Edição anterior (2332):
terça-feira, 30 de março de 2021
Ed. 2332:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2332): terça-feira, 30 de março de 2021

Ed.2332:

Compartilhe:

Voltar:


  Covid-19

Pacientes com sintomas de coronavírus aguardam horas por internação na UPA de Cascatinha

         
 A Defensoria Pública está apurando casos de pacientes com sintomas de coronavírus que demoraram horas para serem atendidos e internados na UPA de Cascatinha. Na última semana, o órgão recebeu denúncias, por exemplo, de casos de pessoas debilitadas (uma delas com 75% do pulmão comprometido, segundo a família) aguardando em cadeiras por falta de maca e até de um paciente que precisou esperar pelo atendimento durante toda a madrugada dentro do carro.

A paciente que, conforme alegou a família, estava com 75% do pulmão comprometido, esperou no mínimo 15 horas por internação, segundo a denúncia. Em fotos enviadas à Defensoria é possível ver outros pacientes também aguardando em cadeiras. Já o caso do paciente que esperou no estacionamento chegou ao conhecimento da Defensoria através de denúncia anônima.

“Nós sabemos que não está fácil para a Secretaria Municipal de Saúde, as equipes trabalharem, mas medidas precisam ser tomadas, visando atendimento mais digno, rápido e eficiente à população. Até porque as equipes podem não dar conta de tanto atendimento. Fora o risco de quem está aguardando o atendimento. Se não está com covid, pode pegar. Além disso, as pessoas que não aguentam aguardar tanto tempo de fila acabam desistindo do atendimento na UPA Cascatinha e saem em busca de atendimento em outras urgências, mas não são atendidos, e nessa, já disseminou a doença nos coletivos, principalmente”, explica a defensora pública Andréa Carius.

Ainda segundo ela, um fluxo de atendimento, com espaço, equipe e resultados rápidos de exames realizados fora das unidades de urgência agilizaria o atendimento. “Se estamos em uma pandemia e a procura por atendimento é maior, o que puder fazer para que aquele paciente seja atendido com rapidez para ser liberado ou internado seria muito útil, pois, do contrário, as macas e espaço poderão se tornar insuficientes”, frisa a defensora. “É importante ressaltar também que as equipes estão sobrecarregadas”, completa.

De acordo com a Secretaria de Saúde, “a UPA Cascatinha opera com equipe completa e possui equipamentos. A Coordenação das UPAS explica que a UPA Cascatinha vem registrando um grande aumento na demanda por atendimento nos últimos dias, o que faz com que o tempo médio de espera por atendimento seja maior que o normal”, diz em nota.

Sobre a paciente que aguardou em uma cadeira, a Prefeitura informou que ela “deu entrada na UPA Cascatinha no dia 26/3, foi atendida pela equipe de plantão, fez tomografia e foi internada em um leito da sala vermelha da unidade, permanecendo monitorada pela equipe até ser transferida para a internação no Hospital Nelson de Sá Earp no dia 27/3”.   



Edição anterior (2332):
terça-feira, 30 de março de 2021
Ed. 2332:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2332): terça-feira, 30 de março de 2021

Ed.2332:

Compartilhe:

Voltar: