Edição anterior (2366):
segunda-feira, 03 de maio de 2021
Ed. 2366:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2366): segunda-feira, 03 de maio de 2021

Ed.2366:

Compartilhe:

Voltar:


  Trânsito

Petrópolis já tem mais de 7 mil multas de trânsito aplicadas em 2021

Em todo o ano passado foram mais de 37 mil

 

Estacionamento irregular e falta do uso de cinto de segurança são as infrações mais cometidas na cidade, segundo levantamento do Detran-RJ

 

Roberta Müller – especial para o Diário/Foto - Reprodução

As medidas restritivas de circulação de pessoas por causa da pandemia do coronavírus, o que fez com que menos carros estivessem nas ruas, pode ser um dos motivos pelos quais o número de multas de trânsito aplicadas em Petrópolis no primeiro trimestre do ano é menor do que o do mesmo período de 2020. Mesmo assim o dado ainda é preocupante: entre janeiro e março, 7.282 multas foram aplicadas na cidade, segundo um levantamento do Detran-RJ. Dessas, 1.646 foram relativas à falta do uso de segurança. No ano passado, foram 9.125 multas no período no total, 25% a mais – e 37.509 durante todo o ano.

Em 2021, assim como no ano anterior, a infração recordista de multas até agora é o estacionamento irregular (2.276), em segundo lugar vem a falta de uso do cinto de segurança, também como em 2020, e em terceiro estacionar na calçada (654).

Ao Diário, o presidente do Detran.RJ, Adolfo Konder, falou sobre os perigos da falta do uso do item de segurança. “O cinto de segurança reduz consideravelmente o risco de lesões sérias, evitando, por exemplo, que a pessoa seja lançada para fora do veículo em caso colisão. Usando o cinto de segurança, tanto no banco da frente quanto no banco de trás, a probabilidade de você sobreviver é 40% a 50% maior do que se estivesse sem o cinto”, explica.

Entre as dez infrações mais cometidas este ano ainda estão: conduzir veículo sem o licenciamento (256); falta de carteira de habilitação (246); estacionar em local ou horário proibidos (239); conduzir veículo em mau estado de conservação (197); dirigir usando celular (191); estacionar no ponto de embargue/desembarque de passageiros do transporte público (69); e conduzir veículo sem equipamento obrigatório (58).

Em todo o ano passado, 3.377 motoristas também foram multados pela falta do cinto de segurança e 858 receberam a punição pela falta do uso do item de segurança por algum passageiro. Na lista das dez infrações mais cometidas ainda estão: estacionamento irregular (10.716); não acender o farol em rodovia durante o dia (2.893); estacionar na calçada (1.965); transitar acima da velocidade permitida em até 20% (1.514); furar pedágio (1.469); estacionar em local ou horário proibidos (1.103); conduzir veículo sem licenciamento (995); e dirigir veículo sem carteira de habilitação (852).

Vale lembrar que todas as regras estão previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A lista de infrações passíveis de multa é extensa e se divide em cinco categorias: leves, médias, graves, gravíssimas e auto-suspensivas, que é quando o infrator perde automaticamente o direito de dirigir e precisa passar por processo de reciclagem para reaver a sua carteira de habilitação.

No caso do art. 167, “deixar o condutor ou passageiro de usar o cinto de segurança” é uma infração grave. A multa gerada é no valor de R$ R$ 195,23 e acarreta a soma de 5 pontos na CNH.

Este mês, a Lei n° 14.071/2020 - conhecida como Nova Lei de Trânsito - fez grandes alterações no CTB. As principais mudanças estão relacionadas ao motorista, como o aumento do limite de pontuação da CNH de 20 para 40 pontos, o aumento da validade da CNH de cinco para dez anos e também a possibilidade de pagar multas com 40% de desconto.



Edição anterior (2366):
segunda-feira, 03 de maio de 2021
Ed. 2366:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2366): segunda-feira, 03 de maio de 2021

Ed.2366:

Compartilhe:

Voltar: