Edição anterior (2364):
sábado, 01 de maio de 2021
Ed. 2364:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2364): sábado, 01 de maio de 2021

Ed.2364:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Daniella Vita
COLUNISTA 
 

 

 

FESTIVAL DA MÚSICA PETROPOLITANA


  Rodrigo d'Ávila

Rodrigo d'Ávila, é maestro do Coral de Petrópolis, Princesas de Petrópolis e foi maestro de um dos corais da Petrobras durante 14 anos. Formado em composição e regência já se apresentou algumas vezes no exterior. Rodrigo já tocou e gravou com Celso Blues Boy, Sivuca, Guilherme Arantes, entre outros. “O festival é uma grande oportunidade de resgatar a qualidade musical do país, Acredito também em uma retomada da música através dos festivais, pois o público pode assistir diretamente o seu artista que desta forma pode dar o seu melhor” – destacou Rodrigo que está concorrendo na final no Festival da Música Petropolitana com a música Caxinguelê. Assista e vote pelo site festmusicapetropolitana.com.br.

 

O AMOR


  Cláudia Machado

Mais uma vez a petropolitana, Cláudia Machado levou o nome da nossa cidade mundo afora. A escritora participou como autora do Volume V da Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea "Além da Terra, Além do Céu", da editora Chiado, que reúne poemas escritos em língua portuguesa por autores brasileiros. Cláudia escreveu o poema “O Amor” e o assinou com a cidade que nasceu, Petrópolis e a que mora, Atenas, na Grécia. “Fiquei lisonjeada com o convite. O poema explica sentimentos em cada estrofe. Ele é dedicado para quem conseguiu tudo na vida, menos o amor”, disse a autora. Mas como é possível, prezados leitores, conseguir tudo na vida menos esse sentimento tão verdadeiro? A resposta está no O Amor.

 

TRAJETÓRIA DE SUCESSO


 Maecelo Cruz e Alunos

O Grupo que nasceu em Petrópolis, se expandiu para Nova Friburgo, Guapimirim e Teresópolis, apresenta especial pelo Facebook  #TSDTV, na TV local e de outras 53 cidades do Rio e São Paulo. Passaram pelo Grupo mais de 5.000 alunos. Atualmente em Petrópolis, o grupo atua em 5 escolas com cerca de 300 crianças, adolescentes e adultos. Na companhia oficial são 14 dançarinos entre 9 e 30 anos de idade. Este mês o grupo de danças TOP STREET DANCE, completa 20 anos. A companhia que deu origem a vários projetos, entre eles, o FESTIVAL DANÇANDO CONTRA A FOME, teve apresentações e workshops em países europeus como Portugal, Itália, Suíça e outros.

 

NOVO OU NORMAL


 Kika Notini

A Mineira, nascida em Belo Horizonte, Kika Notini, mudou-se para Petrópolis há cerca de 20 anos e agora junto à banda Nós 4, lança seu primeiro EP em todas as plataformas digitais de música. O disco apresenta cinco composições inéditas do músico Gabriel Tauk que também assina a produção musical. Novo ou Normal, traz no nome uma dica da temática abordada, pois todas as músicas foram compostas durante a pandemia e enquanto flertam com jazz, samba e MPB, as composições manifestam um pouco das angústias de tempos pandêmicos. A ideia é estimular cada vez mais as pessoas e mostrar que os artistas petropolitanos produzem música de qualidade.

 

PINGOS NOS IS


 Charbelle Jabbour

Charbelle Jabbour Belmont é especialista em Psicologia médica e psicossomática e autora dos livros: Gêmeos: Onde está a Semelhança?, Palavra Encantada (que foi finalista do prêmio Guerra Peixe); Palavra Encantada II - uma viagem pelo mundo da infância e Colocando os pingos nos is, publicado esse ano. Através de seus livros, ela nos fala da importância de olharmos para a infância, lugar onde tudo começa e nos marca por toda vida. Neste livro, ela vai além, porque a criança cresce, vira gente grande e pode nos contar sua história e experiências. A Petropolitana cresceu e alçou voos, mas voltou para colocar seus pingos nos is na nossa cidade. O livro é vendido por ela através do e-mail -  charbellejabbour3@gmail.com

 

 



Edição anterior (2364):
sábado, 01 de maio de 2021
Ed. 2364:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2364): sábado, 01 de maio de 2021

Ed.2364:

Compartilhe:

Voltar: