Edição anterior (2524):
quarta-feira, 06 de outubro de 2021
Ed. 2524:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2524): quarta-feira, 06 de outubro de 2021

Ed.2524:

Compartilhe:

Voltar:


  Transporte

Obras geram atrasos de uma hora nos ônibus da Turp

Foto: Divulgação Setranspetro

Trajeto que pode ser feito em apenas nove minutos teve seu tempo ampliado em até 45 minutos
As obras viárias na Estrada União e Indústria, em Itaipava, seguem comprometendo a operação dos ônibus da Turp Transporte, segundo o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro). Nesta terça-feira (5), os atrasos na operação dos coletivos ultrapassam uma hora, resultando perdas de viagens. “Consideramos um dos dias mais difíceis para a eficiência da operação dos ônibus na região, desde o início das obras”, diz publicação do Sindicato.
As retenções acontecem no sentido Itaipava, próximo ao Horto Municipal, em um trecho de aproximadamente 400 metros. Já no sentido Centro, as intervenções acontecem próximo ao Shopping Vilarejo, em um trecho de quase 300 metros. Em ambos os sentidos, o trânsito segue em sistema de pare e siga, sem nenhuma possibilidade de desvio de itinerário e previsibilidade de tempo para o fluxo de veículos em Itaipava.
“Normalmente, os ônibus levariam apenas nove minutos para utilizarem os trechos mencionados. Com a falta de planejamento no trânsito, o tempo do percurso, em ambos os sentidos, é cinco vezes maior, chegando a 45 minutos de espera, com todos os tipos de veículos completamente parados no trecho”, explicou Marcio Silva, gerente de operação.
Segundo a Turp Transporte, entre as principais linhas afetadas estão 605 – Vale das Videiras, 617 – Araras e 700 – Terminal Itaipava, com diversos atrasos e perdas de viagens. A Turp Transporte orienta que os clientes baixem gratuitamente o aplicativo Cittamobi, que mostra, em tempo real, o horário que o ônibus vai passar no ponto em que o passageiro está.
“Nenhum veículo que está preso em algum desses trechos possui qualquer tipo de previsibilidade de tempo para a conclusão do trajeto. O caos é generalizado na região e, infelizmente, os ônibus ficam parados junto com todos os outros veículos que utilizam o trecho, o que acaba prejudicando o passageiro”, concluiu Marcio Silva.
O Setranspetro defende que todas as obras que causam impacto no trânsito devem ser feitas com planejamento eficiente, mesmo as emergenciais, considerando turnos de menor movimento e circulação de veículos, sinalização eficaz, comunicação prévia com a CPTrans, empresas de ônibus e clientes do transporte.
“Sem que isso ocorra, o resultado é sempre o mesmo: os clientes do transporte coletivo são sempre os mais prejudicados, visto que, diferente dos carros particulares, os ônibus não podem usar rotas alternativas e ficam por mais de meia hora enfileirados em comboio no trânsito da região”, destacou Carla Rivetti, gerente do Setranspetro.



Edição anterior (2524):
quarta-feira, 06 de outubro de 2021
Ed. 2524:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2524): quarta-feira, 06 de outubro de 2021

Ed.2524:

Compartilhe:

Voltar: