Edição anterior (2446):
quinta-feira, 22 de julho de 2021
Ed. 2446:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2446): quinta-feira, 22 de julho de 2021

Ed.2446:

Compartilhe:

Voltar:


  Educação

Ministério da Educação recomenda que estados e municípios retomem as aulas presenciais

Petrópolis ainda não definiu as datas para a retomada das atividades em sala de aula

Priscila Torquato – especial para o Diário

Em pronunciamento na rede nacional de rádio e TV nesta terça-feira (20) o Ministro da Educação, Milton Ribeiro “conclamou” as escolas a retomarem as atividades presenciais no segundo semestre deste ano. “Caros pais, estudantes e profissionais de educação, não podemos mais adiar este momento. O retorno às aulas presenciais é uma necessidade urgente”, disse. Petrópolis tem 189 unidades educacionais e cerca de 41 mil alunos na rede pública. E uma das exigências da categoria para o retorno às atividades era a inclusão deste público no cronograma de vacinação contra a covid-19. Até esta terça-feira (20), 4.689 profissionais da educação foram imunizados e o cadastro continua aberto. Questionada nesta quarta-feira (21) sobre a retomada das atividades presenciais, a Prefeitura de Petrópolis não respondeu.

A Comissão de Educação da Câmara Municipal de Petrópolis classificou o pronunciamento do Ministro como “desnecessário” para o momento. O presidente da Comissão, o vereador Yuri Moura (PSOL) diz acreditar que a avaliação e decisão para retomada devem ser dos estados e municípios. “O pronunciamento do Ministro não ajuda em nada, só serve para gerar confusão em um momento em que precisamos de engajamento social, e ainda desconsidera que temos realidades diferentes em várias regiões do país. O retorno em Petrópolis precisa ser discutido e organizado com os representantes dos trabalhadores da educação, pais, alunos, Comed e prefeitura, com o devido cuidado em saúde e pedagógico que merece. Em Petrópolis, estive ao lado do SinPro e Sepe contra o retorno precoce, em momentos piores da pandemia no Município, e na defesa pela imunização rápida dos profissionais da educação. Com o retorno, fiscalizamos, pressionamos pelo cumprimento das medidas sanitárias e acolhemos denúncias”, considerou.

Rede Estadual

A rede estadual tem 8.054 alunos distribuídos em 10 escolas do município. Segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc) o retorno das atividades escolares está previsto para a próxima segunda-feira, 26 de julho, mas as “atividades presenciais, em modelo híbrido,  estão condicionadas à classificação de risco dos municípios, disposta pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro e decretos municipais”, diz a nota da Seeduc.

E o que determina a realização das atividades pedagógicas com os alunos em sala de aula é o bandeiramento de risco que o Estado divulga semanalmente. Para o Ensino Fundamental, a capacidade de até 50% é autorizada na bandeira laranja; de até 75% na bandeira amarela e de 100% na bandeira verde. Já para o Ensino Médio, as capacidades são de até 40% na bandeira laranja; de até 60% na bandeira amarela e de 100% na bandeira verde.

A Secretaria informou ainda que acompanha o cronograma de imunização dos profissionais da educação da rede estadual e que o último levantamento realizado em junho deste ano apontava que 84% dos servidores de ensino já haviam recebido, pelo menos, a primeira dose da vacina contra covid-19. “A Seeduc continua acompanhando o calendário de vacinação junto às autoridades de saúde municipais.”  

Rede Particular

A rede particular retornou as atividades em maio, depois de decreto municipal autorizando a forma hibrida de ensino.

“Cerca de 90% das escolas particulares aderiram ao esquema híbrido. O retorno gradual seria para uma adaptação, para que as escolas pudessem retornar sem sua totalidade para que pudessem se adaptar aos protocolos, mas já passou da hora de retornarmos com os horários integrais, tanto para alunos da escola quanto para os alunos de horários integrais (creches)”, defende o representante das instituições de ensino particular de Petrópolis e diretor de escola, Anderson Leal.

A volta das aulas segue um protocolo estipulado no Plano de Retorno às Atividades Presenciais Pós Covid-19 elaborado pela prefeitura em parceria com o Conselho Municipal de Educação (Comed), Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região (SinPro), Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), Conselho tutelar, Vigilância Epidemiológica, Ministérios Públicos estadual e federal, entre outras secretarias municipais. Entre as recomendações estão o uso obrigatório de máscaras, orientação aos alunos para higienização das mãos com água e sabão ou com álcool em gel, escalonamento dos horários de entrada e saída dos estudantes, evitar atividades em grupo, aumentar os espaços entre mesas e cadeiras, entre outras medidas. “Petrópolis tem um dos protocolos de segurança mais rígidos, eu estava no grupo que ajudou a elaborar e foram várias reuniões até chegar ao protocolo final”, esclarece Anderson.



Edição anterior (2446):
quinta-feira, 22 de julho de 2021
Ed. 2446:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2446): quinta-feira, 22 de julho de 2021

Ed.2446:

Compartilhe:

Voltar: