Edição anterior (2335):
sexta-feira, 02 de abril de 2021
Ed. 2335:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2335): sexta-feira, 02 de abril de 2021

Ed.2335:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Vereador Yuri vai à justiça contra empresário que declarou distribuir ivermectina aos funcionários e os permitir trabalhar com Covid-19
 

 Vereador Yuri - Foto: ASCOM CMP

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um empresário de Petrópolis relatando como lida com os seus funcionários, perante a pandemia de Covid-19: distribuição de ivermectina e permissão para que trabalhem mesmo acometidos pela doença. A declaração ocorreu durante uma entrevista que cobria a manifestação de um pequeno grupo de empresários contrários às medidas mais restritivas adotadas pela prefeitura, na última segunda-feira. Além de declarar que distribuiu o medicamento aos seus funcionários, indicando como uso de tratamento precoce à Covid-19, o empresário afirmou que funcionários acometidos pela doença puderam trabalhar normalmente, já que estavam se sentindo bem.

O vereador Yuri Moura, enquanto presidente da Comissão de Direitos Humanos na Câmara Municipal de Petrópolis, reagiu ao vídeo e entrou com uma representação no Ministério Público do Trabalho contra o empresário. O documento indica infração às medidas sanitárias estabelecidas pelo poder público, já que o empresário não garantiu que seus funcionários seguissem as orientações legais para evitar a contaminação de mais pessoas, e, ainda, assumiu o papel de fornecer medicamentos sem eficácia comprovada.

“Recebi muitas mensagens ontem a noite, pessoas indignadas com a fala do empresário. É de fato muito grave. Por isso, fomos ao Ministério Público do Trabalho. É inadmissível, em meio a tantas vidas perdidas por essa doença, que se permita uma rotina normal aos trabalhadores infectados pela Covid-19, colocando os mesmos e o resto da população em risco”, disse Yuri.

Apesar de não haver nenhum estudo que comprove que o remédio seja eficaz no como tratamento precoce à Covid-19, no vídeo, o empresário defende que a utilização do medicamento se estenda à população, visando o retorno à normalidade no município.

“Não existe tratamento precoce. É muita irresponsabilidade vender um falso remédio ao povo. Isso diminui o engajamento social e a dedicação de todos com as medidas de proteção. A defesa precisa ser por vacina, distanciamento social, auxílio às famílias mais vulneráveis e ao pequeno comércio e não por falsos tratamentos”, concluiu Yuri.

O vereador, que defende medidas mais restritivas na cidade, como o lockdown, lançou nesta semana, uma campanha pela aprovação da Renda Básica Petrópolis, seu projeto de lei que prevê unificação e ampliação dos programas de distribuição de renda do município, incluindo, além das famílias mais vulneráveis, os trabalhadores autônomos e informais. Além disso, entende que é preciso o adiamento das contas básicas e isenção de impostos ao pequeno comerciante. No início do mês, ele foi ao Ministério Público contra as empresas de ônibus do município, por crime contra a saúde pública e pedindo o retorno de 100% da frota, devido às aglomerações. Também protocolou um projeto de lei em parceria com os vereadores Júnior Coruja e Júnior Paixão, já aprovado, que prevê o uso de vans escolares como transporte alternativo na cidade, desde que sigam as normas de proteção.



Edição anterior (2335):
sexta-feira, 02 de abril de 2021
Ed. 2335:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2335): sexta-feira, 02 de abril de 2021

Ed.2335:

Compartilhe:

Voltar: