Edição anterior (2453):
quinta-feira, 29 de julho de 2021
Ed. 2453:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2453): quinta-feira, 29 de julho de 2021

Ed.2453:

Compartilhe:

Voltar:


  Educação

Três estudantes do Colégio Pensi conseguem bolsas para universidades nos EUA

 

 
 

Rômulo Barroso - especial para o Diário

 Três alunos petropolitanos do Colégio Pensi conquistaram bolsas para estudar em universidades dos EUA. Um deles, inclusive, já viajou essa semana, Lucas Blanc, que foi para o estado de Massachusetts. Os próximos serão Fernanda Storti e Matheus Campos. Em comum, eles têm o fato de terem procurado a escola durante a pandemia para conseguir realizar o sonho de fazer carreira acadêmica fora do país.

Lucas Blanc vai estudar e também foi recrutado como atleta pela Northeastern University - ele joga futebol. Ele teve ajuda do colégio e de uma empresa que ajuda a promover o contato entre estudantes-atletas e universidades americanas. Lucas também conseguiu passar para estudar na Fundação Getúlio Vargas.


 
 “Graças a Deus venho realizando todos os meus sonhos e conquistando todos os meus objetivos. Passei para a FGV, faculdade que sempre quis cursar no Brasil, e consegui realizar o meu sonho de me tornar um estudante atleta nos EUA. Foram muitos sacrifícios, muitas dores, e muitas dificuldades. Dos 12 aos 16 anos, o único ano da minha vida que joguei sem ter problemas foi no meu sub-13. Abdiquei de muita coisa, mas sempre visando meu objetivo”, disse ele em uma rede social.

Fernanda Storti vai cursar psicologia e foi aceita por três universidades, Purdue University, Indiana University e University of Colorado Boulder.


“Estou super feliz e animada para ir logo e ver tudo que eu passei tanto tempo somente imaginando. Quando chegar lá, a primeira coisa que eu vou fazer é conhecer cada centímetro do campus e garantir um casaco da universidade, óbvio. A representatividade é tudo. Confesso que quando soube da minha primeira aceitação eu estava indo dormir, já era quase meia-noite, quando por acaso eu abri o email e estava que uma decisão tinha sido tomada e fui logo abrir. Quando li ‘você foi admitida’, achei que realmente estava dormindo, me belisquei para ver se era verdade. E tudo que eu pude sentir naquele momento foi gratidão, porque essa vitória não foi só minha, ela também pertence a professores que estiveram comigo em todos esses anos. E minha família ficou super orgulhosa”, contou ela em um vídeo divulgado pelo Pensi.

 

Matheus Campos é o mais adiantado dos três estudantes: tem apenas 17 anos, mas vai cursar economia na Nichols College, também em Massachusetts. Ele também foi aceito por uma universidade da Austrália.


 

“Tenho vontade de estudar fora desde pequeno. Sempre busquei aprender sobre o processo, mantive minhas notas boas e participei de atividades extracurriculares. Acho que vai ser uma experiência única, morar em outro país. Entrar na faculdade já é algo diferente e poder fazer isso em um lugar novo é ainda mais legal. A gente fica um pouco ansioso e torce para dar tudo certo, para chegar lá e aproveitar bastante”, falou Matheus.

 

Projeto Laboratório de Inteligência de Vida

A diretora do Colégio Pensi, Maria Elisa Badia, explicou que a escola tem uma preocupação não apenas com a parte acadêmica, mas com o lado humano do aluno. Por isso que mantém um projeto chamado “Laboratório de Inteligência de Vida”, para ajudar a desenvolver habilidade além do ambiente escolar. Para auxiliar esses alunos, o Colégio escreveu cartas de recomendação e, de acordo com ela, o sucesso de Lucas, Fernanda e Matheus já está inspirando outros estudantes.

“Além de toda parte acadêmica, preparação para aprovação em concursos e vestibular, a gente se preocupa também com a formação humana desses alunos. A gente preza pelo protagonismo do aluno. Ele tem que saber que, ao longo da carreira escolar, ele vai desenvolver habilidades e vai ser protagonista da própria vida. Desde muito cedo, ele começa criar projetos para a própria vida. E a escola está aqui para ajudar a colocar em prática. Os três são exemplos muito claros desse protagonismo e também da autoconfiança, que é um dos nossos princípios aqui na escola. Esses alunos acabaram conquistando os seus sonhos pelas próprias pernas, com auxílio da escola. A escola está muito feliz e já tem movimento grande de alunos se preparando para tentar uma carreira no exterior. Isso é bom porque aguça outras habilidades, envolvimento em outras áreas além da parte acadêmica”, disse Maria Elisa.


 



Edição anterior (2453):
quinta-feira, 29 de julho de 2021
Ed. 2453:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2453): quinta-feira, 29 de julho de 2021

Ed.2453:

Compartilhe:

Voltar: