Edição anterior (2366):
segunda-feira, 03 de maio de 2021
Ed. 2366:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2366): segunda-feira, 03 de maio de 2021

Ed.2366:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Parte do monumento do Trevo de Bonsucesso aparece após 40 anos

Renata Almeida – especial para o Diário

 

Chegou ao fim o mistério do sumiço da escultura de bronze que ficava na praça do trevo de Bonsucesso, em Itaipava. Após uma iniciativa da Associação Filantrópica de Petrópolis (AFIPE),  parte do monumento foi encontrado surpreendentemente na Comdep. A obra, que foi inaugurada junto com a Estrada União e Indústria em 1961, foi assinada por Antonio Geraldes,  e homenageia  a Mazzepa, primeira carruagem a fazer o percurso entre Petrópolis e Juiz de Fora, puxada por duas parelhas de cavalos. A peça que por várias vezes foi dada como roubada, estava desaparecida há cerca de 40 anos.

De acordo com a presidente da AFIPE, Vera Cecília Pinto Pereira, o projeto “Vamos Florir Itaipava”, que tem como objetivo revitalizar as praças, rotatórias e canteiros de Itaipava, foi o grande responsável pelo início da busca. “Ninguém até então tinha se dedicado e se interessado a procurar por esta peça, nem uma reconstrução para colocar alguma coisa no lugar. Esse ano, durante a elaboração do projeto, eu resolvi procurar pela escultura. Fui ao Centro de Cultura e um colaborador mais antigo procurou lá pra mim e não achou.  Aí ele procurou um rapaz da Comdep. Ele então começou a busca e encontrou a peça lá, atrás de um compensado. Me ligou super-feliz que achou a carruagem, mas estava sem os cavalinhos e sem os condutores”, contou Vera.

Após a saga bem sucedida, a presidente da AFIPE enviou um ofício à Comdep para ficar com “poder” da peça. E foi prontamente atendida pela presidência da Companhia. Segundo Vera, durante um encontro com o secretário da Turispetro, Samir El Ghaoui, foi acordado que a peça seria restaurada pelo setor para então finalmente voltar ao seu lugar de origem – o trevo de Bonsucesso. “ O Samir é um amigo e achou maravilhoso quando eu contei pra ele que achamos a escultura. A carruagem já está em estudo de restauração na posse da Turispetro. Quero, quem sabe, inaugurar o monumento completo em outubro, quando a AFIPE comemora 55 anos de fundação. Sem falar que será um marco para nossa história, pois este ano a Estrada União e Indústria completa 160 anos”, disse Vera Cecília.

Projeto Vamos florir Itaipava

O projeto é uma iniciativa da Associação Filantrópica de Petrópolis (AFIPE),  em parceria com o grupo Mil, com o apoio da Secretaria de Turismo e Secretaria de Meio Ambiente, que tem a finalidade de revitalizar e florir as rotatórias e canteiros de Itaipava, no trecho entre Bonsucesso e próximo ao mercado Bramil – o que vale aproximadamente 4 km.

Nos locais serão realizados limpeza, conservação, manutenção, projeto de paisagismo com plantio de muitas flores e cobertura vegetal.  A previsão é que o projeto inicie agora em maio.

“O projeto foi feito pela colaboradora afipense responsável de projetos da AFIPE, Luciana Marcia da Conceição que juntamente a Leda Maldonado Paisagista se dedicaram  de maneira plena para alcançarmos o sucesso. Serão lindas praças floridas, com espelho d’água,  com chafariz ao redor do monumento em Bonsucesso, com iluminação trazendo a entrada de Petrópolis todo um charme e beleza que Itaipava necessita para ficar um lugar alegre e aconchegante aos moradores e visitantes”, contou a presidente da AFIPE, Vera Cecília Pinto Pereira.

O projeto além de florir e colorir a região, irá fazer uma homenagem ao empresário e diretor-presidente do Grupo Mil, Josemo Corrêa de Mello, que faleceu em agosto do ano passado.

“A homenagem além do simbolismo da flores, que entre outras coisas nos remetem a natureza, a vida, a pureza, a paz, a riqueza, ao sucesso, ao bem estar, ao alimento, a energia, a cura, ao amor e a qualidade de vida. As flores também teriam as cores que representam seu amado Projeto, ao qual dedicou sua vida”, disse Vera que ainda finalizou:

“Nossa cidade merece nossa dedicação em conservação, por ser a única cidade imperial da América Latina e ter uma oportunidade única no turismo de trazer emprego e melhora da economia após essa pandemia que acontece no mundo”, encerrou.

 


Edição anterior (2366):
segunda-feira, 03 de maio de 2021
Ed. 2366:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2366): segunda-feira, 03 de maio de 2021

Ed.2366:

Compartilhe:

Voltar: