Edição anterior (2364):
sábado, 01 de maio de 2021
Ed. 2364:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2364): sábado, 01 de maio de 2021

Ed.2364:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Frederico Amaro Haack
COLUNISTA

 

 

CASOS ANTIGOS DE POLÍCIA EM PETRÓPOLIS – Parte 1

O artigo dessa semana é uma seleção de algumas notícias policiais ocorridas no início do século XX em Petrópolis, publicadas nos jornais cidade. Ao longo mês irei trazer ao leitores a seleção de alguns casos policiais, baseado no trabalho da historiadora Mariza da Silva Gomes.

Essa semana vamos conhecer alguns casos publkicados no jornal Cidade de Petrópolis. Reparem a diferença das ocorrências do início do século XX com as do século XXI, as quais estamos acostumados e cansados de ler e ouvir diariamente nos noticiários locais e do mundo a fora.

 

JORNAL CIDADE DE PETRÓPOLIS:

 

COM A POLÍCIA

“Chamamos a attenção do sr. Delegado de Policia Dr. Teffé, para umas scenas de immoralidade que diariamente se praticam no prédio em construcção á rua Monsenhor Bacellar, próximo ao açude da Fábrica de Tecidos de São Pedro de Alcântara, que pertence ao espolio do finado tenente Manoel Alves, aonde as mulheres da vida facil costumam fazer pousada, em companhia de diversos vagabundos. Scenas destas depõem contra os fôros de cidade civilizada, de que com justiça goza Petrópolis”. (07/05/1902)

 

FURTO DE GALLINHAS

“Um moleque pernóstico de quem a policia não sabe o nome, viu no quintal da casa n. 404 da Avenida Ypiranga, residencia do sr. João Rekel, uma gallinhas que lhe despertarão a cobiça, o moleque não as queria para fazer dellas uma boa canja e foi vendel-as na rua Floriano Peixoto. E agora a policia anda a procura do moleque pernóstico que negociou as gordas gallinhas do sr. Rekel”. (28/03/1904)

 

UMA QUEIXA

“Veiu hontem a nossa redacção o preto Casemiro Jorge, queixando-se de que tendo sido roubado em grande quantidade de gallos e galinhas, por Maria de tal, amastada com Manoel Adão, communicou o facto a policia para que devolva as aves, se é que ainda não as ensôpou com batatas”. (20/07/1914)

 

UM ESCANDALO

 

“Hontem pelas 21 horas quem passasse pela Avenida Marechal Deodoro, ficaria horrorizado e levaria até a mão aos ouvidos, taes as palavras que alli se ouviam. É que uma moreninha que, ao que parece não estava muito christã, lembrou-se de fazer encrenca com o homem da Padaria das Famílias com descompostura, no mais baixo escalão. O facto causou escandalo que a policia envergonhada com tanta descompostura não compareceu ao local”. (08/07/1914)

 

BATEDOR DE CARTEIRAS

“A policia local fez descer hontem a fim de ser apresentado ao chefe de policia do Estado, o menor José Gomes F.... de 12 annos, portuguez, cuja prisão foi effectuada na estação Leopoldina como batedor de carteiras”. (12/01/1916)

 

APREENSÃO DE OBJETOS ROUBADOS

“Foram hontem restituidos ao proprietário do Restaurante e Café Orleans um ferro de engommar e um cobertor, que haviam sido roubados por José de Oliveira e sua amante”. (16/02/1916 – pág. 01/coluna 06)

 

UM ESCANDALO NO THEATRO XAVIER

“Durante a exhibição de um film hontem à noite, no Theatro Xavier, o funccionario municipal sr. Bento Borges, tambem conhecido por Bentóca, teve a audacia de querer bolinar uma senhora da nossa melhor sociedade casada. O marido tendo presenciado o acto praticado por Bentóca lhe deu um socco forte, onde o funccionario ficou com a fachada em misero estado”. (23/02/1916)

 

AMOR...TAMANCO...E QUEIXA NA POLICIA

“Ás 14 horas de hontem queixou-se á policia o portuguez João Baptista dos Reis, estabelecido com barbearia á Avenida 15 de Novembro, de ter sido espancado por Emilia Marques e João Fernades por tentar fazer-se amar por Emilia fazendo declarações de amor a ella, que sendo já casada e não gostando do abuso desceu seus tamancos e com elles aggrediu o tratante junto com seu marido, onde todos foram internados na policia para esclarecimentos”. (16/03/1916)

 

PEDIDO DE PROVIDENCIAS

“Varios moradores do Alto da Serra, nas proximidades do Hotel Villa Thereza, solicitaram providencias ao sr. Dr. Odorico Antunes, delegado de policia contra o grande numero de mulheres da vida facil que moram naquelle hotel que é de propriedade de Francisco de tal, vulgo Chico Banana”. (14/07/1916)



Edição anterior (2364):
sábado, 01 de maio de 2021
Ed. 2364:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2364): sábado, 01 de maio de 2021

Ed.2364:

Compartilhe:

Voltar: