Edição anterior (2400):
domingo, 06 de junho de 2021
Ed. 2400:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2400): domingo, 06 de junho de 2021

Ed.2400:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Queda na taxa de ocupação dos leitos covid-19 pode estar associada ao avanço da vacinação em Petrópolis

Wesley Fernandes – especial para o Diário

 

Um estudo realizado pelo Instituto Butantan para verificar a efetividade da vacinação para o controle da covid-19 apontou quedas significativas nos números da pandemia. Chamado de ‘Projeto S‘, a pesquisa foi realizada na cidade de Serrana, no interior de São Paulo, e mostrou que, com a vacinação de 95% da população acima de 18 anos imunizada com a  CoronaVac, houve redução de  95% em mortes, 86% de internações e 80% em casos sintomáticos de coronavírus. Esses dados indicam que em Petrópolis, ainda que de forma tímida, a queda na taxa de ocupação dos leitos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) pode está associada ao avanço da campanha de imunização na cidade Imperial.

“O estudo indica também que, com 75% da população-alvo imunizada com as duas doses da vacina CoronaVac, a pandemia foi controlada em Serrana e isso pode se reproduzir em todo o Brasil”, destacou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. A pesquisa ocorreu entre fevereiro e abril, e mostrou também que a vacinação protege tanto os adultos vacinados quanto crianças e adolescentes que não receberam a vacina.

Em Petrópolis, segundo dados divulgados pela Secretária Municipal de Saúde nos últimos sete dias, houve uma diminuição significativa na taxa de ocupação dos leitos de UTI SUS. No dia 27 de maio, o município contabiliza 80,34% dos leitos ocupados com pacientes infectados pelo coronavírus. Esse índice sofreu uma queda de pouco mais de 21%, chegando a 58,56% nessa sexta-feira (05). No caso dos leitos clínicos, a alteração foi quase que imperceptível, passando, neste mesmo período, de 42,86% para 41,56%.

De acordo com o secretário de Saúde Aloisio Barbosa da Silva Filho, Petrópolis sofreu uma queda mais significativa de casos no mês de maio. "O nosso município sofreu, com todo país, a onda epidêmica que provocou um aumento significativo de casos em março e abril. Tivemos um número alto de casos em março, uma queda discreta em abril e em maio já verificamos uma queda mais significativa, com redução de cerca de dois terços nos casos”, disse.

Apesar disso, Aloisio alerta sobre a possibilidade de uma nova onda, já que novas variantes estão em circulação no Brasil. “Especialistas apontam a possibilidade de uma nova onda, temos as variantes já em circulação no país, o que nos preocupa muito. Seguimos monitorando a situação da pandemia, todos os esforços estão sendo feitos para avançarmos o mais rápido possível com a vacinação. Mas até que tenhamos boa parte da população vacinada, é fundamental que a população continue fazendo a sua parte e mantendo todos os cuidados. A pandemia ainda não acabou. É preciso continuar usando máscara, usando álcool em gel quando não for possível lavar as mãos com água e sabão, e manter o distanciamento social, evitando sobretudo as aglomerações”, orientou.

No geral, Petrópolis somava até sexta-feira, 38.573 casos confirmados de contaminação pela doença, com 163.636 testes realizados e 2.989 casos em análise aguardando o resultado do teste. Além disso, desde o início da pandemia, 1.196 pessoas morreram em decorrência do coronavírus na cidade.

Queda de internações de pessoas com mais de 80 anos

Dados divulgados pela assessoria de imprensa do Hospital Santa Teresa (HST) mostram que na unidade há 29 pacientes internados em UTIs e 21 em leitos clínicos. Segundo o diretor executivo do hospital, o médico, Leonardo Menezes, houve uma queda brusca de internações de pessoas com mais de 80 anos, o que também pode está associada ao avanço da vacinação.

“Não observamos, ainda, no Hospital Santa Teresa uma queda no número de internações em UTI. Ao contrário, o número tem se mantido elevado há pelo menos três meses. No entanto, observamos uma mudança de perfil dos pacientes com diagnóstico positivo para Covid-19, com queda brusca de internações de pessoas com mais de 80 anos, que possivelmente já completaram seus esquemas vacinais. Em maio, por exemplo, não tivemos nenhum paciente com mais de 80 anos internado, enquanto 81% dos pacientes tinham menos de 60 anos”, explicou.

Baixos índices no Unimed

Iniciando o mês de junho a Unimed Petrópolis está com 52% de ocupação em leitos de enfermaria e 56% em leitos de UTI Covid-19. Esta é a primeira vez neste ano que a unidade apresenta tão baixos índices. Apesar da redução, o presidente do hospital, Rafael Gomes de Castro, alerta sobre a manutenção das medidas restritivas contra covid-19.

“Nós tivemos a redução do número total de internações, incluindo CTI, o que nos possibilitou fechar os leitos extras de UTI montados dentro do Centro Cirúrgico. Proporcionando, assim, a volta gradual da realização de procedimentos eletivos. Mas estamos atentos a um possível incremento de casos, sobretudo gerando um novo aumento da taxa de ocupação de leitos, uma vez que continuamos atendendo e tendo casos muito graves, com mortalidade alta entre 25-59 anos”, frisou.

O diretor destaca, ainda, a importância da população respeitar as medidas de prevenção ao coronavírus. “Por isso é de extrema importância que a população mantenha as medidas de prevenção à doença, evitando aglomerações, usando máscara e higienizando frequentemente as mãos”, destacou Rafael Gomes de Castro.

Vacinação avança

Até a noite de sexta-feira, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, 87.522 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19 em Petrópolis. Dessas, 37.045 receberam a segunda dose do imunizante.

Nos pontos de imunização foram vacinados 52 idosos, sendo 30 com a primeira dose e 22 com a segunda.  A campanha de imunização contra segue em todo o município, nos pontos de vacinação para grupos já convocados. Para a vacinação é preciso estar cadastrado junto a Secretaria de Saúde. Os dados devem ser preenchidos no site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br)

Estão sendo vacinados no momento: Profissionais da Educação acima de 18 anos que atuam na Educação infantil (crianças de 0 a cinco anos) em Centros de Educação Infantil e em escolas que têm turmas da educação infantil; Pessoas com comorbidades acima de 30 anos; Trabalhadores da saúde com mais de 18 anos; Pessoas com síndrome de down maiores de 18 anos; Pessoas com autismo maiores de 18 anos; Pacientes renais crônicos com mais de 18 anos; Pessoas com paralisia cerebral maiores de 18 anos; Pessoas com deficiência permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) com mais de 30 anos; e Idosos com mais de 60 anos (aqueles que perderam o chamamento feito anteriormente).

A vacinação de gestantes e puérperas maiores de 18 anos com comorbidades, também segue com a aplicação da vacina CoronaVac. As doses do imunizante do Butantan recebidas no último lote devem ser destinadas exclusivamente a este público e estão sendo aplicadas em dois pontos da cidade: no campus da UCP Benjamin Constant (Centro) e no Parque Municipal, em Itaipava.

Em caso de dúvidas é possível utilizar o Whatsapp da Saúde, um assistente virtual que fornece informações sobre a vacinação, locais de atendimento a pacientes com sintomas da doença e boletins. Há, ainda, informações sobre a vacinação contra a gripe. O atendimento está disponível pelo número (24) 9.9200-1428.



Edição anterior (2400):
domingo, 06 de junho de 2021
Ed. 2400:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2400): domingo, 06 de junho de 2021

Ed.2400:

Compartilhe:

Voltar: