Edição anterior (3314):
segunda-feira, 04 de dezembro de 2023
Ed. 3314:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (3314): segunda-feira, 04 de dezembro de 2023

Ed.3314:

Compartilhe:

Voltar:


  Esporte

Projeto Social Judô São Sebastião atende 160 crianças e alguns alunos tiveram destaque em competições

 


 Arquivo Pessoal

Gabriel Miranda – estagiário

O Projeto social Judô São Sebastião, fundando em 2013, atende 160 crianças tanto do bairro, quanto de outras localidades. A iniciativa criada por Claudinei Esteves tem parceria com a Paróquia do São Sebastião, local onde as aulas acontecem e também conta com dois patrocinadores para ajudar na melhoria do projeto. As pessoas interessadas podem conhecer o Judô São Sebastião pelo site: www.judosaosebastiaopetropolis.com.br

Claudinei diz que a sua história no judô começou há mais de quarenta anos, por meio de uma oportunidade dada pelo Sensei, e Professor Nelson Weinschutz. “Foi ele quem me apresentou ao judô. Nesta época, durante meu ciclo de aprendizagem do judô, percebi em mim uma evolução pessoal, tal como, um diferencial de determinação e bem-estar, que me ajudou muito, causando até mesmo, diversas mudanças em minha vida e no meu cotidiano. Salientando o meu jeito de ver e entender as coisas e pessoas, evoluindo também minha percepção, destacando os conceitos da humildade e da disciplina. Foi assim que descobri que poderia trabalhar no processo de ensino/aprendizagem do judô em minha comunidade. Usando dos ensinamentos técnicos e de minhas especializações adquiridas ao longo de anos que aprendi com Sensei Nelson, resolvi, então, expandir estes conhecimentos e conceitos advindos deste esporte”, contou.

Ele explica que o projeto teve início mais ou menos há 10 anos. “Por conta da minha vontade de montar um projeto cuja base fosse contribuir com a cidadania e que se diferenciasse no cotidiano de muitas famílias por intermédio de seus filhos. Foi então que surgiu a ideia de ensinar crianças e adolescentes a usar da melhor forma a sua energia através das técnicas do judô, a partir daí, comecei a desenvolver os primeiros passos para implantar este Projeto no São Sebastião, bairro onde nasci e fui criado. Procurei minha primeira parceria, o Padre Renato da Paróquia da Igreja de São Sebastião. A ele fiz minha proposta e, no decorrer do vai e vem das conversas, um belo dia o Padre Renato me chamou e perguntou: ‘Claudinei, que dia você começa as aulas?’ alegria veio à tona e os trabalhos foram iniciados”, afirma.

Início do projeto na igreja

O Sensei diz que após haver aprovação do Padre e liberação do espaço, percebeu que ali nascia o projeto. “Então, estava na hora de correr atrás dos materiais e equipamentos, o que me levou a conseguir dez folhas de tatame para começar. Montamos uma pequena estrutura no salão da paróquia, fizemos a divulgação, inclusive na missa do bairro, falando sobre as primeiras aulas de judô gratuitamente para os interessados do bairro. De repente, no primeiro dia de aula compareceram mais de trinta crianças, um fato inesperado, mas satisfatório, apesar das dificuldades de acomodar todas aquelas crianças sobre os poucos tatames, tivemos de dar um jeitinho, para promover as ações iniciais de aula no pequeno espaço que tínhamos. As primeiras aulas foram ministradas por mim, meu irmão Pablo e minha filha Lorenna, começaram devagar e com muito cuidado, visando conhecer e atender as crianças dentro de suas potencialidades”, relata.

Claudinei conta que havia uma preocupação permanente no projeto. “Porque cada vez mais outras crianças apareciam para se inscrever e participar do projeto, porém, sabíamos que receber a todos era impossível, afinal nosso material era pouco, foi então que apareceu o Marcelo Amoglia, sabendo do projeto resolveu carinhosamente contribuir doando mais dez folhas de tatame. O trabalho então foi ficando cada vez mais bonito, o projeto sonhado virou uma realidade, sendo possível hoje atender cerca de 160 judocas que participam do processo de aprendizagem de judô. Foi assim que nasceu o Projeto Judô São Sebastião Petrópolis”, explica.

Alunos destaques nas competições

Um dos pais de alunos que contribui para o projeto, Ricardo Correa, explica que no momento um dos destaques é a judoca Lorenna Esteves, que está em São Paulo participando da Seletiva Nacional Sub-18 e Sub-21 de Judô, que estará acontecendo até o dia 03 de dezembro. “Dentre outros atletas, podemos citar Rafaela Gomes, ganhadora de medalha de ouro, pela Seleção de judocas do Estado do Rio, por atuar nos Jogos da Juventude, edição 2023. Evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil. Citamos também Pedro Almeida, mais um dos destaques de nosso Projeto, ele é um Judoca em desenvolvimento, que atuou na Confederação Brasileira do Esporte Escolar, na edição 2023 do JEB’s, além de outros atletas, em forte ascendência nas competições locais e estaduais”, conta.

Ele ainda diz que apesar de ser um projeto sócio/esportivo sem renda própria e se sustenta por meios de rifas, colaborações de pais de alunos e pequenos apoiadores, somado as forças de nossos Sênseis (professores de judô) voluntários. “Buscamos participar de muitas competições, sempre chanceladas pela Federação Estadual de Judô. No ano de 2023, o nosso projeto ficou em 14.º colocação no número de participantes em competições, dentre qual o HAJIME, com muitas medalhas adquiridas pelos nossos Judocas. Em 2024, seremos uma Associação Desportiva, sem fins lucrativos, mas com condições de buscar apoiadores para ampliar e oferecer cada vez mais, sustentabilidade social e esportiva a todos os nossos inscritos”, explica.



Edição anterior (3314):
segunda-feira, 04 de dezembro de 2023
Ed. 3314:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (3314): segunda-feira, 04 de dezembro de 2023

Ed.3314:

Compartilhe:

Voltar: