Edição anterior (2366):
segunda-feira, 03 de maio de 2021
Ed. 2366:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2366): segunda-feira, 03 de maio de 2021

Ed.2366:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Petrópolis já tem mais mortes por covid-19 em 4 meses de 2021 do que o ano todo 2020

Wesley Fernandes - especial para o Diário/Foto - Arquivo

 

Abril chegou ao fim com 223 óbitos e, com isso, os quatro primeiros meses de 2021 já registram mais mortes por covid-19 em Petrópolis do que todo o ano de 2020. Nesta sexta-feira (30), a cidade contabilizou 15 mortes nas últimas 24 horas, chegando a 970 vidas perdidas em decorrência da doença, desde o início da pandemia. Os são dos boletins epidemiológicos da Secretaria Municipal de Saúde.

O crescimento do número de petropolitanos mortos em 2021 é decorrência da terceira onda da doença no país, potencializada pelo surgimento de variantes, segundo o secretário de Saúde de Petrópolis, Aloísio Barbosa. Nos quatro primeiros meses de 2021 foram computadas as mortes de 565 pessoas, contra um total de 405 em todo o ano de 2020.

"Petrópolis, assim como outras cidades do Estado e do país, enfrentou uma terceira onda da covid-19, onde houve  um aumento exponencial no número de casos, refletindo no número de internações causadas por variantes que têm alta taxa de transmissibilidade. Temos observado que, apesar da demanda menor nas portas de entrada, muitos pacientes estão dando entrada nas unidades  com um quadro mais grave e evoluindo rapidamente para unidade de terapia intensiva (UTI)", avaliou o secretário de Saúde, Aloísio Barbosa.

A pesquisadora em saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Chrystina Barros, destaca que os índices podem subir ainda mais, devido o risco de uma nova mutação. "Esse número pode aumentar a qualquer momento, pois existe o risco iminente, com essa franca disseminação, que o vírus produza uma cópia diferente, a chamada mutação, podendo até comprometer a eficácia das vacinas. Hoje, estamos dependendo da nossa própria sorte, rezando para que uma nova variante não surja e não jogue por água abaixo nossa esperança mais concreta que é a vacina e que ainda não chega na medida adequada. O cenário pode piorar", ressaltou.

Chrystina frisa que a população, mesmo sem o suporte econômico do governo, precisa fazer sua parte. "Precisamos ajudar o próximo, colocando nosso espírito solidário em prática. Mas, essas ações devem ser realizadas de forma segura, com distanciamento e sem aglomeração, usando máscara e higienizando as mãos. É dessa maneira que a gente tenta diminuir a probabilidade de nos infectarmos", disse. 

Além do elevado número de mortes - abril foi o mês mais letal de toda a pandemia, registrando 223 óbitos - Petrópolis contabiliza também alta no número de pessoas infectadas pelo coronavírus. Nos úlitmos cinco dias, entre segunda e terça-feira (26 e 30/04), foram 1.646 novos casos, elevando a soma para 32.126 infectados.

A taxa de ocupação dos leitos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), na sexta-feira, era de 78,99% em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e de 66,19% em leitos clínico. Neste dia, 336 pessoas estavam hospitalizadas em unidades de saúde pública e privada de Petrópolis para tratamento da doença - 148 em UTIs e 188 em leitos clínicos.

Para o infectologista do Hospital Unimed Petrópolis, Jacob Samuel Kierszenbaum, muitas pessoas ainda insistem em não procurar atendimento médico quando apresentam sinais da doença. Esse fato, na visão do médico, contribui muito para o aumento no número de mortes. "Muitas pessoas não procuram atendimento médico, tanto hospitalar quanto ambulatorial. Mas, a partir do momento em que você tem sinais e sintomas mais avançados deve procurar assistência médica", disse.

O infectologista lembra, ainda, que o coronavírus é uma doença desconhecida. "Todos os dias nós temos novidades em relação a essa doença. Então, o índice pode aumentar, assim como também pode não aumentar", frisou.

O município soma, também, segundo o boletim epidemiológico mais recente, 4.672 casos em análise e 11.559 pacientes recuperados. Este último, se refere às pessoas que estiveram internadas nas unidades hospitalares da cidade ou que se mantiveram em isolamento domiciliar e que, hoje, não apresentam mais os principais sintomas da doença.

Confira a relação dos óbitos divulgados na sexta-feira

1.           Mulher, 74 anos, moradora no São Sebastião. Internada em 09.04.2021 na UPA Cascatinha. Óbito registrado em 09.04.2021 na UPA Cascatinha. Paciente com hipertensão arterial, diabetes, cardiopatia.

2.           Homem, 73 anos, morador no Quitandinha. Internado em 10.04.2021 na UPA Cascatinha e transferido para o HCC. Óbito registrado em 17.04.2021 no HCC. Paciente com hipertensão arterial e diabetes.

3.           Mulher, 57 anos, moradora no Alto da Serra. Internada em 08.04.2021 no HST. Óbito registrado em 18.04.2021 no HST. Paciente com doença de chron e insuficiência cardíaca.

4.           Mulher, 54 anos, moradora em Corrêas. Internada em 09.04.2021 no HMNSE. Óbito registrado em 19.04.2021 no HMNSE. Paciente sem comorbidades.

5.           Mulher, 62 anos, moradora no Itamarati. Internada em 08.04.2021 no HST. Óbito registrado em 19.04.2021 no HST. Paciente com neoplasia de mama.

6.           Mulher, 60 anos, moradora no Floresta. Internada em 26.03.2021 na UPA Cascatinha e transferida para o HCC. Óbito registrado em 20.04.2021 no HCC. Paciente com hipertensão arterial.

7.           Mulher, 79 anos, moradora no Duarte da Silveira. Internada em 01.01.2021 no Hospital Unimed. Óbito registrado em 21.04.2021 no Hospital Unimed. Paciente com doença cardiovascular crônica e diabetes.

8.           Homem, 78 anos, morador em Corrêas. Internado em 12.04.2021 no SMH. Óbito registrado em 21.04.2021 no SMH. Paciente com neoplasia de fígado.

9.           Mulher, 83 anos, moradora na Vila Militar. Internada em 08.04.2021 na UPA Cascatinha e transferida para o HSM. Óbito registrado em 22.04.2021 no HSM. Paciente com neoplasia e diabetes.

10.         Homem, 73 anos, morador no Independência. Internado em 08.04.2021 na UPA Centro e transferido para o HNSA. Óbito registrado em 23.04.2021 no HNSA. Paciente com hipertensão arterial, diabetes e asma.

11.         Mulher, 58 anos, moradora no Alto da Serra. Internado em 09.03.2021 no HAC. Óbito registrado em 26.04.2021 no HAC. Paciente com AVC Hemorrágico.

12.         Mulher, 79 anos, moradora no Centro. Internada em 13.04.2021 no Hospital Unimed. Óbito registrado em 27.04.21 Hospital Unimed. Paciente com hipertensão arterial.

13.         Homem, 81 anos, morador no Cascatinha. Internado em 25.03.2021 no Hospital Unimed. Óbito registrado em 2704.2021 no Hospital Unimed. Paciente com doença cardiovascular crônica e diabetes.

14.         Mulher, 72 anos, moradora no Duarte da Silveira. Internado em 04.04.2021 no Hospital Unimed. Óbito registrado em 28.04.2021 no Hospital Unimed. Paciente com doença cardiovascular crônica.

15.         Homem, 57 anos, moradora no Carangola. Internada em 19.04.2021 no Hospital Unimed. Óbito registrado em 28.04.2021 no Hospital Unimed. Paciente com hipertensão arterial e diabetes.

 



Edição anterior (2366):
segunda-feira, 03 de maio de 2021
Ed. 2366:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2366): segunda-feira, 03 de maio de 2021

Ed.2366:

Compartilhe:

Voltar: