Edição anterior (2369):
quinta-feira, 06 de maio de 2021
Ed. 2369:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2369): quinta-feira, 06 de maio de 2021

Ed.2369:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Liceu Municipal fica fechado, pelo menos, até a próxima segunda-feira

Roberta Müller – especial para o Diário

 

Apesar de o decreto municipal ter autorizado, a partir desta segunda-feira (3), o retorno das aulas de forma híbrida – presencial e online – para alunos do 3º ano do Ensino Médio da rede municipal, que funciona apenas no Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio, a instituição vai permanecer fechada, pelo menos, até o próximo dia 10. O colégio, segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE-Petrópolis), não está preparado para receber os estudantes e professores de forma segura. E, em nova reunião entre os representantes da classe e a prefeitura, nesta terça (4), foi definida a nova data.

“O Liceu não tem pessoal para reabertura. A maioria dos professores faz parte do grupo de risco, pela idade ou por comorbidades. Não teria a menor condição de a escola voltar às aulas agora, não está preparada, não está apta para receber os estudantes”, explica a representante do SEPE, Rose Silveira.

Segundo a prefeitura, que confirmou o retorno na próxima segunda-feira, a Secretaria de Educação vai realizar, agora, com suporte da Secretaria de Saúde, capacitação presencial com professores e funcionários que atuam com as turmas do 3º ano do ensino médio sobre uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). “A capacitação deverá ser feita de forma presencial, sendo que a capacitação online já foi feita pela Secretaria de Saúde. Um momento de acolhimento também será feito, com a presença de psicólogos”, informou o governo municipal em nota.

Ainda segundo a representante do SEPE, esta reabertura não estava prevista no plano de retomada criado pelo grupo de trabalho que discutia o assunto na cidade, e que as entidades que representam o setor no município vão continuar tentando suspender o decreto que autorizou o retorno das atividades presenciais.

“Estamos discutindo isso na justiça. Não há consenso com o Conselho (Conselho Municipal de Educação de Petrópolis – COMED), com o sindicato, nem com o grupo de trabalho. A gente não julga oportuno esse retorno agora. Foi uma decisão unilateral da prefeitura que contradiz o plano”, frisa.

Por enquanto, está autorizado também as aulas presenciais para as turmas do 3º ano do Ensino Médio e 1º ano do Ensino Fundamental na rede privada, mas nem todas as escolas da cidade já retomaram as aulas.  O SEPE e o Sinpro, Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região, entraram com uma ação civil pública pedindo a suspensão dos efeitos do decreto que autoriza as atividades presenciais nas escolas.

Escolas precisam ter o Selo Escola Segura

De acordo com a prefeitura, a retomada das aulas é gradual, respeitando calendário que prevê intervalos de no mínimo uma semana entre cada etapa da flexibilização. Além disso, o Selo Escola Segura é obrigatório para as aulas no modelo híbrido.

Até esta terça-feira (4), o governo municipal informou que 38 escolas foram vistoriadas. Destas, 28 obtiveram o Selo. “É importante lembrar que as unidades de ensino não podem obrigar a participação dos estudantes nas aulas presenciais, sendo direito dos pais e/ou responsáveis fazer a opção, se assim preferir, pela manutenção das aulas de maneira remota, como acontece atualmente. Petrópolis está neste momento na bandeira laranja, com risco moderado, de acordo com critérios da matriz de risco estadual”, informou a prefeitura.

 



Edição anterior (2369):
quinta-feira, 06 de maio de 2021
Ed. 2369:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2369): quinta-feira, 06 de maio de 2021

Ed.2369:

Compartilhe:

Voltar: