Edição anterior (2332):
terça-feira, 30 de março de 2021
Ed. 2332:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2332): terça-feira, 30 de março de 2021

Ed.2332:

Compartilhe:

Voltar:


  Obras

Autorização da obra no casarão na esquina da Rua 13 de Maio com Avenida Ipiranga preocupa

Renata Almeida – especial para o Diário

 

A obra do casarão na esquina da Rua 13 de Maio com a Avenida Ipiranga começou no fim do ano passado. O imóvel é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e foi construído em meados da década de 70. A movimentação da área já começou a causar divergências de opiniões, principalmente com as especulações de que no local poderá se instalar uma rede de supermercados.

A equipe do Diário de Petrópolis teve acesso ao parecer técnico emitido pelo IPHAN, onde aprova a proposta enviada pelo proprietário do imóvel, Adilson Blanc para intervenção da casa. De acordo com o documento, desde 2006 o órgão vem avaliando as propostas de autorização de intervenções no imóvel. Em fevereiro de 2019, foi protocolado no instituto, uma “solicitação para aprovação de reformas das edificações existentes, bem como para construção de um anexo no terreno.” Na ocasião a proposta não foi aprovada e então em outubro do mesmo ano, foi protocolado uma revisão do projeto, a proposta foi revisada, e o parecer técnico foi emitido.

“Nós estamos preocupados. Já vimos o IPHAN aprovar projetos e a obra não cumprir as orientações. A fiscalização do IPHAN é falha, assim como a do Ministério Público e da Prefeitura. Ali é uma área especial de interesse cultural e artístico. Na própria 13 de Maio tem outra construção que deveria ter sido fiscalizada pelo MP, e hoje é o prédio deles. O projeto da obra deveria ser exposto para sociedade civil. Estamos aqui para salvar Petrópolis. Com a construção de mais um comércio ali, como fica também o trânsito que já é absurdo ali? “, contou a ex-presidente da Associação dos Moradores e Amigos de Petrópolis (AMA), Myriam Born.

Dentro da proposta, está a reforma da casa, construção de um anexo no terreno, para que o “imóvel passe a ter fim de uso comercial. São três lojas, um depósito, sanitários, vestiários e estacionamento com 15 vagas.” O IPHAN, apontou algumas ressalvas e orientações quanto a reforma da parte interna da casa, possíveis modificações na área externa e na construção do um anexo. A piscina será aterrada para ampliar a área de estacionamento. “Considerando a escala das edificações e tamanho do lote em questão, do ponto de vista do patrimônio histórico, as 15 vagas de estacionamento não resultam em prejuízo aos imóveis tombados”, descreve o documento. Ainda no documento, não há mais detalhes do futuro empreendimento, apenas que o local será para uso de “Loja de conveniência”.

Segundo o proprietário do imóvel, Adilson Blanc, a proposta inicial é reformar e ampliar a área para alugar. “ Já temos a autorização da prefeitura e do IPHAN. Estamos reformando a casa seguindo todas as orientações e queremos alugar. Estamos trocando a parte hidráulica, elétrica que é muito antiga. Mas a casa ficará intacta”, contou Adilson que disse ainda que a casa pertence a sua família há 14 anos.

O parecer técnico do IPHAN finaliza com “Portanto, o projeto proposto é passível de aprovação, pois não impacta de forma negativa o Conjunto Urbano-Paisagístico de Petrópolis, tombado pela União.”



Edição anterior (2332):
terça-feira, 30 de março de 2021
Ed. 2332:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2332): terça-feira, 30 de março de 2021

Ed.2332:

Compartilhe:

Voltar: