Edição anterior (2416):
terça-feira, 22 de junho de 2021
Ed. 2416:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2416): terça-feira, 22 de junho de 2021

Ed.2416:

Compartilhe:

Voltar:


  Saúde

Prefeitura reorganiza leitos de UTI covid no HAC

Segundo município, medida é possível devido à baixa ocupação

 

Wellington Daniel

Com a baixa ocupação dos leitos de terapia intensiva na cidade, que tem ficado abaixo de 50% desde o dia 8 de junho, a Prefeitura começou uma reorganização das vagas disponíveis no Hospital Alcides Carneiro. Em nota enviada ao Diário, o município disse que a unidade de saúde mantém três leitos de UTI destinados a tratamento da covid-19, mas disponibilizou outros 10 para internação de pacientes pós-cirúrgicos.

Segundo o município, a demanda nas portas de entrada e as internações vem caindo desde junho. Na última semana, o número de internados no HAC com covid-19 caiu para dois. A Secretaria de Saúde segue monitorando a evolução da pandemia na cidade e adotará as medidas necessárias para readequação da rede, em caso de um novo agravamento da pandemia.

Em toda a rede de saúde pública do município, foi notada uma diminuição na ocupação dos leitos clínicos e de UTI em junho, se comparado aos três meses anteriores (março, abril e maio), que foram o período mais crítico da pandemia em Petrópolis. A média deste mês, somando os dois tipos de vaga, está em 73 pacientes.

O pico foi em abril, quando a média chegou a 196 pacientes tanto em leitos clínicos quanto de terapia intensiva. Em maio, houve uma redução e foi para 149. Já em março, a média foi de 138 pacientes internados. Em relação a junho do ano passado, no entanto, há um aumento de 62,2%, já que, naquele período, foram 45 pessoas internadas na média mensal.

Em relação ao recorte de apenas os leitos de UTI, a média neste mês de junho é de 46 internados. Abril também é o mês com o maior número nesta divisão, quando foram 105. Já em maio, foram 90 pacientes e em março, 79. Um aumento também é visto em relação ao sexto mês de 2020, de 53,3%, já que, naquele período, a média era de 30 pessoas.

Apesar da melhora, a nota da Saúde pede que as pessoas mantenham os cuidados, como uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento social. Na edição de sábado (19), o Diário também mostrou o alerta da Fiocruz para um novo recrudescimento da pandemia no inverno.

“O ritmo de vacinação no país, com um total de apenas 15% de pessoas vacinadas com esquema de vacinação completo, exige a manutenção e mesmo esforço de medidas não-farmacológicas, como uso de máscaras, distanciamento físico e social e higienização das mãos, além de medidas de maior restrição da circulação de pessoas como bloqueio ou lockdown sempre que necessário”, explicou o comunicado da Fiocruz.



Edição anterior (2416):
terça-feira, 22 de junho de 2021
Ed. 2416:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2416): terça-feira, 22 de junho de 2021

Ed.2416:

Compartilhe:

Voltar: