Edição anterior (2369):
quinta-feira, 06 de maio de 2021
Ed. 2369:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2369): quinta-feira, 06 de maio de 2021

Ed.2369:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Após oito anos de espera, profissionais da Educação estadual ganham reajuste no auxílio-alimentação

Novos valores são proporcionais à carga horária semanal de trabalho e caem na conta dos 70 mil funcionários da pasta já nesta sexta-feira (7)

Profissionais da Educação receberão o s

Comte Bittencourt e Claudio Castro 

alário antecipado pelo Governo do Estado, nesta sexta-feira (7), com o valor do auxílio-alimentação maior e proporcional à carga horária semanal de trabalho. Desde 2013, o montante de R$ 160 é fixo para todos os profissionais e agora passará para R$ 239,52 (16h semanais) a R$ 598,90 (40h semanais). O investimento anual da Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) no benefício será na ordem de R$ 111 milhões.

Outra novidade é que o auxílio será pago por matrícula - desde que não ultrapasse o limite de 40h semanais - e não mais pelo CPF do servidor, o que aumenta os valores no caso de acúmulo de funções. De acordo com o secretário de Estado de Educação, Comte Bittencourt, o reajuste do benefício foi possível graças a uma reorganização das finanças da pasta para a valorização do quadro.

- O auxílio de R$ 160,00, estabelecido em 2013, não havia tido reajustes. Em uma reorganização das finanças da Seeduc, conseguimos gerar uma economia de R$ 110 milhões este ano para que fizéssemos frente a esses profissionais. Esse esforço fiscal teve o apoio direto do governador Claudio Castro e vem na direção de valorizar os servidores da Educação - afirma.



Edição anterior (2369):
quinta-feira, 06 de maio de 2021
Ed. 2369:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2369): quinta-feira, 06 de maio de 2021

Ed.2369:

Compartilhe:

Voltar: