Além disso, também pode ser considerado maus-tratos aos cães, quando o animal fica preso no canil, onde ele não pega sol, onde ele não pode correr, não pode exercitar a vida normal de um cachorro”, orienta.



Edição anterior (2358):
domingo, 25 de abril de 2021
Ed. 2358:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2358): domingo, 25 de abril de 2021

Ed.2358:

Compartilhe:

Voltar: